Frases sobre a compreensão

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da compreensão, ser, outro, vida.

Melhores frases sobre a compreensão

Jane Austen photo
Heráclito photo

„Muito estudo não ensina compreensão.“

—  Heráclito filósofo pré-socrático considerado o "Pai da dialética" -535

Mahátma Gándhí photo
Clarice Lispector photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Lenny Bruce photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Walt Whitman photo
Charles Baudelaire photo

„A Admiração começa onde acaba a compreensão.“

—  Charles Baudelaire 1821 - 1867

L'admiration commence souvent où finit la compréhension
Charles Baudelaire citado em "Au soir le soir: théâtre 1960-1970‎" - Página 72, Bertrand Poirot-Delpech - Mercure de France, 1969 - 292 páginas

Demócrito photo

„Fama e riquezas sem compreensão é uma posse insegura.“

—  Demócrito

Fragment 77
Ética

Todas frases sobre a compreensão

Total 141 citações compreensão, filtro:

Sócrates photo

„Paz perfeita


Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração… v.27


Uma amiga compartilhou comigo que durante anos ela procurou paz e contentamento. Ela e seu marido construíram um negócio bem-sucedido, e compraram uma casa enorme, roupas extravagantes e joias caras. Mas nem esses bens nem suas amizades com pessoas influentes satisfaziam suas aspirações internas de paz. Um dia, quando ela se sentia triste e desesperada, um amigo lhe falou sobre as boas-novas de Jesus. Nele ela encontrou o Príncipe da Paz, e a sua compreensão da verdadeira paz e do contentamento mudou para sempre.

Jesus falou palavras de tal paz aos Seus amigos depois da última ceia juntos (João 14), quando os preparou para os acontecimentos que logo seguiriam: Sua morte, ressurreição e a vinda do Espírito Santo. Descrevendo a paz — diferente de tudo o que o mundo pode dar — Ele queria que eles aprendessem como encontrar a sensação de bem-estar mesmo em meio a dificuldades.

Mais tarde, quando o Jesus ressuscitado apareceu aos discípulos amedrontados após Sua morte, Ele os cumprimentou, dizendo: “Paz seja convosco!” (JOÃO 20:19). Agora Ele poderia dar-lhes, e a nós também, uma nova compreensão do descanso que há nele. Assim, podemos encontrar a percepção da confiança muito mais profunda do que nossos sentimentos sempre em mudança.

Jesus veio trazer paz a nossa vida 
e ao nosso mundo. Amy Boucher Pye“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Tendo bons frutos


Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto… v.3


A vista da minha janela do avião era marcante: uma fita estreita de campos de trigo maduros e pomares entre duas montanhas áridas. Um rio atravessava o vale. Água gerando vida, sem a qual não haveria qualquer fruto.

Assim como uma colheita abundante depende de uma fonte de água limpa, a qualidade do “fruto” em minha vida, as minhas palavras, ações e atitudes dependem do meu alimento espiritual. O salmista descreve isso no Salmo 1: A pessoa “…cujo prazer está na lei do Senhor […]. É como a árvore plantada junto a corrente de águas, que no devido tempo, dá o seu fruto…” (vv.1-3). E Paulo escreve em Gálatas 5 que aqueles que andam em sintonia com o Espírito são marcados por “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio…” (vv.22,23).

Às vezes, a minha perspectiva sobre as minhas circunstâncias azeda, ou minhas ações e palavras tornam-se persistentemente indelicadas. Não há bons frutos, e percebo que não investi tempo em quietude diante da Palavra de Deus. Mas quando o ritmo dos meus dias está enraizado na confiança em Deus, produzo bons frutos. A paciência e a gentileza caracterizam as minhas interações com os outros; e é mais fácil escolher a gratidão do que murmurar.

O Deus que se revelou a nós é a nossa fonte de força, sabedoria, alegria, compreensão e paz (Salmo 119:28,98,111,144,165). Ao fortalecermos a nossa alma nas palavras que nos levam a Ele, a obra do Espírito de Deus se tornará clara em nossa vida.

O Espírito de Deus habita em Seu povo, 
a fim de trabalhar por meio deles. Peter Chin“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Albert Einstein photo
Epiteto photo

„A felicidade e a liberdade começam com a clara compreensão de um princípio: algumas coisas estão sob nosso controle, outras não. Só depois de lidar com essa questão fundamental e aprender a distinguir entre o que você pode e o que não pode controlar, é que a tranqüilidade interna e a eficácia externa se tornam possíveis.“

—  Epiteto 50 - 138

Happiness and freedom begin with a clear understanding of one principle: some things are within our control and some things are not. It is only after you have faced up to this fundamental rule and learned to distinguish between what you can and can't control that inner tranquillity and outer effectivenes becomes possible.
Epiteto como citado in: Models Of Psychopathology - Core concepts in therapy, página 83 https://books.google.com.br/books?id=cXEw4MwY6joC&pg=PA83, Davies, Dilys, Bhugra, Dinesh, McGraw-Hill Education (UK), 2004, ISBN 0335208223, 9780335208227, 170 páginas
Atribuídas

Khalil Gibran photo
Leo Buscaglia photo
Adolf Hitler photo

„Toda propaganda tem que ser popular e acomodar-se à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretende atingir.“

—  Adolf Hitler militar, escritor, político e líder nazista alemão durante a Segunda Guerra Mundial 1889 - 1945

Marie Curie photo

„Nada na vida deve ser temido, somente compreendido. Agora é hora de compreender mais para temer menos.“

—  Marie Curie química e física polonesa naturalizada primeiro russa, e, em seguida, francesa 1867 - 1934

Nothing in life is to be feared, it is only to be understood. Now is the time to understand more, so that we may fear less
citada em "Wastewater renovation and reuse: proceedings of the International Conference on the Renovation and Reuse of Wastewater Through Aquatic and Terrestrial Systems" - Página iii, Frank M. D'Itri, Michigan State University, Rockefeller Foundation - M. Dekker, 1977, ISBN 0824765052, 9780824765057 - 705 páginas
Atribuídas

Carl Gustav Jung photo

„Tudo o que nos irrita nos outros pode nos levar a uma melhor compreensão de nós mesmos.“

—  Carl Gustav Jung psiquiatra e psicoterapeuta suíço 1875 - 1961

Variante: Tudo o que nos irrita nos outros pode levar-nos a um entendimento de nós mesmos.

Frida Kahlo photo

„Meu pai foi para mim um grande exemplo de ternura, de trabalho… e acima de tudo de compreensão de todos os meus problemas.“

—  Frida Kahlo Pintora mexicana 1907 - 1954

citado in: Frida - a biografia, página 33 https://books.google.com.br/books?id=YnQuvvgpDAsC&pg=PP33, Hayden Herrera - Globo Livros, 2013, ISBN 8525053538, 9788525053534, 624 páginas
Atribuídas

Albert Einstein photo
Charlie Chaplin photo
Millôr Fernandes photo
Sócrates photo
Bahá'u'lláh photo
Mark Twain photo

„A maioria das pessoas preocupa-se com passagens da Bíblia que não entende, mas as que me preocupam são as que eu entendo.“

—  Mark Twain escritor, humorista e inventor norte-americano 1835 - 1910

Variante: A maioria das pessoas se preocupam com passagens da Bíblia que não entendem, mas as passagens que me preocupam são as que eu entendo.

Leonardo Da Vinci photo

„O amor é filho da compreensão; o amor é tanto mais veemente, quanto mais a compreensão é exacta.“

—  Leonardo Da Vinci pintor renascentista 1452 - 1519

Variante: O amor é filho da compreensão; o amor é tanto mais veemente, quanto mais a compreensão é exata.

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Stephen R. Covey photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Dan Brown photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Richard Bach photo
Agostinho da Silva photo
Paulo Freire photo
Emil Mihai Cioran photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Bodhidharma photo
João Guimarães Rosa photo
Clarice Lispector photo
Blaise Pascal photo

„O aumento do conhecimento é como uma esfera dilatando-se no espaço: quanto maior a nossa compreensão, maior o nosso contacto com o desconhecido.“

—  Blaise Pascal 1623 - 1662

Variante: O aumento do conhecimento é como uma esfera dilatando-se no espaço: quanto maior a nossa compreensão, maior o nosso contato com o desconhecido.

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Isaque de Nínive photo
Leo Buscaglia photo
Leonhard Euler photo

„Quantas vezes os nossos raciocínios são errados! Atrevo-me a afirmar, que somos muito mais freqüentemente enganados por estes do que por nossos sentidos. Mas isso quer dizer que nossos raciocínios são sempre falaciosos, e que não podemos ter nenhuma dependência de qualquer verdade descoberta por nós pela compreensão“

—  Leonhard Euler 1707 - 1783

How often are our reasonings erroneous ! I venture to affirm, that we are much more frequently deceived by these than by our senses. But does it follow that our reasonings are always fallacious, and that we can have no dependence on any truth discovered to us by the understanding
"Letters of Euler on different subjects in natural philosophy: Addressed to a German princess. With notes, and a life of Euler", Volume 2 - página 17 http://books.google.com/books?id=IUknAAAAMAAJ&pg=PA17, de Leonhard Euler, Editora J. & J. Harper, 1833

Harvey Spencer Lewis photo
Artur da Távola photo
Raymond Firth photo
Octavio Paz photo
Fernando Pessoa photo
George Orwell photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Empédocles photo
Ana Miranda photo
John Locke photo

„Um filho herda a mesma liberdade do pai; e a mesma compreensão, que o orientará até que alcance a sua própria.“

—  John Locke Filósofo e médico inglês. pai do liberalismo clássico. 1632 - 1704

(Capitulo VI) #61
Segundo Tratado do Governo

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Charles Spurgeon photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Jürgen Habermas photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Harry Styles photo
Jean-Luc Godard photo
Ludwig von Mises photo
Michel De Montaigne photo

„Apenas pelas palavras o ser humano alcança a compreensão mútua. Por isso, aquele que quebra a sua palavra atraiçoa toda a sociedade humana.“

—  Michel De Montaigne 1533 - 1592

como citado in; Rosa Dourada - Página 63 https://books.google.com.br/books?id=iz9GBQAAQBAJ&pg=PA63, Rosângela Isabel Teixeira Coelho Dos Santos - Clube de Autores, 2006
Atribuídas
Variante: Apenas pelas palavras o ser humano alcança a compreensão mútua. Por isso, aquele que quebra sua palavra atraiçoa toda sociedade humana.

Thomas Stearns Eliot photo

„O poema é um processo de exploração, um esforço para atingir o círculo que é o seu foco, e retornar ao ponto de partida com uma maior compreensão do mesmo“

—  Thomas Stearns Eliot poeta, dramaturgo e crítico literário estadunidense 1888 - 1965

the poem, which is a process of exploration, an effort to circle the object which is its focus, and return to the starting point with a fuller comprehension of it
citado em "T. S. Eliot: poems in the making"‎ - Página 185, Gertrude Patterson - Manchester University Press, 1971, ISBN 038904086X, 9780389040866 - 198 páginas

Demócrito photo
Ezra Pound photo

„A totalidade da sabedoria humana não está contida em nenhuma língua, e nenhuma língua é capaz de expressar todos as formas e todos os graus da compreensão humana.“

—  Ezra Pound, livro ABC of Reading

The sum of human wisdom is not contained in any one language, and no single language is capable of expressing all forms and degrees of human comprehension.
"ABC of Reading", Publicado por New Directions Publishing, 1960; ISBN 0811201511, 9780811201513; 206 páginas, página 34

George Bernard Shaw photo

„Do modo como a concebemos, a vida doméstica não é mais natural para nós do que uma gaiola é natural para uma cacatua.“

—  George Bernard Shaw 1856 - 1950

Home life as we understand it is no more natural to us than a cage is natural to a cockatoo.
Getting married, Bernard Shaw - 1908

Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche photo
Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche photo
Jacob Bronowski photo

„O homem domina a natureza não pela força, mas pela compreensão. É por isto que a ciência teve sucesso onde a magia fracassou: porque ela não buscou um encantamento para lançar sobre a natureza“

—  Jacob Bronowski 1908 - 1974

Jacob Bronowski, conforme relatado por Singh, Simon - Big Bang - Editora Record - Rio de Janeiro / São Paulo - 2006. ISBN: 85-01-07213-3 (pág. 459)

Boris Belkin photo
Papa João XXIII photo
Donald Knuth photo

„A ciência é o que nós compreendemos suficientemente bem para explicar a um computador. A arte é tudo mais.“

—  Donald Knuth matemático e cientista da computação americano 1938

Science is what we understand well enough to explain to a computer. Art is everything else we do.
Mathematical reviews‎ - Vol. 42, Página 5969, de American Mathematical Society, Mathematical Association of America - 1997

Florestan Fernandes photo

„Apesar da minha condição de socialista militante, não tentei vincular a estratégia de trabalho apontada exclusivamente ao marxismo. Tanto no plano do ensino quanto no da pesquisa não procurei romper com o ecletismo, herdado dos professores europeus e posto por mim em uma outra órbita, com uma compreensão mais rigorosa da interdependência dos vários modelos de explicação na Sociologia. Evoluí rapidamente, portanto, para um ecletismo balanceado e que convergia, criticamente, para o significado lógico e empírico específico de cada solução metodológica e de cada contribuição teórica. Em termos operacionais, deixava o campo aberto para que os estudantes e os pesquisadores jovens pudessem receber um treino sociológico capaz de prepará-los, de fato, para colocarem em prática a estratégia de trabalho mencionada. Pelo menos três campos da sociologia saíram privilegiados – o da Sociologia Descritiva, o da Sociologia Comparada e o da Sociologia Diferencial ou Histórica – e o adestramento sociológico precisaria cobrir, naturalmente, pelo menos esses três campos. Não obstante, o caminho percorrido envolvia rupturas profundas. Primeiro, com minhas ambições científicas anteriores. De início, senti-me fortemente inclinado a concentrar-me nos problemas teóricos da Sociologia e vários dos meus ensaios revelam essa preocupação, pela qual, no fundo, o <> procurava igualar-se ao <>”.“

—  Florestan Fernandes 1920 - 1995

Marcello Pera photo
Roberto Tibiriçá photo
Carlos Lacerda photo

„A qualidade mestra de JK era a tolerância, a compreensão, o respeito à inteligência. Que a sua morte sirva para restabelecer essas virtudes no Brasil.“

—  Carlos Lacerda jornalista e político brasileiro 1914 - 1977

citado em "Folclore político: 1950 histórias" - Página 17, Sebastião Nery - Geração Editorial, 2002, ISBN 8575090615, 9788575090619 - 651 páginas

José Serra photo
Jared Leto photo

„Em sua essência, ciência é a busca perpétua por uma compreensão inteligente e integrada do mundo em que vivemos.“

—  Cornelis Bernardus van Niel 1897 - 1985

Cornelius Van Niel, microbiólogo americano, conforme encontrado em Singh, Simon - Big Bang - Capítulo: "O que é ciência?" - Editora Record - 2006 - pág.: 459

Jigoro Kano photo
Cissa Guimarães photo
George Washington Carver photo

„A má compreensão é a razão principal do facto de que a influência de um filósofo ser geralmente má quando é grande.“

—  Walter Kaufmann professor académico alemão 1921 - 1980

Variante: A má compreensão é a razão principal do fato de que a influência de um filósofo ser geralmente má quando é grande.

Henry Miller photo
Marguerite Yourcenar photo
Richard Gere photo
Anatole France photo
Chico Xavier photo
Ambrose Bierce photo
Clarice Lispector photo
Clarice Lispector photo
Marquês de Maricá photo
Clarice Lispector photo
Francois Rabelais photo
Hans-Georg Gadamer photo
Heinrich Böll photo
Hugo Von Hofmannsthal photo

„O egoísmo não peca tanto por ações como por não-compreensão.“

—  Hugo Von Hofmannsthal 1874 - 1929

Variante: O egoísmo não peca tanto por acções como por não-compreensão.

Mahátma Gándhí photo
Albert Einstein photo
Spinoza photo
Louis Gerstner photo
Fernando Sabino photo

„Você, Lord Byron, é inteligente também, mas uma inteligência fina, penetrante, como aço, como uma espada. Ao contrário de mim, você é mais capaz de se fazer amado do que de amar. Sua lógica é irresistível, mas impiedosa, irritante. É desses remédios que matam a doença e o doente. Você tem sentimento poético, e muito — no entanto é incapaz de escrever um verso que preste. Por quê? Sei lá. Há qualquer coisa que te contém, que te segura, como uma mão. Sua compreensão do mundo, da vida e das coisas é surpreendente, seu olho clínico é infalível, mas você é um homem refreado, bem comportado, bem educado, flor do asfalto, lírio de salão, um príncipe, o nosso Príncipe de Gales, como diz o Hugo. Tem uma aura de pureza não conspurcada, mas é ascético demais, aprimorado demais, debilitado por excesso de tratamento. Não se contamina nunca, e isso humilha a todo mundo. É esportivo, é atlético, é saudável, prevenido contra todas as doenças, mas, um dia, não vai resistir a um simples resfriado: há de cair de cama e afinal descobrir que para o vírus da gripe ainda não existe antibiótico. — Opinião de estudante de Medicina — e Eduardo pro- curava ocultar seu ressentimento com um sorriso. — Você, agora.
(…)
— E você, Eduardo. Você, o puro, o intocado, o que se preserva, como disse Mauro. Seu horror ao compromisso porque você se julga um comprometido, tem uma missão a cumprir, é um escritor. Você e sua simpatia, sua saúde… Bem sucedido em tudo, mas cheio de arestas que ferem sem querer. Seu ar de quem está sempre indo a um lugar que não é aqui, para se encontrar com alguém que não somos nós. Seu desprezo pelos fracos porque se julga forte, sua inteligência incômoda, sua explicação para tudo, seu senso prático — tudo orgulho. O orgulho de ser o primeiro — a vida, para você, é um campeonato de natação. Sua desenvoltura, sua excitação mental, sua fidelidade a um destino certo, tudo isso faz de você presa certa do demônio — mesmo sua vocação para o ascetismo, para a vida áspera, espartana. Você e seus escritores ingleses, você e sua chave que abre todas as portas. Orgulho: você e seu orgulho. De nós três, o de mais sorte, o escolhido, nosso amparo, nossa esperança. E de nós três, talvez, o mais miserável, talvez o mais desgraçado, porque condenado à incapacidade de amar, pelo orgulho, ou à solidão, pela renúncia. Hugo não disse mais nada. E os três, agora, não ousavam levantar a cabeça, para não mostrar que estavam chorando. O garçom veio saber se queriam mais chope, ninguém o atendeu. Alguém soltou uma gargalhada no fundo do bar. Lá fora, na rua, um bonde passou com estrépito.“

—  Fernando Sabino, livro O Encontro Marcado

O Encontro Marcado