Frases sobre opinião

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da opinião, outro, ser, homem.

Total 530 citações, filtro:

Heráclito photo

„As crianças e seus brinquedos. Os homens e suas opiniões.“

—  Heráclito filósofo pré-socrático considerado o "Pai da dialética" -535

Ralph Waldo Emerson photo

„É fácil viver no mundo conforme a opinião das pessoas. É fácil, na solidão, viver do jeito que se quer. Mas o grande homem é aquele que, no meio da multidão, mantém com perfeita doçura a independência da solidão.“

—  Ralph Waldo Emerson 1803 - 1882

It is easy in the world to live after the world s opinion; it is easy in solitude to live after our own; but the great man is he who in the midst of the crowd keeps with perfect sweetness the independence of solitude.
"Self-Reliance" in: Select Essays and Poems‎ - Página 35, de Ralph Waldo Emerson, Eva March Tappan - Publicado por Allyn and Bacon, 1808 - 120 páginas

Aleister Crowley photo
Henry Jenkins photo
Epiteto photo

„O que comove os homens não são as coisas, mas a opinião sobre elas.“

—  Epiteto 50 - 138

"Ταρασσει τους ανθρωπους ου τα πραγματα, αλλα τα περι των πραγματων δογματα."
Como citado por Arthur Schopenhauer em Aforismos para a sabedoria de vida http://abdet.com.br/site/wp-content/uploads/2015/01/Aforismos-Para-a-Sabedoria-da-Vida.pdf; Tradução, prefácio e notas de Jair Barbosa; Revisão da tradução de Karina Jennini - São Paulo: Martins Fontes, 2002, página 19.
Atribuídas

William Hazlitt photo
Thomas More photo

„A qualquer um, nada agrada tanto quanto as suas próprias opiniões.“

—  Thomas More, livro Utopia

Utopia, Página 11 http://books.google.com.br/books?ei=KPRbVLHuA7HCsASc4oD4Aw&hl=pt-BR&id=GvxHAAAAYAAJ&dq=utopia+zang%C3%B5es&focus=searchwithinvolume&q=agrada, Sir Thomas More (Saint) - Prefácio: João Almino; Tradução: Anah de Melo Franco - IPRI, 2004 - 167 páginas.
"Et certe sic est natura comparatum, ut sua cuique inuenta blandiantur."
De Optimo Reipublicae Statu, Deque nova insula Utopia. Página 34 https://la.wikisource.org/wiki/Pagina:Utopia,_More,_1518.djvu/35, Thomas More - Froben, 1518 - 190 páginas.
Utopia (1516)

Jane Austen photo
Michel De Montaigne photo

„Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade.“

—  Michel De Montaigne, livro Ensaios

Et ne feut iamais au monde deux opinions pareilles, non plus que deux poils, ou deux grains : leur plus universelle qualité , c'est la diversité.
Essais: avec des sommaires analytiques, et les notes de tous les commentateurs; precedes de la preface de Mademoiselle de Gournay et d'un pr℗ecis de la vie de Montaigne‎, Livre II, Chapitre XXXVII - Página 330 http://books.google.com.br/books?id=trI5AAAAcAAJ&pg=PA330, Michel Eyquem de Montaigne, Marie de Jars de Gournay - Tardieu-Denesle, 1828 - 391 páginas
Ensaios, Livro 2

George Orwell photo
George Orwell photo
George Orwell photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Anne Frank photo
George Orwell photo
Arthur Schopenhauer photo
George Orwell photo
Anne Frank photo

„Quero ver as coisas com olhos novos e formar minha opinião.“

—  Anne Frank 1929 - 1945

Cliffs Notes on Frank's The Diary of Anne Frank

Mark Twain photo

„Não seria bom se todos nós pensássemos da mesma forma. É a diferença de opinião que promove as corridas de cavalo.“

—  Mark Twain escritor, humorista e inventor norte-americano 1835 - 1910

It were not best that we should all think alike; it is difference of opinion that makes horse races.
The Mark Twain omnibus: drawn from the works of Mark Twain [pseud.] - página 154, Mark Twain - Harper, 1935 - 441 páginas

Paul Valéry photo
Platão photo
Platão photo
Edgar Allan Poe photo

„Na minha opinião, o crime perfeito existe.“

—  Edgar Allan Poe Escritor, poeta e crítico americano 1809 - 1849

Immanuel Kant photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Marco Aurelio photo
Charles Bukowski photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Abraham Lincoln photo

„Quem pode mudar a opinião pública, pode mudar o governo“

—  Abraham Lincoln 16° Presidente dos Estados Unidos 1809 - 1865

Joseph De Maistre photo
John Locke photo

„As novas opiniões são sempre suspeitas e geralmente opostas, por nenhum outro motivo além do fato de ainda não serem comuns.“

—  John Locke Filósofo e médico inglês. pai do liberalismo clássico. 1632 - 1704

Variante: As novas opiniões são sempre suspeitas e geralmente opostas, por nenhum outro motivo além do facto de ainda não serem comuns.

Gilbert Keith Chesterton photo

„A intolerância pode ser aproximadamente definida como a indignação dos que não têm opinião.“

—  Gilbert Keith Chesterton 1874 - 1936

Bigotry may be roughly defined as the anger of men who have no opinions.
Heretics - página 296, Gilbert Keith Chesterton - John Lane, 1905 - 305 páginas

Voltaire photo

„Um preconceito é uma opinião que deixou de ser submetida à razão.“

—  Voltaire volter também conhecido como bozo foia dona da petrobras e um grande filosofo xines 1694 - 1778

Variante: O preconceito é uma opinião não submetida a razão.

Albert Einstein photo
John Locke photo

„(…) todo homem livre da Carolina deve ter absoluto poder e autoridade sobre seus escravos negros seja qual for sua opinião e religião.“

—  John Locke Filósofo e médico inglês. pai do liberalismo clássico. 1632 - 1704

In The Fundamental Constitutions of Carolina (1669) in Political Writings, (org.) David Wooton, Penguin Books, London-New York, p. 196 (art. CX) apud Losurdo, Dominico in Contra-História do Liberalismo, 2006, p. 15.

Jane Austen photo

„A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinônimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho se relaciona mais com a opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, com o que desejaríamos que os outros pensassem de nós.“

—  Jane Austen, livro Orgulho e Preconceito

Vanity and pride are different things, though the words are often used synonymously. A person may be proud without being vain. Pride relates more to our opinion of ourselves, vanity to what we would have others think of us
Pride and Prejudice, Chapter 5
Variante: A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinónimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho relaciona-se mais com a opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, com o que desejaríamos que os outros pensassem de nós.

Winston Churchill photo
Luiz Inácio Lula da Silva photo
Paulo Alexandrovich Romanov photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Comênio photo
John Keats photo
Sigmund Freud photo
José Saramago photo

„Com as palavras todo cuidado é pouco, mudam de opinião como as pessoas.“

—  José Saramago, livro As Intermitências da Morte

[...] "Porque as palavras, se não o sabe, movem-se muito, mudam de um dia para o outro, são instáveis como sombras, sombras elas mesmas, que tanto estão como deixaram de estar, bolas de sabão, conchas de que mal se sente a respiração, troncos cortados."
As Intermitências da Morte

„As opiniões nos custam apenas um fôlego, mas as convicções muitas vezes custam a própria vida.“

—  John Oswald Sanders 1902 - 1992

Opinions cost us only breath, but convictions often cost life itself.
John Oswald Sanders, citado em Leadership - by the Book - Página 111 http://books.google.com.br/books?id=Gu9gRqmuB9gC&pg=PA111, David M. Atkinson - Xulon Press, 2008, ISBN 1607910586, 9781607910589, 280 páginas

Michel De Montaigne photo
John Deacon photo
Martha Medeiros photo
Marquês de Maricá photo

„O que se qualifica em alguns homens como firmeza de carácter não é ordinariamente senão emperramento de opinião, incapacidade de progresso, ou imutabilidade da ignorância.“

—  Marquês de Maricá 1773 - 1848

Variante: O que se qualifica em alguns homens como firmeza de caráter não é ordinariamente senão emperramento de opinião, incapacidade de progresso, ou imutabilidade da ignorância.

Karl Kraus photo
Carlos Drummond de Andrade photo
Lady Gaga photo
Mihály Babits photo

„O que é uma opinião? Um limite imposto a nós mesmos.“

—  Mihály Babits 1883 - 1941

Mihaly Babits citado em Frases Geniais - Página 240 http://books.google.com.br/books?id=5nd6l6KXWvgC&pg=PA240, PAULO BUCHSBAUM, Ediouro Publicações, ISBN 8500015330, 9788500015335, 440 páginas

Gustave Le Bon photo
Oscar Wilde photo
Steve Jobs photo
Rosa Luxemburgo photo

„Sem eleições gerais, sem uma liberdade de imprensa e uma liberdade de reunião ilimitadas, sem uma luta de opiniões livres, a vida vegeta e murcha em todas as instituições públicas, e a burocracia torna-se o único elemento ativo.“

—  Rosa Luxemburgo filósofa marxista polaco-alemã 1871 - 1919

Ohne allgemeine Wahlen, ungehemmte Presse- und Versammlungsfreiheit, freien Meinungskampf erstirbt das Leben in jeder der öffentlichen Institution, wird zum Scheinleben, in der die Bürokratie allein das tätige Element bleibt.
Zur russischen Revolution http://www.marxists.org/deutsch/archiv/luxemburg/1918/russrev/teil4.htm (A Revolução Russa), IV

Friedrich Nietzsche photo

„Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse.“

—  Friedrich Nietzsche filósofo alemão do século XIX 1844 - 1900

Nietzsche, 1880, O Andarilho e sua Sombra, Aforismo 333 http://gutenberg.spiegel.de/buch/der-wanderer-und-sein-schatten-3251/54
Atribuídas

Wilhelm Reich photo
Mário Quintana photo
Herbert Spencer photo
Sócrates photo
Marquês de Maricá photo
John Stuart Mill photo
Nicolau Maquiavel photo
Elias Canetti photo
Friedrich Nietzsche photo
Hugo Von Hofmannsthal photo
William Shakespeare photo
Michel De Montaigne photo
William Blake photo
Antoine de Rivarol photo
Antoine de Saint-Exupéry photo
Blaise Pascal photo
Ken Follett photo
João Guimarães Rosa photo

„Pão ou pães é questão de opiniães.“

—  João Guimarães Rosa 1908 - 1967

Grande Sertão Veredas

Georg Christoph Lichtenberg photo
George Sand photo
Friedrich Nietzsche photo
Nicolau Copérnico photo
Gerson De Rodrigues photo

„Imaginem que um Filósofo ao visitar uma velha Biblioteca se depara com um velho Sábio

- Estais perdido? Perguntou o Sábio

- Se estou perdido, como poderias tu orientar-me a razão? Disse o filósofo em tom questionador

O Sábio abaixa sua cabeça, caminha de um lado para o outro e indaga – Estais perdido!?

Filósofo: E não estamos todos?

O Completo e absoluto silencio gritava mais alto do que suas bocas caladas, embora suas mentes gritassem mais alto do que o mais feroz diabo.

Sábio: Não posso estar perdido, se eu sei exatamente aonde o verdadeiro eu estas, e deverias estar.

Filósofo: E Como poderias tu saber aonde deverias estar e aonde estas?

Sábio: Mas isso é muito simples, se estou em algum lugar, sigo a minha vontade. Está de acordo?

Filósofo: E Como saberias que segues a tua própria vontade? Se não foi influenciado pelo homem que vive em ti, o homem que crê em ti e nos deuses! Como poderias tu, saber aonde deverias ir?

O Sábio caminha a uma das muitas prateleiras e pega um livro, senta-se na frente do filósofo e diz de maneira serena

Sábio: Se leres este livro, e após a leitura tornar-se outro homem, como diferenciarias quem tu és, para quem tornou-se?

Filósofo: O Homem que leu este livro, para ti és um homem diferente antes deste mesmo livro? Digo, se hoje acredito no poder dos deuses, e amanhã perco completamente a fé por ler um livro ou dois, teria eu tornado me um homem sem fé, ou um homem diferente do que sempre fui?

Sábio: Tornarias outro homem

Filósofo: Mas isso é uma loucura, se torna-se outro homem a cada nova experiência, então tu, quem és afinal?

Sábio: Isso é muito simples…

O Sábio se levanta novamente e pega uma bíblia sagrada na escrivaninha a direita

Sábio: Se ao ler estas fábulas, e acreditares com toda as forças que és cristo, isso torna-te cristo?

Filósofo: Esse ato tornaria me um estudioso, um homem em busca de respostas

Sábio: Mas se as respostas levarem este homem a mais perguntas como poderias responde-las?

Filósofo: Não há respostas afinal.

Sábio: Quando tinhas dez anos de idade, pensavas o que?

Filósofo: Eu era uma criança comum, católico, vivia na cidade pequena, mas o que a minha infância tem a ver com tudo isso?

Sábio: Aquela criança ainda vive?

Filósofo: Eu a matei, ela tornou-se o homem que sou

Sábio: E ao matar o passado, tornou-se quem tu és!

Filósofo: Mas esse argumento não sustenta a sua teoria, que ao lermos novos livros tornamo-nos outro homem

Sábio: Ao ler as palavras de cristo, tens dois homens prontos a nascer. Se ao leres a bíblia, e acreditar com toda a sua fé que és cristo, e que cristo vives em ti, o que tornarias?

Filósofo: Um tolo

Sábio: E o que este tolo faria após tornar-se um tolo?

Filósofo: Viverias como um tolo

Sábio: Ao leres as palavras de cristo e duvidares de sua existência, o que tornarias?

Filósofo: Um sábio…

Sábio: Então tornarias tu, outro homem

O Filósofo pensativo caminha até uma seção na velha biblioteca, e pega uma série de livros matemáticos, senta-se em uma velha mesa acompanhada de uma pequena cadeira. Abre um dos velhos livros, aponta seu dedo sobre uma teoria matemática cientifica

Filósofo: O Que compreendes ao ler esta teoria?

Sábio: A Gravidade em sua mais bela e poética sinfonia matemática

Filósofo: E Quem a escreveu? Poderias me dizer?

Sábio: Isaac Newton

Filósofo: Consideravas Newton um sábio?

Sábio: Mas é claro, um homem de muitas virtudes

Filósofo: Mas este acreditava nos deuses

Sábio: E o que queres dizer com estas alegações?

O Filósofo se levanta novamente e vai a uma pilha de livros ao lado, pegando então Assim falou Zaratustra de Friedrich Nietzsche

Filósofo: Conheces Nietzsche?

Sábio: Mas é claro, estais a insultar-me?

Filósofo: Se ao leres Newton e Nietzsche, o que tornarias?

Sábio: Um novo homem…

Filósofo: Este novo homem, serias quem? Nietzsche? Ou Newton? Como este homem diferenciaria os deuses da matemática? Friedrich de Newton?

O Que eu quero dizer, como poderias tu, tornar-se outro homem ao leres dois autores distintos, se não o mesmo homem que agregou a si mesmo novas categorias do conhecimento.

Sábio: Então alegas descaradamente, que sou o mesmo homem todos os dias da minha vida?

Filósofo: E Como não poderias ser? Se ao leres mil livros, mudas-te de opinião mil vezes, és um metamorfo. Se ao escreveres mil livros, es um deus sobre os homens. Mas, se ao leres mil livros e aprenderes com estes próprios és o mesmo homem, com um intelecto refinado ao homem que eras anteriormente.

Sábio: Queres dizer que o conhecimento é como um diabo possessor?

Filósofo: Um diabo possessor?

Sábio: Um diabo que tomas o corpo de um homem, mas não toma sua verdadeira essência.

Filósofo: Estou de acordo, então voltamos a mesma questão ao nos conhecermos, como sabes que estais a seguir a sua própria vontade e não a de outros homens ou deuses

Sábio: Deixe-me responder essa questão, com uma alegoria que irá também sustentar meu outro ponto de vista

Imagines que és um crente, que acreditas no poder do divino. Vives então em templos sagrados, seu mundo é o louvor, então descobres por um telescópio apontado aos céus que lá não há deuses, e sim homenzinhos verdes em outros mundos, descobririas então que neste novo mundo há também novos deuses como saberias tu que o deus que pregas e rezas és o verdadeiro?

Filósofo: Não saberias, questionaria também os outros deuses

Sábio: E Se ao descobrires que além destes homenzinhos verdes, também existem tantos outros, e que o cosmos é repleto de deuses e vida. O Que tornarias a sua crença em um deus de carne?

Filósofo: Se tornaria insensata, ausente de razão, mas ainda questionadora pela vontade de questionar e aprender sobre esses novos deuses.

Sábio: Então responda-me, ao descobrir novos mundos tornou-se um homem diferente daquele pobre religioso de pés sujos em templos falsos?

Filósofo: Deixaria de ser um crente, e tornaria me um questionador. Mas ainda seria o mesmo homem

Sábio: Se és o mesmo homem, por que não crê nos mesmos deuses? Tornou-se um novo homem ao conhecer outros mundos, pois o homem que fois um dia, suicidou-se diante das cordas sinceras da realidade

Filósofo: Se o que diz é verdade, e somos de fato, diabos possessores, possuídos pelo conhecimento que mata o homem mas não mata sua essência, como sabes que não estás perdido? Como diferencias a decisão do homem com a decisão do diabo?

Se a cada nova experiência somos possuídos por um diabo diferente, se a cada livro torno-me um novo homem, se a cada mundo matamos um novo deus, quem eres tu afinal?

Sábio: Mas isso é muito simples, imagine comigo a seguinte alegoria

Somos todos homens vagueando em um vale sem fim, pense que cada livro desta biblioteca és um diabo, ao seres possuído pelo diabo, torna-se o diabo, embora sua essência humana ainda prevaleça

Filósofo: Então acreditas que podes matar a si mesmo, e tornar-se o homem que eras, mas renovado em sabedoria?

Sábio: Novamente estamos de acordo, poderias por favor dizer-me o que fazes em uma velha biblioteca como essa?

Filósofo: Vim em busca de conhecimento, e autoconhecimento, mas acabei perdendo-me em tamanha sabedoria e tormento

Sábio: E ao encontrar-me continua com este tormento?

Filósofo: Não

Sábio: E Por que não?

Filósofo: Porque sei quem tu és, e vós não o conheceis, mas eu o conheço, e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós. Mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.

Sábio: E quem sou eu?

Filósofo: Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

Sábio: Se eu sou o seu Deus, o único e verdadeiro Deus, sou tu enquanto falas sozinho para as paredes, divagando sobre quem tu és e o que tornou-se!

Tornas-te Deus, ao questionar a si, mas continuaste o homem que és, e que fois ao lembrar-se de si, e o que és.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Daisaku Ikeda photo
Georg Christoph Lichtenberg photo
Noam Chomsky photo
René Descartes photo

„Despreza-se um homem que tem ciúmes da mulher, porque isso é testemunho de que ele não ama como deve ser, e de que tem má opinião de si próprio ou dela.“

—  René Descartes 1596 - 1650

On méprise un homme qui est jaloux de sa femme, parce que c'est un témoignage qu'il ne l'aime pas de la bonne sorte, et qu'il a mauvaise opinion de soi ou d'elle.
René Descartes como citado in: Supplement au Dictionnaire oeconomique: contenant divers moïens d'augmenter son bien, et de conserver sa santé. Tome Premier, página 439 https://books.google.com.br/books?id=WGVZAAAAYAAJ&pg=PA439, J. Cóvens & C. Mortier, 1740
Atribuídas

Florestan Fernandes photo
Marie von Ebner-Eschenbach photo
Fran Lebowitz photo
Cícero photo

„A minha consciência tem mais peso pra mim do que a opinião do mundo inteiro.“

—  Cícero orador e político romano -106 - -43 a.C.

Variante: A minha consciência tem para mim mais peso do que a opinião do mundo inteiro.

Daisaku Ikeda photo
Baltasar Gracián photo
Celso Furtado photo

„Os três maiores gênios brasileiros, na minha opinião: Aleijadinho, Machado de Assis e Villa-Lobos, só foram porque foram profundamente brasileiros.“

—  Celso Furtado economista brasileiro 1920 - 2004

Fonte não especificada
A Fantasia Desfeita, Outras citações

Machado de Assis photo

„Mas que é? – Que há de ser? Quem é que não sabe tudo?… Aquela intimidade de vizinhos tinha de acabar nisto, que é verdadeiramente uma bênção do céu, porque ela é um anjo, é um anjíssimo… Perdoe a cincada, Bentinho, foi um modo de acentuar a perfeição daquela moça. Cuidei o contrário, outrora; confundi os modos de criança com expressões de caráter, e não vi que essa menina travessa e já de olhos pensativos era a flor caprichosa de um fruto sadio e doce… Por que é que não me contou também o que outros sabem, e cá em casa está mais que adivinhado e aprovado? – Mamãe aprova deveras? – Pois então? Temos falado sobre isso, e ela fez-me o favor de pedir a minha opinião. Pergunte-lhe o que é que eu lhe disse em termos claros e positivos; pergunte-lhe. Disse-lhe que não podia desejar melhor nora para si, boa, discreta, prendada, amiga da gente… e uma dona de casa, que não lhe digo nada. Depois da morte da mãe, tomou conta de tudo. Pádua, agora que se aposentou, não faz mais que receber o ordenado e entregá-lo à filha. A filha é que distribui o dinheiro, paga as contas, faz o rol das despesas, cuida de tudo, mantimento, roupa, luz; você já a viu o ano passado. E quanto à formosura você sabe melhor que ninguém… – Mas, deveras, mamãe consultou o senhor sobre o nosso casamento? – Positivamente, não; fez-me o favor de perguntar se Capitu não daria uma boa esposa; eu é que, na resposta, falei em nora. D. Glória não negou e até deu um ar de riso. – Mamãe sempre que me escrevia, falava de Capitu. – Você sabe que elas se dão muito, e por isso é que sua prima anda cada vez mais amuada. Talvez agora case mais depressa. – Prima Justina?“

—  Machado de Assis, livro Dom Casmurro

Dom Casmurro

Mahátma Gándhí photo

„Divergência de opinião jamais deve ser motivo para hostilidade.“

—  Mahátma Gándhí líder político e religioso indiano 1869 - 1948

Outras

Jair Bolsonaro photo
Dilma Rousseff photo
João Guimarães Rosa photo
Kurt Cobain photo

„Eu não tenho absolutamente nenhum direito de expressar a minha opinião até que eu conheça todas as respostas.“

—  Kurt Cobain Vocalista, guitarrista, compositor e músico 1967 - 1994

Atribuídas