Frases do livro
As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte é um livro do escritor português José Saramago publicado em 2005. Sua frase inicial "No dia seguinte ninguém morreu" é ponto de partida para ampla divagação sobre a vida, a morte, o amor e o sentido, ou a falta dele, da nossa existência.


José Saramago photo
José Saramago photo

„Com as palavras todo cuidado é pouco, mudam de opinião como as pessoas.“

—  José Saramago, livro As Intermitências da Morte

[...] "Porque as palavras, se não o sabe, movem-se muito, mudam de um dia para o outro, são instáveis como sombras, sombras elas mesmas, que tanto estão como deixaram de estar, bolas de sabão, conchas de que mal se sente a respiração, troncos cortados."
As Intermitências da Morte

José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo

„A morte conhece tudo a nosso respeito, e talvez por isso seja triste.“

—  José Saramago, livro As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte

José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo

„No dia seguinte, ninguém morreu.“

—  José Saramago, livro As Intermitências da Morte

Death with Interruptions (2005)

Autores parecidos

José Saramago photo
José Saramago303
escritor português 1922 - 2010
Fernando Pessoa photo
Fernando Pessoa931
poeta português
Franz Kafka photo
Franz Kafka97
Escritor austro-húngaro-tchecoslovaco
Stefan Zweig photo
Stefan Zweig18
escritor austríaco
Erich Maria Remarque photo
Erich Maria Remarque10
Escritor alemão
Haruki Murakami photo
Haruki Murakami65
Escritor japonês
J. D. Salinger photo
J. D. Salinger7
escritor americano
Saul Bellow photo
Saul Bellow13
escritor canadense
Autores parecidos
José Saramago photo
José Saramago303
escritor português 1922 - 2010
Fernando Pessoa photo
Fernando Pessoa931
poeta português
Franz Kafka photo
Franz Kafka97
Escritor austro-húngaro-tchecoslovaco