Frases sobre possibilidade

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da possibilidade.

Tópicos relacionados

Total 259 citações, filtro:


Alan Moore photo
Paulo Freire photo
José Ortega Y Gasset photo
Akira Yoshizawa photo
Gabriel Chalita photo
Lúcia Veríssimo photo
Carl Gustav Jung photo
Milan Kundera photo
Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche photo
Michel Houellebecq photo
Margaret Thatcher photo
Charles Spurgeon photo

„Para previnir para sempre a possibilidade de papistas queimarem protestantes, anglicanos enforcarem padres, e puritanos afogarem quacres, que toda forma de união entre Igreja e Estado seja totalmente abolida, e a lembrança da longa maldição seja apagada para sempre.“

—  Charles Spurgeon 1834 - 1892

To prevent for ever the possibility of Papists roasting Protestants, Anglicans hanging Romish priests, and Puritans flogging Quakers, let every form of state-churchism be utterly abolished, and the remembrance of the long curse which it has cast upon the world be blotted out for ever.
The Inquisition http://www.spurgeon.org/s_and_t/inq.htm, 1868 The Sword and the Trowel

Lya Luft photo
Mikhail Tal photo
Albert Einstein photo
Igor Stravinski photo

„Faça sempre o melhor que puder, dentro de suas possibilidades, onde quer que esteja.“

—  Johnny De' Carli

reiki universal, Johnny de' Carli, citações, dedicação

Pedro Nava photo

„Nós não tivemos esse erro, ao contrário, usamos e abusamos da pimenta que nos veio da África, mas, por outro lado, temos como política imigratória, o não Ter política e, sim, um open door imprevidente e perigoso. No caminho que adotamos, podemos dar numa maionese perfeita, mas, como estes molhos, quando mal batidos - podemos desandar. O Brasil é sempre menos de portugueses e emigrantes e mais de indesejáveis entrantes - esquecendo que cada galego, por mais bruto e rude que seja, traz-nos cromossomos semelhantes aos navegadores, colonizadores e degredados - mantendo a nossa possibilidade de repetir um Nunálvares, um Mestre de Alviz, um Camões, um Herculano, um Egas Moniz, um Eça, um Antônio Nobre, um Fernando Pessoa. E não são eles mesmos que já repontaram aqui nos que escorraçaram o batavo e o francês e no gênio de José de Alencar, Machado de Assis, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade? Eu sei que não é possível princípios racistas no Brasil. Mas ao menos tenhamos uma imigração onde se procure manter a boa unidade do galinheiro. Não falo em unidade racial, Deus me livre! Peço é unidade cultural. Impossível é continuar nessa tentativa absurda de cruzar galinha com papagaio e pato com pomba-rola. Isso que se vê por aí não é democracia nem falta de preconceito, não, meus quindins. Isso não dá ovo e chama-se burrice. Mantenhamo-nos um pouco caboclos (orgulhosamente), bastante mulatos (gloriosamente), mas, principalmente, sejamos lusitanos. Vinde a nós portugas, galegos, mondrongos - mesmo se fordes da mesma massa de degredados que chegaram com os primeiros povoadores. O que esses tão degredados eram, não tinha nada demais. Ladrões? Assassinos? Nada disto. Criminosos sexuais, simpáticos bandalhos. Baste ler as Ordenanças e verificar a maioria dos motivos de degredo para o Brasil: comer mulher alheia, deflorar, estuprar, ser corno complacente e mais, e mais, e mais ainda - entretanto, nada de se temer. Fazer lembrar as delinqüências brejeiras de que um juiz mineiro que conheci, dizia, com inveja e depois de julgar -serem, exatamente, as que ele, juiz, tinha vontade de perpetrar.“

—  Pedro Nava, livro Baú de Ossos

Baú de Ossos

Fernando Pessoa photo