„Para mim não há liberação à tout prix. Não poderia desembaraçar-me de algo que não possuo, que não fiz, nem vivi. Uma liberação real só é possível se fiz o que poderia fazer, se me entreguei totalmente a isso, ou se tomei totalmente parte nisso. Se me furtar a essa participação, amputarei de algum modo a parte de minha alma que a isso corresponde. É claro que essa participação pode me parecer demasiadamente penosa, e que eu tenha boas razões para não me entregar internamente a isso. Então, ver-me-ei constrangido a um non possumus e serei obrigado a reconhecer que talvez tenha omitido algo de essencial, que não cumpro uma tarefa. A consciência aguda de minha incapacidade compensa a ausência do ato positivo.
O homem que não atravessa o inferno de suas paixões também não as supera. Elas se mudam para a casa vizinha e poderão atear o fogo que atingirá sua casa sem que ele perceba. Se abandonarmos, deixarmos de lado, e de algum modo esquecermos-nos excessivamente de algo, correremos o risco de vê-lo reaparecer com a violência redobrada“

—  Carl Gustav Jung, Memories, Dreams, Reflections
Publicidade

Citações relacionadas

Ashleigh Brilliant photo
 Horacio photo
Publicidade
Arthur Schopenhauer photo
Clarice Lispector photo
Hugo Von Hofmannsthal photo
Carl Gustav Jung photo
Clarice Lispector photo
Friedrich Nietzsche photo
Publicidade
Oscar Wilde photo
Albert Einstein photo
Mia Couto photo
Albert Einstein photo
Publicidade
 Dalai Lama photo
Julien Green photo
Clarice Lispector photo
Próximo