Frases do livro
Baú de Ossos

Baú de Ossos
Pedro NavaTítulo original Baú de ossos (Português Brasileiro, 1972)

Baú de Ossos é o primeiro volume das memórias do médico e escritor mineiro Pedro Nava. A obra foi lançada em 1972, a obra resgata histórias dos antepassados de Nava, além das primeiras lembranças do escritor. Obteve o prêmio Luísa Cláudio de Sousa, categoria Memórias, do Pen Clube do Brasil, em 1972.


Pedro Nava photo

„Nós não tivemos esse erro, ao contrário, usamos e abusamos da pimenta que nos veio da África, mas, por outro lado, temos como política imigratória, o não Ter política e, sim, um open door imprevidente e perigoso. No caminho que adotamos, podemos dar numa maionese perfeita, mas, como estes molhos, quando mal batidos - podemos desandar. O Brasil é sempre menos de portugueses e emigrantes e mais de indesejáveis entrantes - esquecendo que cada galego, por mais bruto e rude que seja, traz-nos cromossomos semelhantes aos navegadores, colonizadores e degredados - mantendo a nossa possibilidade de repetir um Nunálvares, um Mestre de Alviz, um Camões, um Herculano, um Egas Moniz, um Eça, um Antônio Nobre, um Fernando Pessoa. E não são eles mesmos que já repontaram aqui nos que escorraçaram o batavo e o francês e no gênio de José de Alencar, Machado de Assis, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade? Eu sei que não é possível princípios racistas no Brasil. Mas ao menos tenhamos uma imigração onde se procure manter a boa unidade do galinheiro. Não falo em unidade racial, Deus me livre! Peço é unidade cultural. Impossível é continuar nessa tentativa absurda de cruzar galinha com papagaio e pato com pomba-rola. Isso que se vê por aí não é democracia nem falta de preconceito, não, meus quindins. Isso não dá ovo e chama-se burrice. Mantenhamo-nos um pouco caboclos (orgulhosamente), bastante mulatos (gloriosamente), mas, principalmente, sejamos lusitanos. Vinde a nós portugas, galegos, mondrongos - mesmo se fordes da mesma massa de degredados que chegaram com os primeiros povoadores. O que esses tão degredados eram, não tinha nada demais. Ladrões? Assassinos? Nada disto. Criminosos sexuais, simpáticos bandalhos. Baste ler as Ordenanças e verificar a maioria dos motivos de degredo para o Brasil: comer mulher alheia, deflorar, estuprar, ser corno complacente e mais, e mais, e mais ainda - entretanto, nada de se temer. Fazer lembrar as delinqüências brejeiras de que um juiz mineiro que conheci, dizia, com inveja e depois de julgar -serem, exatamente, as que ele, juiz, tinha vontade de perpetrar.“

—  Pedro Nava, livro Baú de Ossos

Baú de Ossos

Pedro Nava photo
Pedro Nava photo
Pedro Nava photo
Pedro Nava photo
Pedro Nava photo
Pedro Nava photo

Autores parecidos

Pedro Nava photo
Pedro Nava8
1903 - 1984
Augusto Cury photo
Augusto Cury243
Psiquiatra e Escritor brasileiro
Clarice Lispector photo
Clarice Lispector1132
Escritora ucraniano-brasileira
Arthur Conan Doyle photo
Arthur Conan Doyle31
escritor e médico escocês
Mário Quintana photo
Mário Quintana396
Escritor brasileiro
Caio Fernando Abreu photo
Caio Fernando Abreu439
escritor brasileiro
Jorge Amado photo
Jorge Amado144
escritor brasileiro
Monteiro Lobato photo
Monteiro Lobato34
escritor brasileiro
Adélia Prado photo
Adélia Prado62
Poetisa e escritora brasileira
Autores parecidos
Pedro Nava photo
Pedro Nava8
1903 - 1984
Augusto Cury photo
Augusto Cury243
Psiquiatra e Escritor brasileiro
Clarice Lispector photo
Clarice Lispector1132
Escritora ucraniano-brasileira
Arthur Conan Doyle photo
Arthur Conan Doyle31
escritor e médico escocês