Frases sobre paixão

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da paixão.

Tópicos relacionados

Total 553 citações paixão, filtro:


Daniel Goleman photo
John Locke photo
Publicidade
Caetano Veloso photo

„Meu fumo e minha ioga
Você é minha droga
Paixão e carnaval
Meu zen, meu bem, meu mal“

—  Caetano Veloso músico, produtor, arranjador e escritor brasileiro 1942
Trecho da música Meu Bem, Meu Mal

Pablo Neruda photo
 Talleyrand photo

„A questão é saber se há pessoas honestas quando o interesse ou a paixão estão em jogo.“

—  Talleyrand 1754 - 1838
La question est de savoir s’il y a des honnêtes gens, quand l’intérêt ou la passion est en jeu. Fontes: La Cofession de Talleyrand (1891) http://www.gutenberg.org/etext/20564; Chalita, Mansour. Os mais belos pensamentos de todos os tempos. 4 Edição. Rio de Janeiro: Assoc. Cultural Internac. Gibran. pág. 85.

Samuel Taylor Coleridge photo
Jean de La Bruyere photo

„O ciúme jamais está isento de uma ponta de inveja. Freqüentemente essas duas paixões estão confundidas.“

—  Jean de La Bruyere 1645 - 1696
Toute jalousie n'est point exempte de quelque sorte d'envie, et souvent même ces deux passions se confondent. Oeuvres de La Bruyère‎ - Página 56 http://books.google.com.br/books?id=5maDHUQkqEEC&pg=PA56, Jean de La Bruyere - chez A. Belin, imprimeur-libraire, 1820 - 416 páginas

René Descartes photo
Friedrich Nietzsche photo

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating
Luiz Inácio Lula da Silva photo
William Hazlitt photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Uma triste história de amor

Há Muito tempo
nos confins do universo
existia uma triste história de amor

A Morte se apaixonou pela solidão
e deste amor improvável
nasceu uma triste criança

A Solidão não suportava a sua tristeza
e todas as noites
ela era atormentada por sua terrível melancolia

A Morte ao escutar aquela criança chorar
seus olhos embargavam-se de sangue

O Universo estava em crise
os deuses questionavam a sua própria divindade
e a presença daquela inocente criança
faziam os diabos chorarem

Como em um conto de fadas
ou em uma poesia de amor
aquela criança trouxe a aquele mundo fantástico
sentimentos de dor

Mas que culpa tinha a pobre criança?

O brilho em seus olhos
expressavam a morte das estrelas
e as suas asas tão belas
eram negras como o próprio universo

A Solidão nunca foi capaz de amar
o seu próprio filho

E a sua paixão pela morte
era como uma sinfonia perfeita

A Morte não roubava a sua Solitude
e a solidão não entregava a Morte
sentimentos de dor

A Sinfonia de um relacionamento perfeito
deu origem a uma criança maldita

Com o universo em desequilíbrio
a solidão pegou o seu próprio filho em seus braços
e para não sacrificar a sua solitude
a arremessou no mundo dos homens

Essa criança sou eu…

A Minha alma foi aprisionada no corpo
de uma criança humana
eu cresci no lar de uma família
que nunca foi capaz de me amar

Caminhei sozinho durante noites solitárias
e as únicas coisas que me atraiam
eram as sinfonias das estrelas ao se apagarem

Eu sou o filho bastardo da solidão
e não há nada neste mundo
capaz de preencher o vazio que existe em meu peito

Se não fosse a música,
o diabo que vive em mim já teria enlouquecido

Eu passo noites de insônia acordado
escutando as mais melancólicas sinfonias
esperando que em uma bela manhã
a morte venha me encontrar

Deitado submerso em uma banheira
repleta de água
eu vejo o sangue dos meus punhos
fundirem-se com a canção das estrelas

A Solidão chorava por ter abandonado o seu próprio filho
e aquela pobre criança
que a muito tempo foi arremessada no mundo dos homens
sorri pela primeira vez
submersa em uma banheira de sangue“

—  Gerson De Rodrigues 1995

Manuel Maria Barbosa du Bocage photo

„Nas paixões a razão nos desampara(…).“

—  Manuel Maria Barbosa du Bocage 1765 - 1805
Soneto - A paixão triunfante apesar do raciocinio in: "Poesias" - Tomo I, Página 109 http://books.google.com.br/books?id=0rYFAAAAQAAJ&pg=PA218, de Manuel Maria Barbosa du Bocage, organizado por Innocencio Francisco da Silva e Luiz Augusto Rebello da Silva - Publicado por A.J.F. Lopes, 1853

Eça de Queiroz photo
 Voltaire photo

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“