Frases sobre sentimento

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da sentimento, ser, amor, amor.

Total 813 citações, filtro:

Clarice Lispector photo
Herman Melville photo
Eça de Queiroz photo
Diógenes de Sinope photo

„Para que serve um filósofo, se não para machucar os sentimentos de alguém?“

—  Diógenes de Sinope -404 - -322 a.C.

Of what use is a philosopher who doesn't hurt anybody's feelings?
como citado in: Archetypes of Wisdom - Página 19, Douglas J. Soccio - Wadsworth Publishing Company, 1995 - 678 páginas
Atribuídas

Platão photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
George Orwell photo
George Orwell photo
George Orwell photo
George Orwell photo
Platão photo

„O corpo humano é a carruagem, eu, o homem que a conduz, os pensamentos as rédeas, os sentimentos são os cavalos.“

—  Platão filósofo grego -427 - -347 a.C.

Variante: O corpo humano é a carruagem. Eu, o homem que a conduz. O pensamento, as rédeas. Os sentimentos, os cavalos.

Machado de Assis photo
Cícero photo
Anne Frank photo
Vincent Van Gogh photo
José Ortega Y Gasset photo
Wolfgang Amadeus Mozart photo

„Eu não ligo para nada do que os outros exaltam ou condenam. Eu simplesmente sigo meus próprios sentimentos.“

—  Wolfgang Amadeus Mozart compositor austríaco 1756 - 1791

Musician's Little Book of Wisdom (1996)

Epicuro photo
Wayne Walter Dyer photo
Gustave Le Bon photo
Gustave Le Bon photo
Che Guevara photo

„Deixe-me dizer-lhe, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor…“

—  Che Guevara guerrilheiro e político, líder da Revolução Cubana 1928 - 1967

"Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor.."
Fonte: "El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março 1965

John Green photo
Olavo de Carvalho photo
Francis Scott Fitzgerald photo
Jane Austen photo
Friedrich Nietzsche photo

„O Homem perde o poder, quando é contaminado pelo sentimento de piedade.“

—  Friedrich Nietzsche filósofo alemão do século XIX 1844 - 1900

Variante: O homem perde o poder quando é contagiado pelo sentimento de piedade.

Lygia Fagundes Telles photo
Graciliano Ramos photo
Virginia Woolf photo
Jorge Amado photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Os Pássaros na minha janela

Em meu peito vive uma angustia
que transborda pelos meus olhos

Respiro ofegante
sentindo um aperto em meu coração

O desespero toma conta do meu corpo
com as mãos tremendo
entro no banheiro aos prantos

Sem pensar nas consequências
eu me enforco no chuveiro

O meu corpo se debate em agonia
as minhas mãos tremulas tentam
se agarrar nos azulejos

O chuveiro estoura
sou arremessado ao chão de joelhos
e as minhas lágrimas fundem-se com a água

Chorando sem saber o que fazer
eu deito na cama abraçado a solidão

Passaram-se três dias
e eu ainda não me levantei

Vejo o meu corpo
definhar-se com a fome
os meus ossos secarem com a tristeza

As baratas no meu quarto
são as únicas testemunhas
do meu fim decadente

Lá fora há um pássaro
que canta em harmonia
eu poderia morrer agora
e seus sussurros me fariam sorrir

Com o corpo fraco
sentindo todo o peso do mundo
nas minhas costas

Em passos leves
eu tento caminhar até a janela

Ao abri-la
me deparo com um mundo
sombrio e repleto de dor

Sou arremessado de joelhos
nas chamas escaldantes
do meu próprio inferno

Caminhando descalço
em meio as chamas

Eu me vejo enforcado
gritando o meu próprio nome

Cristo se arrasta
ao meu lado de joelhos
enquanto a minha alma chicoteia
as suas costas
só para vê-lo sangrar

Ao fundo
eu vejo a morte
dilacerando almas confusas
com um sorriso em seu rosto

Um diabo terrível
se esgueira sobre os meus pés

E em seus olhos
eu vejo a figura de um homem triste

Deitado na cama
definhando-se com a fome
enquanto as suas angustias
corroem os seus sonhos
e o mata aos poucos

Aquela criatura decadente
definhando-se em seu próprio abismo
era tudo que eu fui
e tudo que eu sou

Aqueles eram os meus sentimentos
minhas dores
e minhas angustias

Os ratos se alimentavam
dos meus restos podres
e as baratas faziam ninhos nas minhas entranhas

Tal como cristo que sorriu
pela ultima vez
quando foi abandonado pelo seu próprio pai

Ou como as estrelas órfãs
a vagar na escuridão

Somente morto eu poderia sorrir
para os pássaros na minha janela…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Morte Niilismo Nietzsche Suicídio Vida

Oscar Wilde photo

„Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

Variante: Se você não consegue entender o meu silêncio de nada adiantarão as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.

Albert Einstein photo
Sigmund Freud photo
Jean Le Rond d'Alembert photo
Arthur Schopenhauer photo
Jean Paul Sartre photo
Kofi Annan photo
Martha Medeiros photo
Artur da Távola photo
Ellen G. White photo

„Esse sentimento de culpa tem de ser deposto aos pés da cruz do Calvário. O senso de pecaminosidade envenenou as fontes da vida e da verdadeira felicidade.“

—  Ellen G. White Escritora norte-americana e líder da Igreja Adventista do Sétimo Dia 1827 - 1915

Mente, Caráter e Personalidade (Vol. 2), Ellen G. White, 1989, pág.451

Carmen Sylva photo
Antonio Gramsci photo
Érico Veríssimo photo
Christopher Paolini photo
Masutatsu Oyama photo
Daniel Goleman photo
Daniel Goleman photo
Nélson Rodrigues photo
Heinrich Hertz photo
Ramakrishna photo

„Nem o Sol nem a Lua podem refletir-se claramente na água lamacenta. Assim a alma universal não pode realizar-se perfeitamente em nós, enquanto não afastarmos o véu da ilusão, isto é, enquanto perdura o sentimento do eu e do meu.“

—  Ramakrishna Monge e filósofo hindu indiano 1836 - 1886

Não Há Instituição Superior à Minha Verdade, 2014, Anabela Fernandes Dos Santos, Chiado Editorial, ISBN 9895121113 Google Books https://books.google.de/books?id=9D4wDgAAQBAJ&pg=PT84&dq=Nem+o+Sol+nem+a+Lua+podem+refletir-se+claramente+na+%C3%A1gua+lamacenta.+Assim+a+alma+universal+n%C3%A3o+pode+realizar-se+perfeitamente+em+n%C3%B3s,+enquanto+n%C3%A3o+afastarmos+o+v%C3%A9u+da+ilus%C3%A3o,+isto+%C3%A9,+enquanto+perdura+o+sentimento+do+eu+e+do+meu.&hl=de&sa=X&ved=0ahUKEwjZ2Yf88brXAhVDzqQKHUwDAx4Q6AEIJjAA#v=onepage&q&f=false
Atribuídas

Júlio Dinis photo
Albert Camus photo
António Damásio photo
Marco Aurelio photo
Honoré De Balzac photo

„O pilar e o anel em forma de círculo representam os princípios masculino e feminino. Na Grécia antiga o pilar era o "hérnia" que ficava do lado de fora da casa representando Hermes, enquanto a lareira redonda no interior simbolizava Héstia. Na índia e em outras partes do leste, o pilar e o círculo ficam "copulados". O lingam, ou símbolo fálico, penetra o yoni ou anel feminino, o qual se estende sobre ele como num jogo infantil de arremesso de argolas. Lá o pilar e o círculo juntavam-se, enquanto os gregos e os romanos conservavam esses mesmos dois símbolos de Hermes e Héstia relacionados, mas à parte. Para enfatizar mais essa separação, Héstia é uma deusa virgem que nunca será penetrada, como também a mais velha deusa olímpica. Ela é tia solteirona de Hermes considerado como o mais jovem deus olímpico - uma união altamente improvável.
Desde os tempos gregos as culturas ocidentais têm enfatizado a dualidade, uma divisão ou diferenciação entre masculino e feminino, mente e corpo, logos e eros, ativo e receptivo, que depois se tornaram valores superiores e inferiores, respectivamente. Quando Héstia e Hermes eram ambos honrados nos lares e templos, os valores femininos de Héstia eram os mais importantes, e ela recebia as mais altas honras. Na época havia uma dualidade complementar. Héstia desde então foi desvalorizada e esquecida. Seus fogos sagrados não são mais cuidados e o que ela representa não é mais honrado.
Quando os valores femininos de Héstia são esquecidos e desonrados, a importância do santuário interior, interiorização para encontrar significado e paz, e da família como santuário e fonte de calor ficam diminuídos ou são perdidos. Além disso, o sentimento de uma ligação básica com os outros desaparece, como desaparece também a necessidade dos cidadãos de uma cidade, país ou da terra se ligarem por um elo espiritual comum.
Num nível místico, os arquétipos de Héstia e de Hermes se relacionam através da imagem do fogo sagrado no centro. Hermes-Mercúrio era o espírito alquímico Mercúrio, imaginado como fogo elementar. Tal fogo era considerado a fonte do conhecimento místico, simbolicamente localizado no centro da Terra.
Héstia e Hermes representam idéias arquetípicas do espírito e da alma. Hermes é o espírito que põe fogo na alma. Nesse contexto, Hermes é como o vento que sopra a brasa no centro da lareira, fazendo-a acender-se. Do mesmo modo, as idéias podem excitar sentimentos profundos, ou as palavras podem tornar consciente o que foi inarticuladamente conhecido e iluminado o que foi obscuramente percebido.“

—  Jean Shinoda Bolen 1936

Goddesses in Everywoman

Diana, Princesa de Gales photo

„Não é viadagem mostrar seus sentimentos“

—  Diana, Princesa de Gales Primeira esposa de Sua alteza real, O principe de gales. 1961 - 1997

Verificadas
Fonte: Frases Famosas.

Julius Evola photo

„Ao cabo de séculos de «escravidão» a mulher quis pois ser livre, ser ela própria. Mas o «femininismo» não soube conceber para a mulher uma personalidade que não fosse uma imitação da masculina, de maneira que as suas «reivindicações» ocultam uma desconfiança fundamental da mulher nova em relação a si mesma, a impotência desta para ser o que é e a contar pelo que ela é: como mulher e não como homem. Devido a esta fatal incompreensão, a mulher moderna experimentou o sentimento de uma inferioridade absolutamente imaginária por ser apenas mulher e sente quase como ofensa o ser tratada «só como mulher». Foi esta a origem de uma falsa vocação frustrada: e é precisamente por isso que a mulher quis tirar uma desforra, reivindicar a sua «dignidade», mostrar o seu «valor» - passando a medir--se com o homem. Todavia, não se tratava de maneira nenhuma do homem verdadeiro, mas sim do homem-construção, do homem-fantoche de uma civilização standardizada, racionalizada, não implicando quase mais nada de diferenciado e qualitativo. Numa civilização como esta, evidentemente, já não se pode tratar de um privilégio legítimo qualquer, e as mulheres incapazes de reconhecer a sua vocação natural e de defendê-la, a não ser pelo plano mais baixo (pois nenhuma mulher sexualmente feliz sentiu alguma vez a necessidade de imitar e de invejar o homem), conseguiram facilmente demonstrar que também elas possuíam virtualmente as faculdades e as habilitações - materiais e intelectuais - que se encontram no outro sexo e que, em geral, se exigem e se apreciam numa sociedade de tipo moderno. O homem, de resto, deixou andar as coisas como um verdadeiro irresponsável, e até ajudou e impeliu a mulher para as ruas, para os escritórios, para as escolas, para as fábricas e para todas as encruzilhadas contaminantes da sociedade e da cultura modernas. Foi assim que se deu o último empurrão nivelador. (…) A mulher tradicional, a mulher absoluta, ao dar-se, ao não viver para si, ao querer ser toda para outro ser com simplicidade e pureza, realizava-se, pertencia-se a si mesma, tinha um heroísmo muito seu - e, no fundo, tornava-se superior ao homem comum. A mulher moderna ao querer ser por si mesma destruiu-se. A tão aspirada «personalidade» está a tirar-lhe toda a personalidade.“

—  Julius Evola, livro Revolt Against the Modern World

Revolt Against the Modern World

Herbert Spencer photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Rainer Maria Rilke photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema – Sloniec

Nas auroras do tempo
muito antes dos homens
caminharem pela terra

Um arcanjo que odiava
todos os deuses
batia as suas asas na mais ríspida solidão

Certa vez,
enquanto vagava pelo universo
escutou os lamentos de um anjo;

Sloniec chorava,
e as suas lágrimas partiram
o seu coração

Aquele arcanjo de asas negras
que viveu toda a sua vida
atormentado pelas suas angustias

Comoveu-se com as lágrimas
daquele anjo

E ao perguntar porque
ela estava chorando

O anjo respondeu que havia
cometido o maior de todos os pecados

Ela havia se apaixonado pelo Arcanjo
enquanto observava ele vagando
em sua própria solidão

Assustado com o Amor
que nunca havia sentido

O Arcanjo bateu as suas asas
e isolou-se nos confins
de um buraco negro

Devido ao pecado de Amar
os deuses baniram a alma
daquele anjo
no corpo de uma criança humana

O Arcanjo enfurecido,
se rebelou
contra os deuses

E com as suas próprias mãos
derrubou os portões dos céus

Enforcando todos os deuses e arcanjos
em suas próprias tripas
fazendo das suas vísceras
poesias de sangue

E como um último ato
enquanto chorava olhando
as estrelas

Baniu a si mesmo
para o reino dos homens

Reencarnando
em um jovem Poeta;

Ele havia crescido sem lembrar
do seu passado

Mas durante toda a sua vida
afogava-se em lágrimas
que ele nunca soube
de onde vinham

Sloniec era a mais bela
humana que já havia caminhado pela terra
o seu sorriso era como a Lua e as Estrelas
lábios que nos beijam e nos levam a loucura

Mas o seu coração era triste
e o suicídio vagava ao seu lado;

Enquanto planejava se enforcar
em uma destas noites solitárias

O jovem poeta foi atraído
pela mais bela das sinfonias

Uma voz tão doce
que fariam flores nascer
em um coração suicida

Sem compreender
aquele nefasto sentimento
o jovem poeta jurou pelos deuses
que havia matado

Que iria amar e proteger
aquela garota
que fez suas asas
crescerem novamente…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Cícero photo
Carl Rogers photo
Herbert Spencer photo
João Guimarães Rosa photo
Haruki Murakami photo
Clint Eastwood photo
Pablo Neruda photo
Ruy Barbosa photo
Honoré De Balzac photo
Michael Jackson photo
Leonardo Da Vinci photo
Haruki Murakami photo
Mário Quintana photo
Liev Tolstói photo
John Ruskin photo
Allan Kardec photo
Emily Brontë photo
Fernando Pessoa photo
Voltaire photo

„Os raciocínios do homem, todos juntos, não valem o sentimento da mulher.“

—  Voltaire volter também conhecido como bozo foia dona da petrobras e um grande filosofo xines 1694 - 1778

Gabriel García Márquez photo

„É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver.“

—  Gabriel García Márquez 1927 - 2014

[Autor desconhecido; é uma das várias frases cuja autoria frequentemente se vê atribuída, na Internet, a García Márquez, embora não tenha sido escrito pelo autor]
Frases apócrifas e sem fontes, atribuídas a ele

Herman Melville photo
Nicette Bruno photo

„O sentimento é a base de tudo, mas o respeito à individualidade é fundamental. Somos pessoas diferentes com valores comuns.“

—  Nicette Bruno atriz brasileira 1933

sobre seu casamento com o ator Paulo Goulart
Fonte: Revista Quem http://revistaquem.globo.com/Entrevista/noticia/2013/02/nicette-bruno-se-emociona-ao-falar-de-recuperacao-de-paulo-goulart-esta-melhorando-cada-dia.html

River Phoenix photo
Bob Marley photo

„Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.“

—  Bob Marley foi um cantor, guitarrista (raggae) e compositor jamaicano famoso por popularizar o gênero 1945 - 1981

Oscar Wilde photo
Gustave Flaubert photo
Machado de Assis photo
Jane Austen photo
Valter Bitencourt Júnior photo

„Amar é ter medo de cometer injustiça ao próximo. Amor é a pureza, da pureza de todos os sentimentos, que o ser pode sentir.“

—  Valter Bitencourt Júnior poeta e escritor brasileiro 1994

Fonte: https://www.frasesfamosas.com.br/frase/valter-bitencourt-ju-amar-e-ter-medo-de-cometer-in/?utm_source=internal&utm_medium=link&utm_campaign=phrase_snippet_wholetext