Frases sobre cavalos

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da cães, gato, animal, cavalo.

Melhores frases sobre cavalos

Guilherme II da Alemanha photo
Teofrasto photo

„Um orador sem critério é como um cavalo sem freio.“

—  Teofrasto -371 - -287 a.C.

Fonte: Chalita, Mansour. Os mais belos pensamentos de todos os tempos. 4 Edição. Rio de Janeiro: Assoc. Cultural Internac. Gibran. pág. 76.

João Baptista de Oliveira Figueiredo photo

„Prefiro cheiro de cavalo do que cheiro de povo.“

—  João Baptista de Oliveira Figueiredo militar e político brasileiro, 30º presidente do Brasil 1918 - 1999

Fonte: Brasil:uma história, por Eduardo Bueno, página 383, editora Ática, ISBN 8508082134, 9788508082131

Leonel de Moura Brizola photo

„Nao existe um cavalo sem ferradura, mas no Brasil, existe crianca descalca.“

—  Leonel de Moura Brizola 1922 - 2004

Frase retirada de um video da pagina do Facebook do Vereador Leonol Brizola.
Fonte: Vereador Leonel Brizola

Matsuo Bashō photo
Tati Bernardi photo

„E chega! Há anos peço o príncipe, e só me mandam o cavalo.“

—  Tati Bernardi 1979

Variante: E chega! Há anos peço o príncipe e só me mandam o cavalo.

Ibrahim Sued photo

„Olho vivo, que cavalo não desce escada.“

—  Ibrahim Sued jornalista brasileiro 1924 - 1995

citado em A coluna de Ibrahim Sued - um gênero jornalístico de Isabel Travancas http://www.bocc.ubi.pt/pag/travancas-isabel-coluna-ibrahim-sued.html

Hegel photo

„Napoleão é o espírito do mundo a cavalo.“

—  Hegel professor académico alemão 1770 - 1831

Hegel citado em "Cadernos do cárcere", Volume 1 - Página 386, Antonio Gramsci, Carlos Nelson Coutinho - Editora Record, 2001, ISBN 852000511X, 9788520005118 - 496 páginas
Atribuídas

Thomas Mann photo

Todas frases sobre cavalos

Total 123 citações cavalo, filtro:

Platão photo

„O corpo humano é a carruagem, eu, o homem que a conduz, os pensamentos as rédeas, os sentimentos são os cavalos.“

—  Platão filósofo grego -427 - -347 a.C.

Variante: O corpo humano é a carruagem. Eu, o homem que a conduz. O pensamento, as rédeas. Os sentimentos, os cavalos.

Mark Twain photo

„Não seria bom se todos nós pensássemos da mesma forma. É a diferença de opinião que promove as corridas de cavalo.“

—  Mark Twain escritor, humorista e inventor norte-americano 1835 - 1910

It were not best that we should all think alike; it is difference of opinion that makes horse races.
The Mark Twain omnibus: drawn from the works of Mark Twain [pseud.] - página 154, Mark Twain - Harper, 1935 - 441 páginas

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Esquizofrenias & Metáforas

Se as estrelas fossem
capazes de escrever poesias
escreveriam sobre a morte do universo
não há nada mais poético
do que a arte de morrer

Se os deuses descessem dos céus
e me oferecessem uma nova vida
eu a aceitaria!
só pelo prazer de me enforcar
nos cordões umbilicais
e apodrecer nas entranhas
da minha própria mãe

Achas que eu sou louco?
me consideras insano?

Não tentem compreender os meus poemas
se não consegues ouvir as vozes em sua mente

Os Filósofos e os Poetas
são como os Deuses e os Diabos
eles podem elevar os homens aos céus,
ou submetê-los a vermes insignificantes

Sinto o vírus da vida corroer as minhas entranhas
desde as auroras do meu nascimento

Eu sou um homem falho
um anjo caído que não foi capaz amar

Fazem dias que eu não consigo dormir
nos devaneios da minha mente insana
mato-me todas as noites
para suportar a dor

A Filosofia e a insônia
são como a noite e as estrelas
lábios que nos beijam e nos levam a loucura

É Por isso que as mentes mais insanas
compartilham com a noite
o desejo da morte que apenas as estrelas podem compreender

Em uma destas noites frias
uma sinfonia terrível rasgou os céus
anjos e demônios caíram sem as suas asas
crianças choravam e gritavam

- Deus! Deus!
gritavam os fiéis

Aquela silenciosa e melancólica noite
havia se tornado um terrível pesadelo

A Morte e o Diabo
invadiram o meu quarto com o seu cavalo de fogo
beijaram-se sobre a minha cama
enquanto gargalhavam sobre as minhas descrenças

Acreditei fielmente que a morte iria
me poupar deste inferno
lancei-me aos seus pés de joelhos

Gritando como um homem louco!

- Joguem-me em uma vala qualquer!
me enterrem vivo!
mesmo que eu grite por misericórdia
ou arranque as minhas próprias tripas em desespero
matem-me sem nenhum perdão

Ela sorriu de tal maneira
e com uma voz cruel gritou em meus ouvidos

- Se queres morrer
Viva intensamente!

Viva até que os vermes tenham pena da sua carcaça
viva até que os deuses desçam dos céus em suas carruagens
e implorem a ti pelo suicídio final“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Niilismo Poesia Fernando Pessoa

Graciliano Ramos photo
Virginia Woolf photo

„Arranquei do calendário os dias de Maio e de Junho, disse Susan, e vinte e dois dias de Julho. Arranquei-os e amarfanhei-os, e por isso já só existem como um peso no meu coração. São dias mutilados, como borboletas nocturnas com as asas arrancadas, incapazes de voar. Já só faltam oito dias. Dentro de oito dias, descerei do comboio e ficarei parada no cais às seis e vinte e cinco. A minha liberdade vai então desabrochar, fazendo estalar todas as obrigações que me tolhem e diminuem — os horários, a ordem, a disciplina, o ter de estar aqui e ali a horas certas. O dia explodirá de brilho quando eu abrir a porta e vir o meu pai com o seu velho chapéu e as polainas. Vou tremer. Romper em lágrimas. Depois, na manhã seguinte, levanto-me de madrugada. Saio pela porta da cozinha. Irei pelo paul, ouvindo trovejar atrás de mim os grandes cavalos montados por fantasmas que de súbito se detêm. Verei a andorinha roçando a erva. Vou atirar-me para um banco junto ao rio e ficar a ver os peixes deslizando entre os juncos. Terei nas palmas das mãos as marcas das agulhas dos pinheiros. Então poderei desdobrar e examinar com atenção tudo o que aqui nasceu em mim, qualquer coisa de duro. Porque alguma coisa cresceu dentro de mim, através do Inverno e do Verão, dos dormitórios e escadarias. Ao contrário de Jinny não quero ser admirada. Não quero que as pessoas ergam os olhos de admiração quando entro. Quero dar e receber e quero a solidão onde possa desdobrar em paz tudo o que possuo.“

—  Virginia Woolf, livro The Waves

The Waves

Milan Kundera photo
Märtha Louise da Noruega photo

„Quando cuidei de cavalos entrei em contato com anjos. Ultimamente tenho compreendido o valor deste dom importante e quero dividir isto com outras pessoas, talvez com você“

—  Märtha Louise da Noruega 1971

A princesa Märtha Louise sobre seu centro de terapia alternativa; citado por BBC Brasil http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2007/07/070725_princesanoruegaanjosfn.shtml, 25 de julho de 2007

Haile Selassie photo
Elon Musk photo
Rachel de Queiroz photo
Luiz Inácio Lula da Silva photo
Nicolau Maquiavel photo
Jiddu Krishnamurti photo
Jack London photo
João Baptista de Oliveira Figueiredo photo
John Heywood photo

„Um homem pode muito bem levar um cavalo até a água, mas ele não pode obrigá-lo a bebê-la.“

—  John Heywood 1497 - 1580

A man may well bring a horse to water, But he cannot make him drink without he will.
Proverbs (1546); Pt. II, ch. 1

Richard Dawkins photo
Jorge Amado photo
Ana Paula Arósio photo

„É que homem é assim, né? Nos primeiros quinze dias, acha tudo lindo. Depois começa: ‘Você vai beijar seu cachorro na boca e vai me beijar? Vai beijar o cavalo e vai me beijar?’. Eu respondo: ‘Vou beijar o cavalo!“

—  Ana Paula Arósio Atriz e modelo brasileira 1975

Fonte: Revista ISTO É Gente, Edição 361 http://www.terra.com.br/istoegente/361/frases/index.htm

Fernando Pessoa photo
Carlos I de Espanha photo
Carlos I de Espanha photo

„Falo Latim com Deus, italiano com os músicos, espanhol com as damas, francês na corte, alemão com os lacaios e inglês com meus cavalos.“

—  Carlos I de Espanha 1500 - 1558

Hablo latín con Dios, italiano con los músicos, castellano con las damas, francés en la corte, alemán con los lacayos e inglés con mis caballos
Europa desde Yuste: Entrevistas a los Premios Europeos Carlos V, página 206 https://books.google.com.br/books?id=CmSnDAAAQBAJ&pg=PA206, José Julián Barriga Bravo, ‎Luis Ángel Ruiz de Gopegui Santoyo - Editorial Universitaria Ramon Areces, 2010
Outra versões:
«Hablo con mi caballo en alemán, con los pájaros en inglés, con las mujeres en italiano, con los hombres en francés, y con Dios, en español».
Revista de la Universidad de Buenos Aires - Volumes 38-39 - Página 74, Universidad de Buenos Aires - 1918
"Espanhol com Deus, em francês com os amigos, em alemão com os inimigos e italiano com as damas" .
Atribuídas
Fonte: Por que estudar russo? http://www.ucpadp.org.br/pages/por_que_estudar_russo, acesso em 03/11/2017

Friedrich Nietzsche photo

„(…) não existe, talvez, nada mais assustador e mais sinistro em toda a pré-história do homem que a sua técnica para se lembrar das coisas.” Alguma coisa é impressa, para que permaneça na memória: apenas o que dói incessantemente é recordado” – este é uma proposição central da mais antiga (e, infelizmente, também a mais duradoura) filosofia na Terra. Uma pessoa pode até sentir-se tentada a dizer que algo deste horror – através da qual em tempos se fizeram promessas por toda a Terra e foram dadas garantias e empenhamentos -, algo disto ainda sobrevive sempre que a solenidade, seriedade, secretismo e cores sombrias se encontram na vida dos homens e das nações: o passado, o passado mais longo, mais profundo e mais desagradável, respira sobre nós e brota em nós sempre que nos tornamos “sérios”. As coisas nunca avançaram sem sangue, tortura e vítimas, quando o homem achou necessário forjar uma memória de si próprio. Os sacrifícios e as oferendas mais horrendos (…), as mutilações mais repulsivas (…), os rituais mais cruéis de todos os cultos religiosos ( e todas as religiões são, nas suas fundações mais profundas, sistemas de crueldade) - todas estas coisas tem origem naquele instinto que adivinhou que a mais poderosa ajuda da memória era a dor.
Num certo sentido, todo o ascetismo faz parte disto: algumas ideias tem de tornar-se inextinguíveis, omnipresentes, inesquecíveis, “fixas” – com o objectivo de hipnotizar todo o sistema nervoso e intelecto através destas “ideias fixas” – e os procedimentos e formas de vida ascéticos são o meio de libertar essas ideias da competição com todas as outras ideias, para torna-las “inesquecíveis”. Quanto maior era a memoria da humanidade, mais assustadores parecem ser os seus costumes; a dureza dos códigos de punição, em particular, dá uma medida da quantidade de esforço que é necessária para triunfar sobre o esquecimento e tornar estes escravos efémeros da emoção e do desejo atentos a alguns requisitos primitivos de coabitação social. (…) Para dominar (…) recorreram a meios assustadores (…) de apedrejamento, (…), a empalação na estaca, a dilaceração ou o espezinhamento por cavalos, (…), queimar o criminoso em azeite (…), a prática popular de esfolamento, (…) cobrir o criminoso de mel e deixá-lo às moscas num sol abrasador. Com a ajuda deste tipo de imagens e procedimentos, a pessoa acaba por memorizar cinco ou seis “Não farei”, fazendo assim a promessa em troca das vantagens oferecidas pela sociedade. E de facto! com a ajuda deste tipo de memória, a pessoa acaba por “ver a razão”! Ah, razão, seriedade, domínio das emoções, todo o caso sombrio que dá pelo nome de pensamento, todos esses privilégios e exemplos do homem: que preço elevado que foi pago por eles! Quanto sangue e horror está no fundo de todas as “coisas boas”!“

—  Friedrich Nietzsche filósofo alemão do século XIX 1844 - 1900

On the Genealogy of Morals

Edgar Morin photo
Jean Jacques Rousseau photo

„A fingida caridade do rico não passa, da sua parte, de mais um luxo; ele alimenta os pobres como cães e cavalos.“

—  Jean Jacques Rousseau 1712 - 1778

La feinte charité du riche n'est en lui qu'un luxe de plus; il nourrit les pauvres comme des chiens et des chevaux.
Lettres - Volume 3, Página 217 http://books.google.com.br/books?id=pe0_AAAAcAAJ&pg=PA217, Jean-Jacques Rousseau - Poinçot, 1793
Lettres

Andrew Carnegie photo
Aldous Huxley photo
Millôr Fernandes photo
Renée Zellweger photo

„Eu não cresci com a fantasia que o homem da minha vida chegaria num cavalo branco.“

—  Renée Zellweger 1969

Renée Zellweger, atriz, que aos 35 anos diz que não perde tempo procurando sua alma gêmea
Fonte: IstoÉ Gente. Data: 15 de Novembro de 2004.
Fonte: Frases, Eliane Trindade; Diógenes Campanha, IstoÉ Gente, 24 de Janeiro de 2005 http://www.terra.com.br/istoegente/275/frases/index.htm,

Henry Miller photo
Paolo Mantegazza photo
Milan Kundera photo
Ambrose Bierce photo

„Circo. Um lugar em que cavalos, pôneis e elefantes podem assistir a homens, mulheres e crianças bancando os idiotas.“

—  Ambrose Bierce, livro The Devil's Dictionary

Circus. A place where horses, ponies and elephants are permitted to see men, women and children acting the fool.
The devil's dictionary - página 45 http://books.google.com.br/books?id=xynV2AEAOS0C&pg=PA45, de Ambrose Bierce, 2a. ed., Editora Babylon Dreams, 1925, ISBN 1603030549, 9781603030540, 376 páginas

Marcel Proust photo
Ozzy Osbourne photo
Rebecca West photo

„A maternidade é coisa estranha, podemos ser o próprio cavalo de Troia.“

—  Rebecca West 1892 - 1983

Motherhood is the strangest thing, it can be like being one's own Trojan horse.
Rebecca West citada em "Rebecca West, a Life" - Página 217, de Victoria Glendinning - Publicado por Knopf, 1987, ISBN 0394539354, 9780394539355 - 300 páginas

Romario photo

„Não sou cavalo paraguaio. Mais uma vez, mostrei quem é o puro-sangue.“

—  Romario Senador da República e ex-jogador de futebol 1966

Ao atingir a artilharia do Campeonato Brasileiro de 2005, com 22 gols.'
Fonte: Revista Veja, Edição 1935 . 14 de dezembro de 2005

Wendell Phillips photo

„Políticos são como os ossos de um cavalo na corrida: nenhum reto.“

—  Wendell Phillips 1811 - 1884

politicians are like the bones of a horse's fore shoulder — not a straight one in it.
citado em "Abraham Lincoln: An address delivered before R. E. Lee Camp, no. 1 ...‎" - Página 12, de George Llewellyn Christian - L. H. Jenkins, 1909 - 31 páginas

Xenofanés photo
Gabriel García Márquez photo

„Foi seu último livro completo. Tinha sido um leitor de voracidade imperturbável, tanto nas tréguas das batalhas como nos repousos do amor, mas sem ordem nem método. Lia a toda hora, com a luz que houvesse, ora passeando debaixo das árvores, ora a cavalo sob os sóis equatoriais, ora na penumbra dos coches trepidantes sobre os calçamentos de pedra, ora balouçando na rede enquanto ditava uma carta. Um livreiro de Lima se surpreendera com a abundância e a variedade das obras que selecionou de um catálogo geral onde havia desde os filósofos gregos até um tratado de quiromancia. Na juventude lera os românticos por influência de um professor Simon Rodríguez, e continuou a devorá-los como se estivesse lendo a si mesmo com seu temperamento idealista e exaltado. Foram leituras passionais que o marcaram para o resto da vida. No fim havia lido tudo o que lhe caíra nas mãos, e não teve um autor predileto, mas muitos que o foram em diferentes épocas. As estantes das diversas casas onde viveu estiveram sempre abarrotadas, e os dormitórios e corredores acabavam convertidos em desfiladeiros de livros amontoados e montanhas de documentos errantes que proliferavam à sua passagem e o perseguiam sem misericórdia buscando a paz dos arquivos. Nunca chegou a ler tantos livros quantos possuía. Ao mudar de cidade entregava-os aos cuidados dos amigos de mais confiança, embora nunca voltasse a ter notícia deles, e a vida de guerra o obrigou a deixar um rastro de mais de quatrocentas léguas de livros e papéis, da Bolívia à Venezuela.“

—  Gabriel García Márquez 1927 - 2014

O General em seu Labirinto

Groucho Marx photo

„Case-se comigo e eu nunca mais irei olhar para outro cavalo!“

—  Groucho Marx 1890 - 1977

Marry me and I'll never look at another horse.
citado em "Sports in the movies" - página 71, Ronald Bergan - Proteus Books, 1982, ISBN 0862760178, 9780862760175 - 160 páginas
Atribuídas

Harry Truman photo

„Meu animal predileto é a mula. Ela tem mais sentido do que um cavalo. Sabe quando parar de comer - e sabe quando parar de trabalhar.“

—  Harry Truman 33º presidente dos Estados Unidos da América 1884 - 1972

citado em "Good Old Harry: The Wit and Wisdom of Harry S. Truman"; Por Harry S. Truman, George S. Caldwell; Compilado por George S. Caldwell; Publicado por Hawthorn Books, 1966; Original da Universidade da Califórnia books.google http://books.google.com/books?id=yqSRAAAAIAAJ&q=My+favorite+animal+is+the+mule.+Know+when+to+stop+eating+and+working.+%22harry+s.+truman%22&dq=My+favorite+animal+is+the+mule.+Know+when+to+stop+eating+and+working.+%22harry+s.+truman%22&client=firefox-a&hl=pt-BR&pgis=1

Francisco de Sales photo
Antônio Carlos Magalhães photo

„Sarney é um cavalo vencedor.“

—  Antônio Carlos Magalhães político brasileiro 1927 - 2007

Antonio Carlos Magalhães, presidente do Senado, mantendo a esperança de que o ex-presidente concorra ao comando do Senado
Fonte: Revista Veja http://veja.abril.com.br/201200/vejaessa.html, Edição 1 680 - 20 de dezembro de 2000.

George Saville Halifax photo

„Não se enforca um homem por ele ter roubado cavalos, mas para que os cavalos não sejam mais roubados.“

—  George Saville Halifax 1633 - 1695

Men are not hang'd for stealing Horses, but that Horses may not be stolen.
A character of King Charles the Second: and political, moral, and miscellaneous thoughts and reflections. By George Savile, marquis of Halifax‎ - Página 114 http://books.google.com.br/books?id=K6lsEtMo1KMC&pg=PA114, George Savile Halifax, George Savile Halifax (Marquis of) - Printed for J. and R. Tonson and S. Draper, 1750 - 183 páginas

Franz Marc photo

„Eu penso que Jesus devia de nascer em Belém na Paraíba. Sim, em Belém, perto de Guarabira e vizinho de Pirpirituba. E se não bastasse a vizinhança a indicar a rima e o caminho, perto de Nova Cruz. Teria sido filho caçula de uma Dona Maria, mulher dona de beleza e inspiradora de bondade nas pessoas. Teria sido menino moreno, muito esperto, embalado em rede de algodão cru. Teria tido sandálias com currulepo entre os dedos e cajus, em dezembro, a lhe matar a sede. E seu pastor… um vaqueiro nordestino, de gibão e perneira e guarda-peito, para livrar as suas carnes da Jurema. Teriam vindo adorar o deus-menino os Santos Reis entrelaçados de bom jeito: um negro, um índio e um branco português. Teria sido fácil encontrar espinhos, para coroar a fronte de Jesus, e um pau de arara em São José do Egito para levá-lo, retirante, para São Paulo. Um santo feito para as grandes secas! 'Meu Deus, meu Deus, por que nos abandonaste…', exclamaria enquanto repartiria com o povo nu as suas vestes, multiplicadas como pães ou peixes. Quando criança, o Jesus da Paraíba teria sido carpinteiro como seu pai, teria feito caixões azuis para os anjos do lugar. E proezas num cavalo de pau. Sim, num cavalo de pau, pois seu jumento teria sido muito magro e nem teria servido para carne de jabá. Jesus teria sido um menino desnutrido a fazer o bem, desnutrido como os outros da região, onde as coisas só vão na base do milagre ou da força parida da vontade. Eu penso que Jesus devia de nascer em Belém, na Paraíba!""..“

—  Diógenes da Cunha Lima

Ana Paula Arósio photo

„Castro bois e cavalos. É uma coisa que no sítio só eu faço. Também já entubei cavalos que estavam com cólicas.“

—  Ana Paula Arósio Atriz e modelo brasileira 1975

a Camille da novela Esperança, mostrando em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo seu lado rural; citado em Revista Veja http://veja.abril.com.br/310702/vejaessa.html, Edição 1 762 - 31 de julho de 2002

Sealth photo

„Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem a passar. Eu não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos apenas para permanecer vivos.“

—  Sealth 1786 - 1866

I have seen a thousand rotting buffalos on the prairie, Left by the white man who shot them from a passing train. I am savage and I do not understand how the smoking iron horse can be more important than the buffalo that we kill only to stay alive.
Sealth, chefe indígena da tribo Seattle, 1854; Recovering the word: essays on native American literature - Página 527 http://books.google.com.br/books?id=aGiqSYX5ftQC&pg=PA527, Brian Swann, Arnold Krupat - 1987 - 644 páginas

Francesco Guicciardini photo
Friedrich Nietzsche photo
Ariano Suassuna photo
Mark Twain photo
Paulo Coelho photo

„As emoções são cavalos selvagens“

—  Paulo Coelho escritor e letrista brasileiro 1947

Vergílio Ferreira photo
Luis Fernando Verissimo photo
Abraham Lincoln photo

„Nunca devemos mudar de cavalo no meio do rio.“

—  Abraham Lincoln 16° Presidente dos Estados Unidos 1809 - 1865

Tati Bernardi photo
Mário Quintana photo
Jean Giraudoux photo

„O cavalo, como todo mundo sabe, é a parte mais importante do cavaleiro.“

—  Jean Giraudoux 1882 - 1944

Variante: O cavalo, como toda a gente sabe, é a parte mais importante do cavaleiro.

Mário Quintana photo

„Como seriam belas as estátuas equestres se constassem apenas dos cavalos!“

—  Mário Quintana Escritor brasileiro 1906 - 1994

URBANÍSTICA
Variante: URBANÍSTICA
Como seriam belas as estátuas equestres se constassem apenas dos cavalos!

Plutarco photo
Friedrich Nietzsche photo
Ariano Suassuna photo
William Shakespeare photo
Marco Aurelio photo
Tati Bernardi photo
Karl Kraus photo
Ovidio photo
Ana Paula Arósio photo
August Strindberg photo
Máximo Gorki photo
Henry Ford photo
Carlos I de Espanha photo
Andrew Marr photo

„Depois disto, a maior parte da agricultura africana não progrediu muito em comparação com as da Europa e da Ásia. E porque não? Uma teoria aponta para a carência de animais de tração com força para puxar arados. Argumenta-se que o clima e as doenças eram excessivos para que cavalos ou bois os aguentassem – não obstante parecerem hoje sobreviver, talvez mais bem protegidos pelo homem contra micróbios e predadores carnívoros. A maior parte de África foi deixada para o pastoreio, a pastagem e cultivo em pequena escala de tubérculos, que raramente produziam excedentes que chegassem para sociedades numerosas. Havia exceções. Uma era o Zimbabwe, uma civilização leste-africana que usava enormes blocos de pedra para as paredes dos palácios e cidades, no seu apogeu, entre 1250 e 1450. É provável que este povo viesse de Mapungubwe, um reino de criadores de gado e negociantes de ouro e marfim, situado na actual África do Sul, que já vivia em cidades com muros em pedra. O reino do Zimbabwe foi construído numa escala muito maior, na verdade, de tal dimensão que exploradores europeus posteriores se recusaram a acreditar que meros africanos pudessem haver sido os responsáveis.
O Zimbabwe participara num próspero comércio costeiro, dominado pelo Islão, a religião e cultura que mais influenciou a África pré-colonial.“

—  Andrew Marr jornalista britânico 1959

História do Mundo

Clarice Lispector photo
Haruki Murakami photo
João Guimarães Rosa photo
Terry Pratchett photo
João Guimarães Rosa photo
Machado de Assis photo
João Guimarães Rosa photo
João Guimarães Rosa photo
Jorge Amado photo
João Guimarães Rosa photo
Will Self photo
Max Hastings photo
Carlos Ruiz Zafón photo