Frases sobre o vinho

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da álcool, vinho, vida, vida.

Melhores frases sobre o vinho

Eleanor Roosevelt photo

„Se alguém trai você uma vez, a culpa é dele. Se trai duas vezes, a culpa é sua.“

—  Eleanor Roosevelt 1884 - 1962

If someone betrays you once, it is his fault; If he betrays you twice, it is your fault.
citado em "Defining moments: experiences of black executives in South Africa's workplace" - página 145, Wendy Luhabe, University of Natal Press, 2002, ISBN 1869140206, 9781869140205, 212 páginas
Atribuídas

Horacio photo
Avicena photo

„O vinho é o amigo do moderado e o inimigo do beberrão.“

—  Avicena 980 - 1037

Avicena citado em Doenças de Alzheimer - Página 485 http://books.google.com.br/books?id=ucvJ_R-BhqEC&pg=PA485, Leonardo Caixeta, Artmed, 2012, ISBN 8536327022, 9788536327020

Aquilino Ribeiro photo

„O pior dos crimes é produzir vinho mau, engarrafá-lo e servi-lo aos amigos“

—  Aquilino Ribeiro 1885 - 1963

"Aldeia: terra, gente e bichos" - Página 200, de Aquilino Ribeiro - Publicado por Livraria Bertrand, 1946 - 344 páginas

Cícero photo

„Os vinhos são como os homens: com o tempo, os maus azedam e os bons apuram.“

—  Cícero orador e político romano -106 - -43 a.C.

Cícero citado em As pessoas e as suas coisinhas - Página 49, Manuel Dias - 1972
Atribuídas

William Shakespeare photo
Paolo Mantegazza photo
Alexander Fleming photo

„A penicilina cura os homens, mas é o vinho que os torna felizes.“

—  Alexander Fleming 1881 - 1955

Penicillin may cure human beings, but it is wine that makes them happy
Alexander Fleming citado em The Frugal Gourmet Cooks with Wine - página 82, Por Jeff Smith, Publicado por Morrow, 1986, ISBN 0688058523, 9780688058524, 447 páginas

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
A. A. Milne photo

Todas frases sobre o vinho

Total 194 citações vinho, filtro:

„Cheiro doce

Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo… v.14


A autora Rita Snowden conta uma bela história sobre uma visita a uma pequena vila. Sentada à mesa de um café numa tarde desfrutando de uma xícara de chá, ela percebeu um delicioso cheiro no ar. Rita perguntou ao garçom de onde o cheiro vinha e lhe foi dito que era das pessoas que ela podia ver passando por ali. A maioria dos moradores eram empregados de uma fábrica de perfume nas proximidades. Ao irem para casa, levavam à rua a fragrância que impregnava suas roupas.

Que bela imagem da vida cristã! Como o apóstolo Paulo diz, nós somos o aroma de Cristo, espalhando Sua fragrância em todos os lugares (2 Coríntios 2:15). Paulo usa a imagem de um rei que retorna da batalha, com os soldados e prisioneiros a reboque, levantando o cheiro do incenso de comemoração no ar, declarando a grandeza do rei (v.14).

De acordo com Paulo, espalhamos o aroma de Cristo de duas maneiras. Primeiro, por meio de nossas palavras: revelando aos outros sobre a beleza de Cristo. Segundo, por meio de nossa vida: entregando-a como “oferta e sacrifício a Deus” (vv.1,2). Embora nem todos apreciarão o “aroma suave” que compartilhamos, ele trará vida a muitos.

Rita sentiu o aroma no ar e buscou a sua fonte. Ao seguirmos Jesus também nos envolvemos com Sua fragrância, e levamos este aroma suave às ruas com nossas palavras e ações.

Somos o aroma suave de Cristo aos outros. Sheridan Voysey |“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„O maior dos convites


Ah! […] os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei… v.1


Recentemente, recebi vários convites via e-mail. Alguns 
convidando-me a participar de seminários “grátis” sobre a aposentadoria, imóveis e seguros de vida que foram imediatamente descartados. Mas o convite para uma reunião em homenagem a um amigo de longa data me fez responder imediatamente: “Sim! Aceito. Convite + Desejo = Aceitação”.

Isaías 55:1 traz um dos maiores convites da Bíblia. O Senhor disse ao Seu povo que estava em circunstâncias difíceis, “Vinde, vós todos os que têm sede, vinde às águas; e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei! Vinde, comprai vinho e leite sem dinheiro e sem custo.” Esta é a extraordinária oferta de Deus para a nutrição interior, profunda satisfação espiritual, e vida eterna (vv.2,3).

O convite de Jesus é repetido no último capítulo da Bíblia: “O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida” (Apocalipse 22:17).

Muitas vezes pensamos em vida eterna como um início depois de morrermos. Na verdade, ela começa quando recebemos Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor.

O convite de Deus para termos a vida eterna nele é o maior convite de todos! Convite + Desejo = Aceitação.

Quando aceitamos o convite de Jesus para segui-lo, 
toda a nossa vida muda de direção. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Apenas para pecadores

O cobrador de impostos. . . Bateu o peito, dizendo: “Deus, misericordia-me pecador!” - Lucas 18:13

Um artigo no The Grand Rapids Press descreveu uma mulher que superou seu hábito de beber, mas só depois que ela admitiu que tinha um problema. Ela disse que o "momento emocional" veio quando ela disse: "Sou Betty e sou alcoólatra".

Ela vinha dizendo que sua fala arrastada, sonolência e outros problemas se deviam à medicação que tomava para uma doença crônica. Mas a família sabia a causa real e a confrontou. Como resultado, ela finalmente enfrentou seu problema. Antes disso, ela era um caso sem esperança. Mas quando ela disse: "Sou alcoólatra", havia esperança.

É da mesma maneira com a salvação. Enquanto uma pessoa der desculpas por seu comportamento pecaminoso, ele nunca experimentará a libertação. É somente quando ele admite: "Eu sou um pecador e não posso salvar a mim mesmo", que o Senhor o livrará do pecado e de suas terríveis conseqüências. O orgulhoso e arrogante fariseu de Lucas 18 foi perdido. O cobrador de impostos, no entanto, reconheceu sua pecaminosidade e “foi justificado em sua casa” (v.14).

Se você nunca fez isso antes, admita sua culpa e receba o Senhor Jesus como seu Salvador. Lembre-se, a salvação é apenas para pecadores.

Nada consegui, mas o que recebi,
Grace concedeu desde que eu acreditei;
Gozando excluído, orgulho que eu abato
- sou apenas um pecador salvo pela graça! -Cinzento

Jesus pode transformar o pecador mais sujo no melhor santo. Richard DeHaan“

—  ministério_pão_diário

Keanu Reeves photo
Fernando Henrique Cardoso photo

„Pensei que você ia me dizer que vinha visitar o filho da Xuxa. Aliás, eu não tive nada com isso.“

—  Fernando Henrique Cardoso Sociólogo e político brasileiro, ex-presidente do Brasil 1931

Fernando Henrique Cardoso, presidente da República, para o colega argentino Carlos Menem, que ligou para saudá-lo pela privatização da Telebrás
"Nem eu!"
Carlos Menem, presidente argentino, respondendo a FHC
Fonte: Revista Veja http://veja.abril.com.br/231298/p_012.html de 23/12/98

Mário Quintana photo

„O milagre não é dar vida ao corpo extinto, Ou luz ao cego, ou eloquência ao mudo… Nem mudar água pura em vinho tinto… Milagre é acreditarem nisso tudo!“

—  Mário Quintana Escritor brasileiro 1906 - 1994

Dos Milagres
Variante: DOS MILAGRES

O milagre não é dar vida ao corpo extinto,
Ou luz ao cego, ou eloquência ao mudo...
Nem mudar água pura em vinho tinto...
Milagre é acreditarem nisso tudo!

Silvio Santos photo
Pródico photo

„O sol, a lua e os rios e as fontes e, em geral, tudo o que é benéfico para a nossa vida, os antigos lhes chamou para a sua utilidade, tal como os egípcios fizeram com o Nilo, e pela questão do pão foi chamado Deméter, e o vinho por Dioniso, e da água por Poseidon, e o fogo por Hephaestus e assim por cada coisa que fazemos é útil.“

—  Pródico um dos principais sofistas daquela época -460 - -380 a.C.

Il sole e la luna e i fiumi e le fonti e in genere tutto ciò che giova alla nostra vita, gli antichi li chiamavano dei per la loro utilità, come gli Egiziani fanno per il Nilo, e per questo il pane fu chiamato Demetra, e il vino Dioniso, e l'acqua Poseidone, e il fuoco Efesto e cosí ciascuna cosa che ci è utile. (da Le Ore, frammento 5)
da Le Ore, frammento 5); As Horas, fragmento 5

José Lins do Rego photo
Charles Baudelaire photo

„É preciso estar sempre embriagado. Para não sentirem o fardo incrível do tempo, que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso. Com quê? Com vinho, poesia, ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se.“

—  Charles Baudelaire, livro Le Spleen de Paris

Il faut être toujours ivre. Tout est là: c'est l'unique question. Pour ne pas sentir l'horrible fardeau du Temps qui brise vos épaules et vous penche vers la terre, il faut vous enivrer sans trêve. Mais de quoi? De vin, de poésie ou de vertu, à votre guise. Mais enivrez-vous.
Petits poèmes en prose (le spleen de Paris)‎ - Página 63, Charles Baudelaire, Melvin Zimmerman - Manchester University Press ND, 1968, ISBN 0719002982, 9780719002984 - 196 páginas

Francois Rabelais photo

„O vinho tem o poder de encher a alma de toda a verdade, de todo o saber e filosofia.“

—  Francois Rabelais 1494 - 1553

le vin possède le pouvoir de remplir l’âme de toute vérité, de tout savoir et de toute philosophie.
Oeuvres complètes, Volume 7 de Oeuvres de François Rabelais - Página 909, François Rabelais, ‎Abel Lefranc - H. et E. Champion, 1913

Clarice Lispector photo
Mark Twain photo

„Meus livros são água; aqueles dos grandes gênios são vinho, mas todos bebem água.“

—  Mark Twain escritor, humorista e inventor norte-americano 1835 - 1910

Variante: Meus livros são água; aqueles dos grandes gênios são vinho? e todos bebem água.

Tati Bernardi photo
Carl Gustav Jung photo
Victor Hugo photo
Pablo Neruda photo

„…e para não tombar, para afirmar-me sobre a terra, continuar lutando, deixa em meu coração o vinho errante e o pão implacável da tua doçura.“

—  Pablo Neruda Escritor 1904 - 1973

Y para no caer, para afirmarme sobre la tierra, continuar luchando, deja en mi corazón el vino errante y el implacable pan de tu dulzura.
Canto general: Volume 1 - página 72, Pablo Neruda - Editorial Losada, 1955 - 206 páginas

Anne Rice photo

„Era nisso que ele acreditava, em que sempre acreditou quando eu falava e falava sobre a bondade? Estaria ele fazendo o violino dizer isso? Estaria criando deliberadamente aquelas notas longas, puras e transparentes para dizer que a beleza não significava nada porque vinha do desespero dentro dele e que afinal não tinha nada a ver com o desespero, porque o desespero não era belo e então a beleza não passava de uma horrível ironia? A beleza não era a traição que ele imaginava ser, era mais uma terra desconhecida na qual se poderiam cometer mil erros fatais, um paraíso selvagem e indiferente sem indicações claras do bem e do mal. Apesar de todos os refinamentos da civilização que conspiraram para produzir a arte — a estonteante perfeição do quarteto de cordas ou o exuberante esplendor das telas de Fragonard — a beleza era selvagem. Era tão perigosa e sem lei quanto a terra fora milênios antes que o homem tivesse elaborado um único pensamento coerente ou escrevesse códigos de conduta em tábuas de argila. A beleza era um Jardim Selvagem. Assim, por que iria feri-lo o fato de mesmo a música mais desesperadora estar cheia de beleza? Por que isso iria magoá-lo, torná-lo cínico, triste e desconfiado? O bem e o mal são conceitos criados pelo homem. E o homem é melhor, de fato, do que o Jardim Selvagem. Mas talvez bem no íntimo, Nicki sempre tenha sonhado com uma harmonia entre todas as coisas, que eu sempre soube ser impossível. Nicki não sonhara com a bondade, mas sim com a justiça.“

—  Anne Rice, livro O Vampiro Lestat

O Vampiro Lestat

Jack Kerouac photo

„A minha falha e o meu fracasso não são as minhas paixões, mas a falta de controle sobre elas.“

—  Jack Kerouac 1922 - 1969

My fault, my failure, is not in the passions I have, but in my lack of control of them.
citado em "The birth of the beat generation: visionaries, rebels, and hipsters, 1944-1960." - página 87, Steven Watson - Pantheon Books, 1995, ISBN 0679423710, 9780679423713 - 387 páginas
Atribuídas

Francisco de Assis photo
São Basílio photo
Friedrich Nietzsche photo
George G. Byron photo
Fernando Pessoa photo
Juan Luis Vives photo

„Enquanto está na garrafa, o vinho é meu escravo; fora da garrafa, sou escravo dele.“

—  Juan Luis Vives 1492 - 1540

citado em "Vinhos‎" - Página 204, de Sérgio de Paula Santos - T.A. Queiroz, Editor, 1982 - 260 páginas

Nelson Piquet photo

„Eu sabia que era só atiçar que ele (Mansell) vinha. E o babaca veio.“

—  Nelson Piquet 1952

Piquet conta como venceu O GP da Austrália, em Adelaide, em 1990. O piloto brasileiro ocupou o trilho limpo da pista e escancarou a parte suja para Mansell executar a ultrapassagem na última curva. Depois fechou o inglês, com lícita e milimétrica precisão, numa manobra que, além da vitória, rendeu a Nélson Piquet o 3º lugar no Mundial de Pilotos de 1990, no Grande Prêmio de número 500 da Fórmula 1".
matéria do jornalista Lemyr Martins na coluna "Retrovisor" em 2001

William Shakespeare photo
Clive Staples Lewis photo
Nelson Angelo Piquet photo
Eurípedes photo

„Sem vinho não há amor.“

—  Eurípedes poeta trágico grego -480 - -406 a.C.

Omar Khayyam photo

„Beba vinho, é tudo o que a juventude lhe proporcionará. É tempo de vinho, flores e amigos bêbados. Seja feliz nesse momento. Este momento é a sua vida.“

—  Omar Khayyam 1048 - 1131

Drink wine, this is life eternal, This, all that youth will give you: It is the season for wine, roses and friends drinking together, Be happy for this moment - it is all life is.
The Ruba'iyat of Omar Khayyam - página 133, Omar Khayyam, Peter Avery, John Heath-Stubbs - A. Lane, 1979, ISBN 0713911344, 9780713911343 - 128 páginas

Jon Bon Jovi photo
Carlos Drummond de Andrade photo

„Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo.“

—  Carlos Drummond de Andrade Poeta brasileiro 1902 - 1987

nada consta em [2] e [3]vide Bibliografia, carece de fontes
Sem referencial bibliográfico

Afonso Henriques de Lima Barreto photo
Flávio Gikovate photo
Hubrecht Duijker photo

„A vida é curta demais para se beber maus vinhos.“

—  Hubrecht Duijker 1942

Das Leben ist zu kurz, um schlechten Wein zu trinken
citado em "Das Deutsche Weinmagazin‎", Dr. Fraund GmbH, 1997

Isak Dinesen photo

„O amor entre jovens é um negócio impiedoso. Nessa idade bebemos de sede ou para nos embriagar; só mais tarde nos ocupamos com a individualidade de nosso vinho.“

—  Isak Dinesen 1885 - 1962

Love, with very young people, is a heartless business. We drink at that age from thirst, or to get drunk; it is only later in life that we occupy ourselves with the individuality of our wine.
Seven Gothic tales‎ - Volume 687, Parte 8175, Página 83, de Isak Dinesen, Dorothy Canfield Fisher - H. Smith and R. Haas, 1934 - 420 páginas http://books.google.com.br/books?id=bewwAAAAIAAJ

Charles Baudelaire photo
Jean Cocteau photo
Juan Luis Vives photo

„O vinho é sepultura da memória.“

—  Juan Luis Vives 1492 - 1540

Variante: O vinho é a sepultura da memória.

Júlio Dinis photo
Fidel Castro photo
William Shakespeare photo
John Steinbeck photo

„Os pequenos fazendeiros observam como as dívidas sobem insensivelmente, como o crescer da maré. Cuidaram das árvores sem vender a colheita, podaram e enxertaram e não puderam colher as frutas.
Este pequeno pomar, para o ano que vem, pertencerá a uma grande companhia, pois o proprietário será sufocado por dívidas.
Este parreiral passará a ser propriedade do banco. Apenas os grandes proprietários podem subsistir, visto que também possuem fábricas de conservas.
A podridão alastra por todo o Estado e o cheiro doce torna-se uma grande preocupação nos campos. E o malogro paira sobre o Estado como um grande desgosto.
As raízes das vides e das árvores têm de ser destruídas, para se poderem manter os preços elevados. É isto o mais triste, o mais amargo de tudo. Carradas de laranjas são atiradas para o chão. O pessoal vinha de milhas de distâncias para buscar as frutas, mas agora não lhes é permitido fazê-lo. Não iam comprar laranjas a vinte cents a. dúzia, quando bastava pular do carro e apanhá-las do chão. Homens armados de mangueiras derramam querosene por cima das laranjas e enfurecem-se contra o crime, contra o crime daquela gente que veio à procura das frutas. Um milhão de criaturas com fome, de criaturas que precisam de frutas… e o querosene derramado sobre as faldas das montanhas douradas.
O cheiro da podridão enche o país.
Queimam café como combustível de navios. Queimam o milho para aquecer; o milho dá um lume excelente. Atiram batatas aos rios, colocando guardas ao longo das margens, para evitar que o povo faminto intente pescá-las. Abatem porcos, enterram-nos e deixam a putrescência penetrar na terra.
Há nisto tudo um crime, um crime que ultrapassa o entendimento humano. Há nisto uma tristeza, uma tristeza que o pranto não consegue simbolizar. Há um malogro que opõe barreiras a todos os nossos êxitos; à terra fértil, às filas rectas de árvores, aos troncos vigorosos e às frutas maduras. Crianças atingidas de pelagra têm de morrer porque a laranja não pode deixar de proporcionar lucros. Os médicos legistas devem declarar nas certidões de óbito; "Morte por inanição", porque a comida deve apodrecer, deve, por força, apodrecer.
O povo vem com redes para pescar as batatas no rio, e os guardas impedem-nos. Os homens vêm nos carros ruidosos apanhar as laranjas caídas no chão, mas as laranjas estão untadas de querosene. E ficam imóveis, vendo as batatas passarem flutuando; ouvem os gritos dos porcos abatidos num fosso e cobertos de cal viva; contemplam as montanhas de laranja, rolando num lodaçal putrefacto. Nos olhos dos homens reflecte-se o malogro. Nos olhos dos esfaimados cresce a ira. Na alma do povo, as vinhas da ira crescem e espraiam-se pesadamente, pesadamente amadurecendo para a vindima.“

—  John Steinbeck 1902 - 1968

Lygia Fagundes Telles photo
Douglas Adams photo

„Um imenso animal leiteiro aproximou-se da mesa de Zaphod Beeblebrox. Era um enorme e gordo quadrúpede do tipo bovino, com olhos grandes e protuberantes, chifres pequenos e um sorriso nos lábios que era quase simpático.
– Boa noite – abaixou-se e sentou-se pesadamente sobre suas ancas –, sou o Prato do Dia. Posso sugerir-lhes algumas partes do meu corpo? – Grunhiu um pouco, remexeu seus quartos traseiros buscando uma posição mais confortável e olhou pacificamente para eles.
Seu olhar se deparou com olhares de total perplexidade de Arthur e Trillian, uma certa indiferença de Ford Prefect e a fome desesperada de Zaphod Beeblebrox.
– Alguma parte do meu ombro, talvez? – sugeriu o animal. – Um guisado com molho de vinho branco?
– Ahn, do seu ombro? – disse Arthur, sussurrando horrorizado.
– Naturalmente que é do meu ombro, senhor – mugiu o animal, satisfeito –, só tenho o meu para oferecer.
Zaphod levantou-se de um salto e pôs-se a apalpar e sentir os ombros do animal, apreciando.
– Ou a alcatra, que também é muito boa – murmurou o animal. – Tenho feito exercícios e comido cereais, de forma que há bastante carne boa ali. – Deu um grunhido brando e começou a ruminar. Engoliu mais uma vez o bolo alimentar. – Ou um ensopado de mim, quem sabe? – acrescentou.
– Você quer dizer que este animal realmente quer que a gente o coma? – cochichou Trillian para Ford.
– Eu? – disse Ford com um olhar vidrado. – Eu não quero dizer nada.
– Isso é absolutamente horrível – exclamou Arthur -, a coisa mais repugnante que já ouvi.
– Qual é o problema, terráqueo? – disse Zaphod, que agora observava atentamente o enorme traseiro do animal.
– Eu simplesmente não quero comer um animal que está na minha frente se oferecendo para ser morto – disse Arthur. – É cruel!
– Melhor do que comer um animal que não deseja ser comido – disse Zaphod.
– Não é essa a questão – protestou Arthur. Depois pensou um pouco mais a respeito. – Está bem – disse –, talvez essa seja a questão. Não me importa, não vou pensar nisso agora. Eu só… ahn…
O Universo enfurecia-se em espasmos mortais.
– Acho que vou pedir uma salada – murmurou.
– Posso sugerir que o senhor pense na hipótese de comer meu fígado? Deve estar saboroso e macio agora, eu mesmo tenho me mantido em alimentação forçada há meses.
– Uma salada verde – disse Arthur, decididamente.
– Uma salada? – disse o animal, lançando um olhar de recriminação para ele.
– Você vai me dizer – disse Arthur – que eu não deveria comer uma salada?
– Bem – disse o animal –, conheço muitos legumes que têm um ponto de vista muito forte a esse respeito. E é por isso, aliás, que por fim decidiram resolver de uma vez por todas essa questão complexa e criaram um animal que realmente quisesse ser comido e que fosse capaz de dizê-lo em alto e bom tom. Aqui estou eu!
Conseguiu inclinar-se ligeiramente, fazendo uma leve saudação.
– Um copo d’água, por favor – disse Arthur.
– Olha – disse Zaphod –, nós queremos comer, não queremos uma discussão. Quatro filés malpassados, e depressa. Faz 576 bilhões de anos que não comemos.
O animal levantou-se. Deu um grunhido brando.
– Uma escolha muito acertada, senhor, se me permite. Muito bem – disse –, agora é só eu sair e me matar.
Voltou-se para Arthur e deu uma piscadela amigável.
– Não se preocupe, senhor, farei isso com bastante humanidade.“

—  Douglas Adams, livro The Restaurant at the End of the Universe

The Restaurant at the End of the Universe

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Patrick Rothfuss photo
Jean Anthelme Brillat-Savarin photo

„O vinho, a mais gentil das bebidas, devido quer a Noé, que plantou a vinha, quer a Baco, que espremeu o sumo de uva, data da infância do mundo.“

—  Jean Anthelme Brillat-Savarin político francês 1755 - 1826

Le vin, la plus aimable des boissons, soit qu'on le doive à Noé, qui planta la vigne, soit qu'on le doive à Bacchus, qui a exprimé le jus du raisin, date de l'enfance du monde
Physiologie du goût, ou méditations de gastronomie transcendante‎ - Tome I, Página 259 http://books.google.com.br/books?id=3M86AAAAcAAJ&pg=RA2-PA259, Jean Anthelme Brillat-Savarin - Tessier, 1838 - 384 páginas

Johann Wolfgang von Goethe photo

„A juventude é a embriaguez sem vinho.“

—  Johann Wolfgang von Goethe escritor alemão 1749 - 1832

Jugend ist Trunkenheit ohne Wein
Goethes Werke: Vollstandige Ausgabe letzter Hand, Volume 5‎ - Página 200, Johann Wolfgang von Goethe - J.G. Cotta, 1828

Leo Buscaglia photo
Li Bai photo
Marcel Proust photo

„Mas no mesmo instante em que aquele gole, de envolta com as migalhas do bolo, tocou meu paladar, estremeci, atento ao que se passava de extraordinário em mim. Invadira. me um prazer delicioso, isolado, sem noção de sua causa. Esse prazer logo me tornaria indiferente às vicissitudes da vida, inofensivos seus desastres, ilusória sua brevidade, tal como o faz o amor, enchendo-me de uma preciosa essência: ou antes, essa essência não estava em mim, era eu mesmo. Cessava de me sentir medíocre, contingente, mortal. De onde me teria vindo aquela poderosa alegria? Senti que estava ligada ao gosto do chá e do bolo, mas que ultrapassava infinitamente e não devia ser da mesma natureza. De onde vinha? Que significava? Onde apreendê-la? Bebo um segundo gole que me traz um pouco menos que o segundo. É tempo de parar, parece que está diminuindo a virtude da bebida. É claro que a verdade que procuro não está nela, mas em mim. A bebida a despertou, mas não a conhece, e só o que pode fazer é repetir indefinidamente, cada vez com menos força, esse mesmo testemunho que não sei interpretar e que quero tornar a solicitar-lhe daqui a um instante e encontrar intato a minha disposição, para um esclarecimento decisivo. Deponho a taça e volto-me para meu espírito. É a ele que compete achar a verdade. Mas como? Grave incerteza, todas as vezes em que o espírito se sente ultrapassado por si mesmo, quando ele, o explorador, é ao mesmo tempo o país obscuro a explorar e onde toso o seu equipamento de nada lhe servirá. Explorar? Não apenas explorar: criar. Está diante de qualquer coisa que ainda não existe e a que só ele pode dar realidade e fazer entrar em sua luz.“

—  Marcel Proust Escritor francês 1871 - 1922

No caminho de Swann

Benjamin Franklin photo

„Toma conselhos com o vinho, mas toma decisões com a água.“

—  Benjamin Franklin político e fundador dos EUA 1706 - 1790

Take counsel in wine, but resolve afterwards in water.
"The sayings of Poor Richard: wit, wisdom, and humor of Benjamin Franklin in the proverbs and maxims of Poor Richard's almanacks for 1733 to 1758" - página 6, Benjamin Franklin, Thomas Herbert Russell, Veterans of Foreign Wars. Americanization Dept - Americanization department, Veterans of foreign wars of the United States, 1926 - 39 páginas

Cícero photo
Cornelia Funke photo
Fernando Pessoa photo

„Eram dois e belos e desejavam ser outra coisa; o amor tardava-lhes no tédio do futuro, e a saudade do que haveria de ser vinha já sendo filha do amor que não tinham tido.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

"Autobiografia sem Factos". Assírio & Alvim, Lisboa, 2006, p. 288
Autobiografia sem Factos

Francois Rabelais photo

„O bom vinho alegra o coração do homem.“

—  Francois Rabelais 1494 - 1553

le bon vin réjouit le cœur de l'homme
"Le Tiers livre" - Página 482; de François Rabelais, Pierre Michel - Publicado por le Livre de poche, 1966 - 542 páginas

Francois Rabelais photo

„Um homem nobre nunca odeia um bom vinho: é um preceito monarcal“

—  Francois Rabelais 1494 - 1553

Jamais un homme noble ne hait le bon vin : c'est un précepte monacal.
"Oeuvres complètes Gargantua Pantagruel Le tiers livre Le quart livre Le cinquième et dernier livre Lettres et oeuvres diverses Gargantua Pantagruel Le tiers livre Le quart livre Le cinquième et dernier livre Lettres et oeuvres diverses" - Página 11; de François Rabelais, Guy Demerson, Michel Renaud, Geneviève Demerson - Publicado por Editions du Seuil, 1995 - 1579 páginas

Gabriel García Márquez photo
Galvão Bueno photo
Georges Courteline photo

„Melhor beber muito vinho bom do que pouco vinho ruim.“

—  Georges Courteline 1858 - 1929

Mieux vaut boire trop de bon vin qu'un petit peu de mauvais
Les oeuvres complétes de Georges Courteline [pseud.]: Philosophie, suivie de Pochades et croquis‎ - Vol. 13, Página 55, de Georges Courteline - F. Bernouard, 1925

Hugo Chávez photo

„Jesus foi o primeiro socialista: ele dividiu o pão e o vinho, e Judas foi o primeiro capitalista: vendeu Jesus por trinta moedas.“

—  Hugo Chávez 52º Presidente da Venezuela 1954 - 2013

Resposta dada quando perguntado se acredita em Deus no programa "Roda Viva" da TV Cultura; entrevista http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/7/entrevistados/hugo_chavez_2005.htm de 15/03/2005

Cardeal de Richelieu photo

„Se Deus tivesse proibido o vinho, porque o teria feito tão saboroso?“

—  Cardeal de Richelieu 1585 - 1642

Si Dieu défendait de boire, aurait-il fait ce vin si bon ?
Cardeal de Richelieu citado em "Nos vins de France: Comment les classer, les vinitier, les conserver, les présenter", Volume 1 de Nos vins de France, de Raymond Brunet, 3a. ed., Editora Librairie agricole, 1934

„Nada enternece mais uma mulher do que o rosto do amante, dormindo. Ela se debruça sobre a face do amado e descobre que eram simples palavras todas as valentias que ele lhe vinha dizendo ou dando a entender.“

—  Antônio Maria 1921 - 1964

Fonte: O jornal de Antônio Maria‎ - Página 42, de Antônio Maria - Publicado por Ed. Saga, 1968 - 142 páginas

„Não se recusa um vinho maduro, sejam quais forem as circunstâncias.“

—  Antônio Maria 1921 - 1964

Benditas sejam as moças: as crônicas de Antônio Maria‎, de Antônio Maria, Joaquim Ferreira dos Santos, Antônio Maria, Joaquim Ferreira dos Santos - Publicado por Agir Editora, 2002 ISBN 8520006213, 9788520006214 - 126 páginas

Robert Fripp photo

„A música é a taça que segura o vinho do silêncio.“

—  Robert Fripp Guitarrista, compositor e produtor musical britânico 1946

Mariza photo
Jaime de Magalhães Lima photo
Omar Khayyam photo

„Ouço dizer que os amantes do vinho serão danados no inferno. Não é verdade, mas há mentiras evidentes. Se os que amam o vinho e o amor vão para o inferno, o paraíso deve estar vazio.“

—  Omar Khayyam 1048 - 1131

citado em Anais da Câmara dos Deputados - página 369, Brazil. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados, Brazil. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados. Diretoria de Documentação e Publicidade, Brazil. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e Informação - 1971
Atribuídas

Cesar Maia photo

„“Aquilo que entrava por baixo da porta de Lula não era chocolate, comissário Tarso Béria. Era lama que vinha das salas do lado de seus principais assessores. Não respingava, mas Lula se atolava nela. E… nem sentia???““

—  Cesar Maia Político Brasileiro 1945

Do prefeito Cesar Maia, do Rio, comentando a afirmação do ministro Tarso Genro de que o escândalo do mensalão não respinga no presidente; citado em Revista Veja http://veja.abril.com.br/290807/vejaessa.shtml, edição 2023, de 29 de agosto de 2007

Duff Cooper photo

„O vinho tornou-me audacioso, não louco; incitou-me a dizer asneiras, não a fazê-las.“

—  Duff Cooper 1890 - 1954

Wine has made me bold but not foolish; has induced me to say silly things but not to do them.
Old Men Forget: The Autobiography of Duff Cooper (Viscount Norwich)‎ - Página 65, de Duff Cooper - Publicado por Hart-Davis, 1953 - 399 páginas

Papa Bento XVI photo

„Após o grande papa João Paulo II, os cardeais escolheram a mim, um simples, humilde trabalhador da vinha do Senhor.“

—  Papa Bento XVI professor académico alemão, Papa Emérito 1927

Em seu primeiro pronunciamento como novo sumo pontífice da Igreja Católica
Papa

Dejan Petkovic photo
Raul Seixas photo
Roger Moore photo

„É preciso cuidar da alimentação, beber vinho e ter uma boa mulher“

—  Roger Moore Ator britânico, condecorado como Cavaleiro do Império Britânico 1927 - 2017

contando qual o segredo de sua boa forma aos 76 anos
Fonte: Revista ISTO É, Edição n. 1790.

Plínio, o Velho photo

„No vinho, a verdade.“

—  Plínio, o Velho 23 - 79

In vino veritas.
Plínio, o Velho citado em Commentarii ... in Proverbia Salomonis - Página 105 http://books.google.com.br/books?id=AeRDAAAAcAAJ&pg=PA105, Johannes Arboreus - 1549

Álvares de Azevedo photo

„Não há melhor túmulo para a dor do que uma taça cheia de vinho ou uns olhos negros cheios de languidez.“

—  Álvares de Azevedo poeta, ensaísta, contista e dramaturgo paulista (1831-1852) 1831 - 1852

Álvares de Azevedo, no livro Macário; (veja o obra completa no Wikisource)

Álvares de Azevedo photo

„Vais ler uma página da vida; cheia de sangue e de vinho…“

—  Álvares de Azevedo poeta, ensaísta, contista e dramaturgo paulista (1831-1852) 1831 - 1852

Álvares de Azevedo, no livro Macário; (veja o obra completa no Wikisource)

Pero Vaz de Caminha photo

„Antigamente vinha escrito no LP: Disco é cultura. Eu descordo.“

—  Zezé di Camargo

Zezé Di Camargo, em entrevista ao jornal O Globo
Fonte: Revista Veja, Edição 1 675 - 15/11/2000 http://veja.abril.com.br/151100/vejaessa.html

Guido van Rossum photo
Martha Medeiros photo

„Paciência só para o que importa de verdade. Paciência para ver a tarde cair. Paciência para sorver um cálice de vinho. Paciência para a música e para os livros. Paciência para escutar um amigo. Paciência para aquilo que vale nossa dedicação.“

—  Martha Medeiros escritora e jornalista brasileira 1961

"Coisas da vida: crônicas" - página 224, Martha Medeiros - L&PM Editores, 2005, ISBN 8525414816, 9788525414816 - 239 páginas

„O grau de civilização de um povo é sempre proporcional à qualidade e à quantidade dos vinhos que consome.“

—  Babrius

Babrius, citado em "Otávio Rocha, cem anos de vida colonial: cem anos de vida colonial‎" - Página 434, de Floriano Molon - Publicado por Escola Superior de Teologia São Lourenço do Brindes, 1982 - 446 páginas

Trent Reznor photo
John Steinbeck photo
Thomas Carlyle photo
Ovidio photo
Voltaire photo

„Não conheço nada mais sério do que a cultura da vinha.“

—  Voltaire volter também conhecido como bozo foia dona da petrobras e um grande filosofo xines 1694 - 1778

Cazuza photo
Álvares de Azevedo photo