Frases sobre lágrimas

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da lágrima, dor, coração, vida.

Melhores frases sobre lágrimas

Max Lucado photo
Kito Aya photo

„Foi preciso um litro de lágrimas.“

—  Kito Aya 1962 - 1988

Citações do diário

Lewis Carroll photo

„Nada se é conquistado com lágrimas.“

—  Lewis Carroll, livro Alice no País das Maravilhas

Alice no País das Maravilhas

Eurípedes photo

„Não desperdice lágrimas frescas sobre problemas velhos.“

—  Eurípedes poeta trágico grego -480 - -406 a.C.

Alexander Frag. 44

Esquilo photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Jane Austen photo
Isak Dinesen photo
Simone de Beauvoir photo

Todas frases sobre lágrimas

Total 338 citações lágrima, filtro:

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Vincent Van Gogh photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Samael

Certa vez um arcanjo
que havia sido expulso do paraíso
isolou-se em um profundo abismo
a escrever Poesias

A sua solidão
era como a morte de um buraco negro
primeiro extinguia-se toda a luz que existia em seus olhos
depois suicidava-se
na mais terrível escuridão

Nas auroras do tempo
uma jovem humana
tão bela quanto as canções angelicais

Mas tão triste
quanto ao suicídio de uma criança órfã

Se aproximou do solitário arcanjo
oferecendo a ele todo o seu amor

Durante dois dias
e duas noites

Amaram-se tão completamente
que as estrelas do universo
voltaram a brilhar

Não demorou muito
para que a escuridão voltasse a assombrar os seus corações
pois quando você passa muito tempo no abismo
a sua alma morre a cada segundo

Suas asas tornaram-se negras
e a escuridão em seu peito
afastou a única humana
capaz de amá-lo

Recluso no abismo
afogando-se em miséria
aceitou a solidão como a sua única companhia

Ela nunca foi capaz de deixa-lo
suas poesias conversavam com as suas lágrimas

E a distância em seus corações
os separavam de um amor impossível

A dor se transformou em angustia
e a tristeza em uma terrível tragédia

Ela se envenenou com as suas poesias
e ele a segurou em seus braços pela ultima vez

Existem muitas formas de morrer
mas nenhuma delas causa tanto sofrimento
quanto ao suicídio de um amor sincero
nos corações gélidos de uma alma decadente

A Culpa fez o arcanjo ir a loucura
batendo as suas asas ele viajou até o paraíso
e com as suas próprias mãos
matou todos os deuses

Caminhando descalço sobre o sangue
sagrado de cristo
enforcou com as tripas dos deuses
todos os homens

Espalhando a sua dor pelo mundo
ele se enforcou sobre o túmulo da sua amada…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Paixão Amor Niilismo Romance Poesia

„Algo está errado


Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido. v.18


Após o nosso filho ter nascido, o médico disse: “Algo está errado.” O nosso filho, tão perfeito no exterior, tinha um defeito de nascença com risco de morte e seria necessário levá-lo a um hospital distante para imediata cirurgia.

Quando o médico lhe diz que algo está errado com o seu filho, a sua vida muda. O medo do que está por vir pode esmagar o seu espírito e você tropeçar, desesperada por um Deus que o fortaleça para poder apoiar o seu filho.

E você se questiona; Será que um Deus amoroso permitiria isso? Ele se preocupa com o meu filho? Onde está Deus? Estes pensamentos sacudiram a minha fé naquela manhã.

Em seguida, meu marido, Hiram, recebeu a mesma notícia, e oramos: “Obrigado, Pai, por nos dar o nosso filho. Ele te pertence. O Senhor o amava antes mesmo de nós o conhecermos, e ele pertence a ti. Fica com ele quando não pudermos. Amém.”

Hiram sempre foi um homem de poucas palavras. Ele se esforça para expressar seus pensamentos e muitas vezes nem tenta fazê-lo, sabendo que tenho palavras suficientes para preencher qualquer silêncio. Mas neste dia, com meu coração partido, meu espírito esmagado e pequena fé, Deus deu a Hiram força para falar as palavras que eu não poderia dizer. E segurando as mãos dele, em profundo silêncio e em meio a muitas lágrimas, senti que Deus estava muito próximo.

O melhor amigo 
é aquele que ora por você. Jolene Philo“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Dois retratos


Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará… v.22


A orgulhosa avó mostrou os dois retratos emoldurados aos amigos no hall da igreja. A primeira foto era de sua filha em sua terra natal na República do Burundi. O segundo era de seu neto, nascido recentemente daquela filha. Mas ela não o segurava nos braços, pois tinha morrido ao lhe dar à luz.

Uma amiga se aproximou e acariciou o rosto daquela querida avó. Ela conseguia dizer em meio as suas próprias lágrimas: “Eu sei. Eu sei.” E sabia. Pouco antes, ela havia enterrado um filho.

Há algo especial no conforto dos que experimentaram a mesma dor. Eles sabem. Pouco antes da prisão de Jesus, Ele alertou os Seus discípulos: “…chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará…”. Mas no momento seguinte, Ele os consolou: “…mas a vossa tristeza se converterá em alegria” (v.20). Em poucas horas, os discípulos estariam devastados pela prisão e morte de Jesus. Mas a profunda dor que sentiram logo se transformou em alegria que não poderiam ter imaginado quando o viram vivo novamente.

Isaías profetizou a respeito do Messias: “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si” (ISAÍAS 53:4). Temos um Salvador que não se limita a saber sobre a nossa dor; Ele a viveu. Ele sabe. Ele se importa. Um dia a nossa tristeza se converterá em alegria.

Quando colocamos nossas preocupações em Suas mãos, 
Ele coloca a Sua paz em nosso coração. Tim Gustafson“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Cantando com Violeta


…tendo o desejo de partir e estar com Cristo, […] Mas, […] é mais necessário permanecer na carne. vv.23,24


Uma idosa chamada Violeta sentou-se em sua cama numa enfermaria jamaicana e sorriu quando alguns adolescentes pararam para visitá-la. O ar quente, pegajoso, do meio-dia entrou em seu aposento, mas ela não reclamou. Em vez disso, ela começou a buscar em sua mente uma canção para entoar. E um enorme sorriso surgiu ao cantar: “Estou correndo, pulando, saltando, louvando ao Senhor!” Enquanto cantava, balançava os braços para frente e para trás como se estivesse correndo. Lágrimas vieram aos que estavam ao seu redor, pois Violeta não tinha pernas. Ela estava cantando porque, ela mesmo disse, “Jesus me ama e no céu vou ter pernas para correr.”

A alegria de Violeta e a esperançosa antecipação do céu deram nova vitalidade às palavras de Paulo em Filipenses 1, quando ele se referiu às questões de vida e morte: “…se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher”, disse ele: “estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor” (vv.22,23).

Cada um de nós enfrenta tempos difíceis que podem nos fazer desejar a promessa de alívio celestial. Mas, como Violeta nos mostrou alegria apesar das circunstâncias atuais, nós também podemos continuar “correndo, saltando, louvando ao Senhor”, pela vida abundante que Ele nos dá aqui e pela suprema alegria que nos espera.

Quando Deus nos dá uma nova vida, 
encontramos a alegria infinita. Dave Branon“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Gerson De Rodrigues photo

„Poema – Tudo que eu preciso fazer agora é dormir

Acordei as seis horas da manhã
com um vazio em meu peito
que me faz desejar um câncer em meu cérebro

Preciso devolver um livro na biblioteca
ando pela rua como um homem doente
passei tanto tempo sozinho
que eu já não sei mais conviver em sociedade

Chego até a biblioteca
o local está repleto de gente
todos eles me olham com cara de nojo

Como se eu fosse algum tipo de monstro
não posso culpá-los
talvez eu realmente seja

Na minha mente
estão todos mortos
e o diabo dança sobre os seus cadáveres

Caminho em direção a balconista
e as minhas pernas começam a falhar
sem que eu perceba caio em meio a uma pilha de livros

As pessoas correm ao meu redor
e me apontam os seus dedos sujos

Levanto-me em desespero,
e volto correndo para casa

Tranco-me em meu quarto
como quem procura se esconder das estrelas
e novamente eu sou um lobo solitário
abandonado em um ninho de ratos

As paredes do meu quarto
jorram o sangue de um suicídio inevitável

Todos os dias eu me pergunto;

O que diabos eu estou fazendo aqui?
quando foi que eu me perdi?

Rasguei as entranhas da minha própria Mãe
e a amaldiçoei com a minha vida

Eu afastei todos aqueles
que se aproximaram de mim

Como uma barata
que rasteja em meio aos vermes
sinto-me repugnante

Sozinho no mundo
um escravo da minha própria insanidade
o Cristo do meu próprio testamento

As fotos velhas na minha estante
me lembram os dias em que eu fui feliz

Sinto-me culpado por existir
e a cada segundo eu me odeio cada vez mais

Volto para o meu quarto,
tudo que eu preciso fazer agora é dormir;

Acordei as seis horas da manhã
com um vazio em meu peito
que me faz desejar um câncer em meu cérebro

Vou até o espelho e me pergunto;
por quantos anos eu ainda irei suportar
essa rotina de sofrimento?

Uma lágrima sincera escorre pelo meu rosto
volto até o meu quarto
decidido a acabar com tudo
sátiros dançam ao redor da minha cama

Pego as minhas roupas e tampo todas as
saídas de ar da minha casa
vou até a cozinha e ligo o gás

Tudo que eu preciso fazer agora
é dormir…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Solidão Deuses Ateísmo Niilismo

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Os Pássaros na minha janela

Em meu peito vive uma angustia
que transborda pelos meus olhos

Respiro ofegante
sentindo um aperto em meu coração

O desespero toma conta do meu corpo
com as mãos tremendo
entro no banheiro aos prantos

Sem pensar nas consequências
eu me enforco no chuveiro

O meu corpo se debate em agonia
as minhas mãos tremulas tentam
se agarrar nos azulejos

O chuveiro estoura
sou arremessado ao chão de joelhos
e as minhas lágrimas fundem-se com a água

Chorando sem saber o que fazer
eu deito na cama abraçado a solidão

Passaram-se três dias
e eu ainda não me levantei

Vejo o meu corpo
definhar-se com a fome
os meus ossos secarem com a tristeza

As baratas no meu quarto
são as únicas testemunhas
do meu fim decadente

Lá fora há um pássaro
que canta em harmonia
eu poderia morrer agora
e seus sussurros me fariam sorrir

Com o corpo fraco
sentindo todo o peso do mundo
nas minhas costas

Em passos leves
eu tento caminhar até a janela

Ao abri-la
me deparo com um mundo
sombrio e repleto de dor

Sou arremessado de joelhos
nas chamas escaldantes
do meu próprio inferno

Caminhando descalço
em meio as chamas

Eu me vejo enforcado
gritando o meu próprio nome

Cristo se arrasta
ao meu lado de joelhos
enquanto a minha alma chicoteia
as suas costas
só para vê-lo sangrar

Ao fundo
eu vejo a morte
dilacerando almas confusas
com um sorriso em seu rosto

Um diabo terrível
se esgueira sobre os meus pés

E em seus olhos
eu vejo a figura de um homem triste

Deitado na cama
definhando-se com a fome
enquanto as suas angustias
corroem os seus sonhos
e o mata aos poucos

Aquela criatura decadente
definhando-se em seu próprio abismo
era tudo que eu fui
e tudo que eu sou

Aqueles eram os meus sentimentos
minhas dores
e minhas angustias

Os ratos se alimentavam
dos meus restos podres
e as baratas faziam ninhos nas minhas entranhas

Tal como cristo que sorriu
pela ultima vez
quando foi abandonado pelo seu próprio pai

Ou como as estrelas órfãs
a vagar na escuridão

Somente morto eu poderia sorrir
para os pássaros na minha janela…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Morte Niilismo Nietzsche Suicídio Vida

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - O Suicídio de um homem santo

A Minha vida é uma metáfora
para um suicídio inevitável
escrita com o sangue dos poetas mortos

Como podem me tirar o direito
de acabar com a minha própria vida?

Pergunto-lhes indignado!
negarias o remédio da cura
de uma enfermidade terrível
a um homem doente?

Não!?
então por que negam a mim o direito de morrer?

Do que vale um sorriso?
se a minha alma chora em tormento…

Nos devaneios da minha mente insana
viajei até o paraíso ao lado de Cristo
e lá estava Deus
enforcado em suas próprias tripas

Com uma carta ensanguentada em seus pés
que dizia;
- Me perdoem por condená-los a viver

Cristo chorava aos pés sujos do seu próprio pai
e as suas lagrimas tocaram o meu coração
o homem que antes era santo,
agora clamava por perdão

As dores em seu peito
eram mais cruéis do que a da crucificação
suas bocas pálidas e tremulas me diziam;

- Não me deixe cair em tentação

Eu fiquei completamente sem reação
não deveriam ser os homens a clamarem
aos deuses por perdão?

Olhei em seus olhos
e vi a mim mesmo
gritando em desespero
enquanto homens pregavam as minhas mãos

A Minha melancolia
é como uma metamorfose
há dias em que ela é parte
da minha essência

Há dias que ela
se transforma em demência

Como a lua que possui dois lados
a escuridão que dança com a luz

Da mesma maneira que o diabo
beijou jesus dependurado na cruz

A Minha melancolia
muitas vezes me seduz

Talvez esta seja a única
língua que me traduz

Quem dera fosse eu o homem morto na cruz!

Eu devo me suicidar um dia!
da maneira mais dolorosa possível
vivendo todos os dias
sentindo a miséria da existência
dilacerar minha alma

Como os pregos enferrujados
que dilaceraram as mãos sujas de cristo

Sim eu irei me matar!
mas apenas quando a vida
me afogar em sua miséria
até que os meus pulmões
não consigam mais respirar

Mas enquanto eu vagar por estas ruas solitárias
a minha mente irá afogar outras
em reflexões filosóficas

Até que a minha loucura
transforme a sua sanidade em demência!“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Niilismo

Gerson De Rodrigues photo

„Poema – Memórias póstumas

Quando eu disser
que me cansei de todas as coisas
não tentem me salvar

Deixem-me cortar os meus punhos
e sangrar até a luz do meio dia

Quando perceberem
que já estou morto

Transformem este dia
em um feriado santo

Batizem os seus filhos
em meu sangue

Exibam o meu corpo
em um altar de glória e poder

Profiram mentiras em meu nome
lembrem-se de memórias das quais
eu nunca vivi

E tampouco
gostaria de tê-las vivido

Coloquem flores
sobre o meu tumulo

Gritem por todos os cantos
o quanto sentem a minha falta

Digam
‘’Amo-te mais do que todas
as coisas’’

Enquanto olham as minhas velhas
fotografias de momentos dos quais
poderiam ter me dito tais palavras doces

Sim! Ascendam velas
em meu nome

Digam aos meus parentes e amigos
que sentem a minha falta

Mas por favor
esqueçam das vezes
das quais eu estava ao seu lado

Esqueçam de uma vez por todas
todos os passos frios que dei por
estas ruas vazias e cheias de ódio

Não lembrem-se das minhas
unhas arranhando estas paredes sujas
enquanto clamava por ajuda

Fechem os olhos e tampem os ouvidos
tal como fizeram das vezes
que supliquei em lágrimas

Lembrem-se das poucas
vezes em que eu fui capaz de sorrir

Ah (…)
quando eu caminhar
em direção aos vales distantes

Não culparei nenhum de vocês
por não compreenderem os meus demônios

Apenas deixarei que lembrem-se
das vezes que os transformei em canções poéticas
para os seus ouvidos surdos!

Não se preocupem com as lágrimas
ou com as dores do meu ato final

Continuem rezando
para os seus deuses de mentira

Vivendo suas vidas vazias
e cheias de fortuna

Continuem!
suplico que continuem!
em suas guerras ideológicas

Esqueçam aqueles que como eu
morreram abraçando suas próprias pernas

Esqueçam-me de uma vez por todas
enquanto lembram-se
do homem que eu nunca fui…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Kito Aya photo
Paulo Coelho photo

„O grito por amor

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus. - 1 João 4: 7

Um pai sentou-se à sua mesa debruçado sobre suas contas mensais quando seu filho entrou correndo e anunciou: “Pai, porque este é seu aniversário e você tem 55 anos, eu vou te dar 55 beijos, um para cada ano. ! ”Quando o menino começou a cumprir sua palavra, o pai exclamou:“ Oh, André, não faça isso agora; Estou muito ocupado!"

O jovem imediatamente ficou em silêncio enquanto as lágrimas brotavam em seus grandes olhos azuis. Apologeticamente, o pai disse: "Você pode terminar mais tarde." O menino não disse nada, mas silenciosamente se afastou, com a decepção escrita em todo o rosto. Naquela noite, o pai disse: "Venha e termine os beijos agora, Andrew". Mas o menino não respondeu.

Pouco tempo depois desse incidente, o garoto se afogou. Seu pai de coração partido escreveu: "Se ao menos eu pudesse dizer a ele o quanto lamento minhas palavras impensadas e posso ter certeza de que ele sabe o quanto meu coração está doendo".

O amor é uma via de mão dupla. Qualquer ato amoroso deve ser calorosamente aceito ou será tomado como rejeição e pode deixar uma cicatriz. Se estamos muito ocupados para dar e receber amor, estamos ocupados demais. Nada é mais importante do que responder com amor ao clamor por amor daqueles que estão próximos e preciosos para nós.

Senhor, ensina-nos o segredo do amor,
o amor que você está pedindo hoje;
Então ajude-nos a amar uns aos outros -
Por isso, oramos sinceramente. —Anon.

Nada é mais caro do que amar - exceto não amar. Henry G. Bosch“

—  ministério_pão_diário

„Ele é seguro?

Eu vou te ensinar o temor do Senhor. - Salmo 34:11

Nós não iremos muito longe em nosso relacionamento com Deus a menos que entendamos que Ele deve ser temido. Em As Crônicas de Nárnia, uma alegoria de CS Lewis, a autora tem duas garotas, Susan e Lucy, se preparando para conhecer o leão de Aslam, que representa Cristo. Dois animais falantes, o Sr. e a Sra. Beaver, preparam as crianças para o encontro.

"Ooh", disse Susan, "eu pensei que ele era um homem. Ele está bem seguro? Vou me sentir bastante nervoso em encontrar um leão.

"Que você vai, querida", disse a Sra. Beaver. "E não se engane, se há alguém que pode aparecer antes de Aslam sem que seus joelhos batam, eles são mais corajosos do que a maioria ou simplesmente bobos".

"Então ele não está seguro?", Disse Lucy.

"Seguro?", Disse o Sr. Beaver. “Você não ouve o que a Sra. Beaver lhe diz? Quem disse alguma coisa sobre segurança? Claro que ele não está seguro. Mas ele é bom. Ele é o rei, eu te digo!

O salmista compreendeu essa maravilhosa maravilha quando escreveu: “Ó, prove e vê que o Senhor é bom”, e depois instou os santos de Deus a temê-lo (Sl 34: 8-9). Não precisamos nos encolher de medo, mas devemos viver diante Dele com reverência e reverência. Nosso Deus santo não é "seguro", mas é bom.

Oh, como eu te temo, vivendo Deus,
Com medos mais profundos e ternos
Te adoro com tremenda esperança
E lágrimas penitenciais! —Salter

Se você teme a Deus, não precisa temer mais nada. Haddon W. Robinson“

—  ministério_pão_diário

Percy Bysshe Shelley photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Isaías 14:12

Se o suicídio de um homem
os assusta
jamais olhe em seus olhos!

Neles existem dores
que jamais conseguiriam compreender;

Já não me importam as estrelas
ou os devaneios longínquos
sinto-me como se estivesse morto

Apático como a navalha
que transformou os meus pulsos
em rios de sangue e miséria

Não restou-me nada
do homem que eu fui
para o verme que eu sou hoje

Logo eu
que sempre lutei por liberdade
tornei-me o escravo do meu próprio abismo

A criança maldita
que só trouxe
miséria aos seus pais

O homem maldito
que traz em seus olhos
a luz da estrela da manhã
refletida em suas lágrimas.

Em mim vivem
monstros terríveis
adormecidos como criaturas do inferno

Todas as noites os acordo
para dançarmos com o Diabo;

Não deveria eu
lançar-me em meio
as chamas do inferno

Com uma corda em meu pescoço
gritando como um louco

- Crucifiquem-me
pois sou Judas!
trai a mim mesmo!

Não consigo pedir ajuda
aos homens
pois sou dono de uma timidez cruel

Não posso pedir ajuda
aos Deuses
pois vendi minha alma ao diabo

Sozinho em meu próprio abismo
solitário em meu próprio inferno
um Deus que perdeu sua própria fé

O amor não pode salvar um homem
que sobre o seu próprio túmulo
rogou bênçãos e sacrilégios;

- Não estão escutando estas
lindas canções?

- Como podem chorar
ao escutar estas belas sinfonias?

Não chorem
pelos meus pulsos dilacerados

Ou pelo homem enforcado
naquele quarto escuro

- Não veem que agora
estou sorrindo?

Um arcanjo de asas negras
sepultou a minha alma
sob a luz da estrela da manhã…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Gerson De Rodrigues photo

„Poema – 37° Phoenix

‘’A Maior mentira que
eu já escutei
foi quando Judas me disse
que havia cuspido na cara
de um homem Santo

Santo?
aonde estão todos os santos?
senão embaixo do tumulo
de todos os homens! ’’

Existem tantas formas de se suicidar
mas nenhuma delas é tão cruel
quanto assistir a si mesmo morrer
todas as noites

Há tanta luz
sobre os meus olhos cegos
que eu só consigo enxergar a escuridão

- Não percebem estes ratos sujos
se alimentando dos meus despojos podres?

- Não conseguem escutar os meus
sussurros de desespero?

Estes gritos em forma de lágrimas
são para o diabo como sinfonias de sangue

- Se afastem de mim
quando eu estiver pronto para morrer!

Não me venham com
as suas poesias de amor
ou orações de mentiras

Eu assisti cristo ser enforcado
nos sonhos e ilusões
de um poeta apaixonado

Não amem as minhas palavras
temam por suas vidas
pois em cada verso deste poema
há uma dor que jamais desejariam compreender.

'' Há uma criança inocente que
vive em meu coração

Todas as manhãs ela acorda
para brincar com os deuses

O Sorriso em seu rosto
e o brilho em seus olhos
ofusca o desespero que habita em seu coração

Durante os dias mais claros
ela canta e dança por todos os
cômodos da casa

E sem que percebam
distraídos pela sua bela canção

A inocente criança se enforca
esbanjando pela última vez
Seu belo e inocente sorriso;

Há uma terrível criatura que
vive em meu coração

Todas as noites ela acorda
de um suicídio para brincar com o diabo

As lágrimas em seus olhos
e o ódio estampado em seu rosto
ofusca a profunda vontade de
viver que habita seu coração

Durante as noites mais sombrias
ela canta e dança por todos
cômodos da casa

Incomodada pela sua
terrível canção

A criatura se enforca
esbanjando pela última vez
sua profunda vontade de viver…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

„"É hora de dormir!"

Meu coração está feliz e minha glória se alegra; minha carne também descansará em esperança. - Escritura de hoje : Salmo 16

Em seu livro The best is yet to be, Henry Durbanville lembrou que, quando menino, quando as sombras da noite se alongavam e a escuridão caía, ele ouvia sua mãe gritar: "Henry, é hora de dormir!". Típico de todos os meninos pequenos, ele resistiu. a ideia de deixar seus amigos, guardar seus brinquedos e ir ao seu quarto para passar a noite. No entanto, no fundo de seu coração, ele sabia muito bem que o sono era necessário.

Durbanville fez essa aplicação espiritual para o cristão que sente o fim da vida se aproximando: “A morte é afetuosa e severa. Quando chega o momento certo, ela nos diz: "É sua hora de dormir". Oh, podemos protestar um pouco, mas sabemos muito bem que chegou a hora do descanso, e em nossos corações estamos realmente ansiando por isso ”.

O pensamento de morrer pode preencher até o coração de um cristão com emoções misturadas. Quando pensamos em deixar nossos entes queridos, isso pode fazer com que as lágrimas fluam. O rompimento de laços humanos próximos magoa. Por outro lado, há a antecipação de descansar de nossos trabalhos e estar na presença do Senhor.

Se colocamos nossa fé em Cristo, podemos esperar a alegria e a liberação que serão nossas quando ouvirmos o chamado da noite: “Venha para casa. É hora de dormir!"

Refletir e Orar
No entardecer da vida, no crepúsculo,
À sua porta eu vou bater e esperar;
Pelo precioso amor de Jesus,
eu entrarei na porta do céu. —Blom

Para o cristão, a morte é a última sombra da noite da Terra antes do amanhecer do céu. Richard DeHaan“

—  ministério_pão_diário

„Ele irá fornecer

Abraão disse: “Meu filho, Deus proverá para si o cordeiro”. Escritura de hoje :
Gênesis 22: 1-14

O pastor Roy S. Nicholson contou sobre uma época em que ele não tinha dinheiro para comprar comida. Determinado a confiar em Deus para suas necessidades e não contar a ninguém, ele e sua esposa apresentaram seu caso ao Senhor em oração.

Na manhã seguinte, ele colocou a mesa para o café da manhã, confiante de que o Senhor providenciaria algo para comer. Nesse momento, um menino da escola dominical veio até a casa com um saco de farinha e um pouco de leite. Lágrimas brotaram nos olhos do pastor. Mal saíra do que a “vovó”, Turner apareceu na porta carregando uma grande travessa carregada com presunto de Virgínia, ovos, grits e molho, biscoitos quentes, manteiga, geleia e café. Nicholson estava cheio de louvor a Deus.

Abraão enfrentou um teste de fé ainda mais sério. Deus lhe havia dito que ele seria o pai de uma grande nação, mas então Deus lhe pediu que sacrificasse seu filho prometido Isaac no altar. Como poderia Abraão fazer uma coisa dessas? Muitos anos de confiar em Deus para o filho há muito esperado lhe ensinaram que sua confiança em Deus seria plenamente recompensada. "Deus proverá para Si mesmo o cordeiro", disse ele a Isaac.

Fé assim não nasce em um dia. É o resultado de anos de ver a fidelidade de Deus às Suas promessas, e cresce à medida que diariamente escolhemos acreditar no que Ele diz.

Refletir e Orar
Oração
Senhor, perdoa-nos por não confiar mais em você. Quando enfrentamos tempos de testes, podemos seguir o exemplo de Abraão e acreditar que você fornecerá exatamente o que precisamos.

A pobreza do homem nunca é uma pressão sobre a provisão de Deus. Dennis J. DeHaan“

—  ministério_pão_diário

Machado de Assis photo

„Do medo à fé


O Senhor Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente. v.19


As palavras do médico pousaram em seu coração com um baque. Era câncer. Seu mundo parou quando pensou no marido e nos filhos. Tinham orado diligentemente, esperando um resultado diferente. O que eles fariam? Com lágrimas escorrendo pelo seu rosto, ela disse suavemente: “Deus, isso está além do nosso controle. Por favor, seja nossa força.”

O que fazemos quando o prognóstico é devastador, quando as nossas circunstâncias estão além de nosso controle? Para onde nos voltamos quando a perspectiva parece desesperada?

A situação do profeta Habacuque estava fora do seu controle, e o medo que ele sentiu o aterrorizou. O julgamento futuro seria catastrófico (vv.16,17). No entanto, no meio do caos iminente, Habacuque escolheu viver pela sua fé (2:4) e se alegrar em Deus (3:18). Ele não colocou a sua confiança e fé em suas circunstâncias, habilidade ou recursos, mas na bondade e na grandeza de Deus. Sua confiança em Deus o compeliu a proclamar: “O Senhor Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente” (v.19).

Ao enfrentarmos circunstâncias difíceis — doença, crise familiar, finanças — devemos sempre colocar a nossa fé e confiança em Deus. Ele está conosco em tudo o que enfrentamos.

Quando confrontados com circunstâncias difíceis, 
podemos confiar que Deus é a nossa força. Kevin Williams“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

John Lennon photo
Freddie Mercury photo
Michael Jackson photo

„Eu fui forçado a me submeter a um exame humilhante e desumano feito pelos departamentos de polícia de Los Angeles e Santa Barbara no início desta semana. Eles me apresentaram um mandado de busca que lhes dava permissão de ver e fotografar meu corpo, incluindo meu pênis, minhas nádegas, a parte de baixo do meu torso, as minhas coxas e qualquer outras áreas que eles quisessem. O mandado também me dizia para cooperar em qualquer exame do meu corpo pelos médicos deles para determinar a condição da minha pele, incluindo se eu tenho vitiligo ou qualquer problema de pele. […]Foi a experiência mais hulmilhante que já passei na minha vida. […] Foi um pesadelo. Pesadelo horrível. Mas se é isso que eu devo enfrentar para provar minha inocência. MINHA TOTAL INOCÊNCIA. Então que seja… Durante minha vida toda, eu só tentei ajudar milhares e milhares de crianças pra que elas tenham vidas felizes. Me traz lágrimas aos olhos quando vejo uma criança sofrendo. Não sou culpado dessas alegações. E se sou culpado de qualquer coisa, é de dar tudo o que podia para ajudar crianças, do mundo inteiro. É de amar crianças de todas as idade e raças. É de ganhar felicidade e alegria, ao ver crianças com suas inocências e rostos sorridentes. É de aproveitar através deles a infância que eu perdi. E se sou culpado de qualquer coisa é de acreditar no que Deus diz sobre as crianças. "Crianças que sofram, venham até mim. E não as proíbam no Reino de Deus.“

—  Michael Jackson cantautor, compositor e intérprete americano 1958 - 2009

De jeito nenhum eu afirmo que sou Deus. Mas tento sim ser como Deus no coração.[...]"
Descrevendo o humilhante exame ao qual foi imposto pela polícia norte-americana.
Atribuídas

Paulo Coelho photo
Gerson De Rodrigues photo
Khalil Gibran photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema – Sloniec

Nas auroras do tempo
muito antes dos homens
caminharem pela terra

Um arcanjo que odiava
todos os deuses
batia as suas asas na mais ríspida solidão

Certa vez,
enquanto vagava pelo universo
escutou os lamentos de um anjo;

Sloniec chorava,
e as suas lágrimas partiram
o seu coração

Aquele arcanjo de asas negras
que viveu toda a sua vida
atormentado pelas suas angustias

Comoveu-se com as lágrimas
daquele anjo

E ao perguntar porque
ela estava chorando

O anjo respondeu que havia
cometido o maior de todos os pecados

Ela havia se apaixonado pelo Arcanjo
enquanto observava ele vagando
em sua própria solidão

Assustado com o Amor
que nunca havia sentido

O Arcanjo bateu as suas asas
e isolou-se nos confins
de um buraco negro

Devido ao pecado de Amar
os deuses baniram a alma
daquele anjo
no corpo de uma criança humana

O Arcanjo enfurecido,
se rebelou
contra os deuses

E com as suas próprias mãos
derrubou os portões dos céus

Enforcando todos os deuses e arcanjos
em suas próprias tripas
fazendo das suas vísceras
poesias de sangue

E como um último ato
enquanto chorava olhando
as estrelas

Baniu a si mesmo
para o reino dos homens

Reencarnando
em um jovem Poeta;

Ele havia crescido sem lembrar
do seu passado

Mas durante toda a sua vida
afogava-se em lágrimas
que ele nunca soube
de onde vinham

Sloniec era a mais bela
humana que já havia caminhado pela terra
o seu sorriso era como a Lua e as Estrelas
lábios que nos beijam e nos levam a loucura

Mas o seu coração era triste
e o suicídio vagava ao seu lado;

Enquanto planejava se enforcar
em uma destas noites solitárias

O jovem poeta foi atraído
pela mais bela das sinfonias

Uma voz tão doce
que fariam flores nascer
em um coração suicida

Sem compreender
aquele nefasto sentimento
o jovem poeta jurou pelos deuses
que havia matado

Que iria amar e proteger
aquela garota
que fez suas asas
crescerem novamente…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Leo Buscaglia photo
Leonardo Boff photo
Paulo Coelho photo
Charlie Chaplin photo
Fernando Pessoa photo

„Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Variante: Mar Português

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - O Equinócio part 2

Não sou um homem de virtudes
Tampouco acredito que desta vida
Levarei alguma honraria

Morrerei tal como tenho vivido
Um Diabo a dançar nas labaredas
Do meu próprio inferno

Estou hoje convencido de todas as minhas incertezas
Lúcido como um homem que perdeu a razão

Nunca obtive sucesso na vida
Destas falhas que colecionei por este longo caminho
Transformei o meu ninho de desprezo e decepções
Em um paraíso de Tolos e Suicidas

Se a criança que eu fui um dia
Soubesse o monstro que eu me tornei

Arrancaria suas próprias tripas com as mãos
E se enforcaria até que não sobrasse um único suspiro;

E há tantos caminhos que eu poderia ter percorrido
Mas quais destes caminhos me levariam ao céu?
Se a alma que um dia eu tive
A vendi só pelo prazer de vê-la queimar!

Aonde se perdeu aquela inocente criança?
Que dizia com lágrimas em seus olhos

‘"Subirei aos céus e erguerei o meu trono
acima do cadáver de Deus
eu me assentarei no monte da assembleia
no ponto mais elevado e matarei todos os arcanjos

Subirei mais alto que as mais altas nuvens
serei como o Altíssimo espirito santo"

Mas fui condenado as profundezas de Sheol
E fui levado ao mais profundo abismo!

Eu que sempre sonhei em ser o filho da alvorada!
Sou hoje a escuridão no coração dos loucos e dos suicidas (…)

‘’ Na ala psiquiátrica a insanidade e a razão
Tiveram um filho e o chamaram de Deus

Hoje devo chama-lo de pai
Porque estas são as chamas da minha loucura’’

O mundo é feito para as almas que desejam viver
Não para os suicidas que mutilam seu próprio corpo
Com a esperança de que algum dia fecharão os seus olhos
E a morte beijará os seus lábios

Tenho sonhado todas as noites com uma nova vida
Um novo rumo, até mesmo um novo nome

Filosofei com sofistas e poetas gregos
Sobre a origem e o renascimento do universo

Dialoguei com cristo sobre o seu sacrifício
E invejei seu amor pelos homens

Nesta longa jornada descobri que sou só uma criança
Com medo do escuro e sonhos que nunca vão se realizar

Serei sempre esta alma vazia
Sentada no lado escuro da Lua

Admirando a luz das estrelas
Que há muito tempo já se apagou…
- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Lúcifer fernando pessoa poesias maldições
nietzche

José Saramago photo
António Lobo Antunes photo
Fernando Pessoa photo
Elizabeth Barrett Browning photo
Cecília Meireles photo
Machado de Assis photo

„CAPÍTULO XCIX   O FILHO É A CARA DO PAI   Minha mãe, quando eu regressei bacharel quase estalou de felicidade Ainda ouço a voz de José Dias, lembrando o evangelho de São João, e dizendo ao ver-nos abraçados: – Mulher, eis aí o teu filho! Filho, eis aí a tua mãe! Minha mãe, entre lágrimas: – Mano Cosme, é a cara do pai, não é? – Sim, tem alguma cousa, os olhos, a disposição do rosto. É o pai, um pouco mais moderno, concluiu por chalaça. E diga-me agora mana Glória, não foi melhor que ele não teimasse em ser padre? Veja se este peralta daria um padre capaz. – Como vai o meu substituto? – Vai indo, ordena-se para o ano, respondeu tio Cosme. Hás de ir ver a ordenação; eu também, se o meu senhor coração consentir. É bom que te sintas na alma do outro, como se recebesses em ti mesmo a sagração. – Justamente! – exclamou minha mãe. – Mas veja bem, mano Cosme, veja se não é a figura do meu defunto. Olha, Bentinho, olha bem para mim. Sempre achei que te parecias com ele, agora é muito mais. O bigode é que desfaz um pouco… – Sim, mana Glória, o bigode realmente… mas é muito parecido. E minha mãe beijava-me com uma ternura que não sei escrever. Tio Cosme, para alegrá-la, chamava-me doutor, José Dias também, e todos em casa, a prima, os escravos, as visitas, Pádua, a filha, e ela mesma repetiam-me o título.“

—  Machado de Assis, livro Dom Casmurro

Dom Casmurro

António Lobo Antunes photo
Anne Rice photo
José Saramago photo
Karl Marx photo
Umberto Eco photo
Walt Whitman photo

„Lágrimas! Lágrimas! Lágrimas! / À noite, na solidão, lágrimas.“

—  Walt Whitman 1819 - 1892

Fonte: "Folhas de Relva"

Harriet Beecher Stowe photo

„As lágrimas mais amargas derramadas sobre os túmulos são pelas palavras que não foram ditas e coisas que não foram feitas.“

—  Harriet Beecher Stowe 1811 - 1896

The bitterest tears shed over graves are for words left unsaid and deeds left undone
"Repression" in "Little foxes: or, The insignificant little habits which mar domestic happiness"‎ - Página 87 http://books.google.com.br/books?id=5C03AAAAIAAJ&pg=PA87, Harriet Beecher Stowe - Bell and Daldy, 1866 - 188 páginas

Ugo Foscolo photo

„Cada lágrima ensina-nos uma verdade.“

—  Ugo Foscolo 1778 - 1827

Fonte: do prefácio de Didimo Chierico a Laurence Sterne, "Viaggio sentimentale" http://books.google.com/books?id=sdA-AAAAIAAJ&dq=%22Viaggio+sentimentale%22+Laurence+Sterne&hl=pt-BR&source=gbs_summary_s&cad=0

Olavo Bilac photo

„Noite. Oh! Saudade!… A dolorosa rama / Da árvore aflita pelo chão derrama / As folhas, como lágrimas… Lembrar!“

—  Olavo Bilac Jornalista, contista, cronista e poeta brasileiro. 1865 - 1918

Ciclo; (veja texto integral no Wikisource)

Teixeira de Pascoaes photo

„Quem sofre resplandece. A lágrima alumia.“

—  Teixeira de Pascoaes 1877 - 1952

Fonte: Dor, em Para a Luz

Charles Dickens photo

„Nunca nos devemos envergonhar das nossas lágrimas.“

—  Charles Dickens 1812 - 1870

Variante: Nunca devemos envergonharmo-nos das nossas próprias lágrimas.

William Shakespeare photo
Percy Bysshe Shelley photo
Renato Russo photo
Bob Marley photo

„Se choras por não ter visto o pôr do Sol, as lágrimas não te deixarão ver as estrelas.“

—  Bob Marley foi um cantor, guitarrista (raggae) e compositor jamaicano famoso por popularizar o gênero 1945 - 1981

Variante: Se choras por não ter visto o pôr-do-sol, as lágrimas não lhe permitirão ver as estrelas.

Júlio Dinis photo
Alan Moore photo
Virginia Woolf photo

„Arranquei do calendário os dias de Maio e de Junho, disse Susan, e vinte e dois dias de Julho. Arranquei-os e amarfanhei-os, e por isso já só existem como um peso no meu coração. São dias mutilados, como borboletas nocturnas com as asas arrancadas, incapazes de voar. Já só faltam oito dias. Dentro de oito dias, descerei do comboio e ficarei parada no cais às seis e vinte e cinco. A minha liberdade vai então desabrochar, fazendo estalar todas as obrigações que me tolhem e diminuem — os horários, a ordem, a disciplina, o ter de estar aqui e ali a horas certas. O dia explodirá de brilho quando eu abrir a porta e vir o meu pai com o seu velho chapéu e as polainas. Vou tremer. Romper em lágrimas. Depois, na manhã seguinte, levanto-me de madrugada. Saio pela porta da cozinha. Irei pelo paul, ouvindo trovejar atrás de mim os grandes cavalos montados por fantasmas que de súbito se detêm. Verei a andorinha roçando a erva. Vou atirar-me para um banco junto ao rio e ficar a ver os peixes deslizando entre os juncos. Terei nas palmas das mãos as marcas das agulhas dos pinheiros. Então poderei desdobrar e examinar com atenção tudo o que aqui nasceu em mim, qualquer coisa de duro. Porque alguma coisa cresceu dentro de mim, através do Inverno e do Verão, dos dormitórios e escadarias. Ao contrário de Jinny não quero ser admirada. Não quero que as pessoas ergam os olhos de admiração quando entro. Quero dar e receber e quero a solidão onde possa desdobrar em paz tudo o que possuo.“

—  Virginia Woolf, livro The Waves

The Waves

Machado de Assis photo
Søren Kierkegaard photo

„Quem alcançou neste mundo grandeza igual à dessa bendita mulher, a mãe de Deus, a virgem Maria? No entanto, como se fala dela? A sua grandeza não provém do fato de ter sido bendita entre as mulheres, e se uma estranha coincidência não levasse a assembléia a pensar com a mesma desumanidade do predicador, qualquer jovem devia, seguramente, perguntar: Por que não fui eu também bendita entre as mulheres? Se se não possuísse outra resposta, de forma alguma acharia ter de rejeitar esta pergunta, pretextando a sua falta de senso; porque, no abstrato, em presença de um favor, todos temos mesmos direitos. São esquecidos a tribulação, a angústia, o paradoxo. Meu pensamento é tão puro como o de qualquer outro; e ele purifica-se, exercendo-se sobre as coisas. E se não se enobrecer pode-se então esperar pelo espanto; porque se essas imagens foram alguma vez evocadas jamais poderão ser esquecidas. E se contra elasse peca, extraem da sua muda cólera uma terrível vingança, mais terrível do que os rugidos de dez ferozes críticos. Maria, indubitavelmente, deu à luz o filho graças a um milagre, mas no decorrer de tal acontecimento foi como todas as outras mulheres, e esse tempo é o da angústia, da tribulação e do paradoxo. O anjo foi, sem dúvida, um espírito caritativo, mas não foi complacente porque não foi dizer a todas as outras virgens de Israel: Não desprezeis Maria, porque lhe sucedeu o extraordinário. Apresentou-se perante ela só e ninguém a pôde compreender. No entanto, que outra mulher foi mais ofendida do que Maria? Pois não é também verdade que aquele a quem Deus abençoa é também amaldiçoado com o mesmo sopro do seu espírito? É desta forma que se torna necessário, espiritualmente, compreender Maria. Ela não é, de maneira alguma, uma formosa dama que brinca com um deus menino, e até me sinto revoltado ao dizer isto e muito mais ao pensar na afetação e ligeireza de tal concepção. Apesar disso, quando diz: sou a serva do Senhor, ela é grande e imagino que não deve ser difícil explicar por que razão se tornou mãe de Deus. Não precisa, absolutamente nada, da admiração do mundo, tal como Abraão não necessita de lágrimas, porque nem ela foi uma heroína, nem ele foi um herói. E não se tornaram grandes por terem escapado à tribulação, ao desespero e ao paradoxo, mas precisamente porque sofreram tudo isso. Há grandeza em ouvir dizer ao poeta, quando apresenta o seu herói trágico à admiração dos homens: chorai por ele; merece-o; porque é grandioso merecer as lágrimas dos que são dignos de as derramar; há grandeza em ver o poeta conter a multidão, corrigir os homens e analisá-los um por um para verificar se são dignos de chorar pelo herói, porque as lágrimas dos vulgares chorões profanam o sagrado. Contudo ainda é mais grandioso que o cavaleiro da fé possa dizer ao nobre caráter que quer chorar por ele: não chores por mim, chora antes por ti próprio.“

—  Søren Kierkegaard 1813 - 1855

Pepetela photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - 1 Reis 19:3-4

Sinfonias tristes
vagam pelo universo
como as lágrimas nos olhos
daqueles que sofrem em silencio

Acolhida pelas trevas
e renegada pelos deuses

Lilith havia sido amaldiçoada
com um abismo em seu coração

A sua vida
era como uma alegoria ao suicídio

Enforcava-se na escuridão
todas as vezes
que não conseguia encontrar
a luz das estrelas

Sentindo-se
sozinha em um mundo
do qual não escolheu viver

Trancafiada nos cárceres privados
da sua própria mente
era assombrada pelos mais terríveis demônios

As paredes do seu quarto
jorravam o sangue
das suas tentativas de suicídio

Embora as suas lágrimas
clamassem pela salvação
daquele terrível abismo

A sua essência
banhava-se na escuridão

Em seus olhos habitavam
o desejo de dilacerar os seus punhos
enquanto afogava-se em uma banheira
repleta de sangue e lágrimas

Mas em seu coração
haviam as chamas negras de uma fênix
que renascia a cada segundo

Então ela se enforcava
em seus sonhos sublimes

Deitava-se na cama
com os olhos fechados
imaginando-se dependurada
enquanto matava as suas dores

E ao abrir os olhos
repletos de lágrimas
havia renascido mais uma vez

As feridas em seu peito
espalhavam-se como um câncer

Gritos ensurdecedores emanavam
das janelas daquele quarto hostil

– Já tive o bastante, Senhor!
matem-me sem nenhum perdão!
pois não estão matando uma alma inocente
apenas crucificando as suas dores

Mas quem poderia escutá-la?
quem poderia salvá-la?

Não se pode salvar uma alma
que sorri para o abismo
e se banha em seu próprio sangue

Gritando aos deuses
ela sorriu pela ultima vez
enquanto as suas angustias
tornavam-se sinfonias tristes

A vagar pelo universo
como as lágrimas nos olhos
daqueles que sofrem em silencio…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Existencialismo Ateísmo Deuses Nietzsche

Gerson De Rodrigues photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Freddie Mercury photo
José Saramago photo
George G. Byron photo

„A prova de um afeto é uma lágrima.“

—  George G. Byron 1788 - 1824

But the test of affection's a Tear.
"The Tear" in: The Works of Lord Byron‎ - Vol. III, Página 252 http://books.google.com.br/books?id=NmIRAAAAYAAJ&pg=PA252, de George Gordon Byron Byron, Thomas Moore - Publicado por Carey, 1843
Variante: A prova de um afecto puro é uma lágrima.

Angelina Jolie photo

„Eu não odeio o meu pai. Não o culpo por ter se divorciado da minha mãe ou pelo envolvimento com outras mulheres. Só não quero lhe dedicar mais nenhuma lágrima“

—  Angelina Jolie Atriz, cineasta e ativista norte-americana 1975

Angelina Jolie, atriz, sobre o pai, o ator John Voight
Fonte: IstoÉ Gente. Data: 8 de Novembro de 2004.
Fonte: Frases, Eliane Trindade; Diógenes Campanha, IstoÉ Gente, 8 de Novembro de 2004 http://www.terra.com.br/istoegente/274/frases/index.htm

Walt Disney photo

„Para cada risada, deve existir uma lágrima.“

—  Walt Disney Cofundador da The Walt Disney Company 1901 - 1966

For every laugh, there should be a tear
citado em "Cinefantastique": Volume 31,Edição 1 - página 31, Frederick S. Clarke - F.S. Clarke, 1979
Atribuídas

Winston Churchill photo

„Só tenho para oferecer sangue, sofrimento, lágrimas e suor.“

—  Winston Churchill Político britânico 1874 - 1965

I have nothing to offer but blood, toil, tears and sweat
Their Finest Hour - Página 24, Winston S. Churchill - Houghton Mifflin Harcourt, 1986, ISBN 0395410568, 9780395410561 - 720 páginas

Courtney Love photo
George Orwell photo
Honoré De Balzac photo
Júlio Dinis photo
Plutarco photo
George G. Byron photo
Jesse Jackson photo
Augusto Cury photo
Cecília Meireles photo
Honoré De Balzac photo
Calderón de la Barca photo
John Vance Cheney photo
Victor Hugo photo
Júlio Dinis photo
Mário Quintana photo
Emily Brontë photo