Frases do livro
As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte é um livro do escritor português José Saramago publicado em 2005. Sua frase inicial "No dia seguinte ninguém morreu" é ponto de partida para ampla divagação sobre a vida, a morte, o amor e o sentido, ou a falta dele, da nossa existência.


José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo
José Saramago photo

„Com as palavras todo cuidado é pouco, mudam de opinião como as pessoas.“

—  José Saramago, livro As Intermitências da Morte

[...] "Porque as palavras, se não o sabe, movem-se muito, mudam de um dia para o outro, são instáveis como sombras, sombras elas mesmas, que tanto estão como deixaram de estar, bolas de sabão, conchas de que mal se sente a respiração, troncos cortados."
As Intermitências da Morte

Autores parecidos

José Saramago photo
José Saramago303
escritor português 1922 - 2010
Fernando Pessoa photo
Fernando Pessoa931
poeta português
Ivo Andrič photo
Ivo Andrič2
romancista e escritor jugoslavo
Milton Friedman photo
Milton Friedman29
Economista, estatístico e escritor norte-americano
Orhan Pamuk photo
Orhan Pamuk18
escritor turco, vencedor do Prêmio Nobel de literatura de 2…
Autores parecidos
José Saramago photo
José Saramago303
escritor português 1922 - 2010
Fernando Pessoa photo
Fernando Pessoa931
poeta português
Ivo Andrič photo
Ivo Andrič2
romancista e escritor jugoslavo