Frases de Mário Quintana

Mário Quintana photo
396   148

Mário Quintana

Data de nascimento: 30. Julho 1906
Data de falecimento: 5. Maio 1994

Mário de Miranda Quintana foi um poeta, tradutor e jornalista brasileiro.

Mário Quintana fez as primeiras letras em sua cidade natal, mudando-se em 1919 para Porto Alegre, onde estudou no Colégio Militar, publicando ali suas primeiras produções literárias. Trabalhou para a Editora Globo e depois na farmácia paterna. Considerado o "poeta das coisas simples", com um estilo marcado pela ironia, pela profundidade e pela perfeição técnica, ele trabalhou como jornalista quase toda a sua vida. Traduziu mais de cento e trinta obras da literatura universal, entre elas Em Busca do Tempo Perdido de Marcel Proust, Mrs Dalloway de Virginia Woolf, e Palavras e Sangue, de Giovanni Papini.

Em 1953, Quintana trabalhou no jornal Correio do Povo, como colunista da página de cultura, que saía aos sábados, e em 1977 saiu do jornal. Em 1940, ele lançou o seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos, iniciando a sua carreira de poeta, escritor e autor infantil. Em 1966, foi publicada a sua Antologia Poética, com sessenta poemas, organizada por Rubem Braga e Paulo Mendes Campos, e lançada para comemorar seus sessenta anos de idade, sendo por esta razão o poeta saudado na Academia Brasileira de Letras por Augusto Meyer e Manuel Bandeira, que recita o poema Quintanares, de sua autoria, em homenagem ao colega gaúcho. No mesmo ano ganhou o Prêmio Fernando Chinaglia da União Brasileira de Escritores de melhor livro do ano. Em 1976, ao completar 70 anos, recebeu a medalha Negrinho do Pastoreio do governo do estado do Rio Grande do Sul. Em 1980 recebeu o prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra.

„"“O amor é quando a gente mora um no outro”“

—  Mário Quintana

(Mario Quintana) segundo informações foi expressa em uma entrevista em que se encontrava também sua amiga Bruna Lombardi.
Frases e Poemas

„Naquele dia fazia um azul tão límpido, meu Deus, que eu me sentia perdoado pra sempre não sei de quê.“

—  Mário Quintana

Variante: Naquele dia, fazia um azul tão límpido, meu Deus, que eu me sentia perdoado pra sempre. Nem sei de quê.

„Os verdadeiros analfabetos são aqueles que aprenderam a ler e não lêem.“

—  Mário Quintana

Variante: Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem.

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating

Autores parecidos

Caio Fernando Abreu photo
Caio Fernando Abreu439
escritor brasileiro
Augusto Cury photo
Augusto Cury243
Psiquiatra e Escritor brasileiro
Clarice Lispector photo
Clarice Lispector1132
Escritora ucraniano-brasileira
Monteiro Lobato photo
Monteiro Lobato34
escritor brasileiro
Jorge Amado photo
Jorge Amado144
escritor brasileiro
Adélia Prado photo
Adélia Prado62
Poetisa e escritora brasileira
Paulo Coelho photo
Paulo Coelho389
escritor e letrista brasileiro
Cora Coralina photo
Cora Coralina34
poetisa e contista brasileira
Aniversários de hoje
Daminhão Experiença photo
Daminhão Experiença26
1935 - 2016
Jacques Bénigne Bossuet photo
Jacques Bénigne Bossuet5
Teórico Absolutista do século XVII 1627 - 1704
Avril Lavigne photo
Avril Lavigne15
Cantora e compositora do Canadá 1984
Edgar Degas photo
Edgar Degas2
1834 - 1917
Outros 45 aniversários hoje
Autores parecidos
Caio Fernando Abreu photo
Caio Fernando Abreu439
escritor brasileiro
Augusto Cury photo
Augusto Cury243
Psiquiatra e Escritor brasileiro
Clarice Lispector photo
Clarice Lispector1132
Escritora ucraniano-brasileira
Monteiro Lobato photo
Monteiro Lobato34
escritor brasileiro
Jorge Amado photo
Jorge Amado144
escritor brasileiro