„Ninguém poderia sobreviver à compreensão instantânea da dor universal, pois cada coração só foi moldado para uma certa quantidade de sofrimentos. Existem como que limites materiais para nossa resistência; entretanto, a expansão de cada desgosto os alcança e, às vezes, os ultrapassa: é frequentemente a origem de nossa ruína. Daí deriva a impressão de que cada dor, cada desgosto, são infinitos. Eles o são, na verdade, mas somente para nós, para os limites de nosso coração; e mesmo que este tivesse as dimensões do vasto espaço, nossos males seriam ainda mais vastos, pois toda dor substitui o mundo e de cada desgosto faz outro universo. A razão esforça-se inutilmente para mostrar-nos as proporções infinitesimais de nossos acidentes; fracassa ante nossa tendência para a proliferação cosmogônica. Daí decorre que a verdadeira loucura nunca é devida aos acasos ou aos desastres do cérebro, mas à concepção falsa do espaço que o coração se forja...“

—  Emil Mihai Cioran, A Short History of Decay
Publicidade

Citações relacionadas

Emil Mihai Cioran photo
Claude Aveline photo
Publicidade
Edmond Haraucourt photo
José Saramago photo
Napoleon Hill photo
Cesare Pavese photo
Julie de Lespinasse photo
Marguerite Yourcenar photo
 Aristoteles photo
Antoine de Saint-Exupéry photo
Theodore Dalrymple photo

„[... ]a divisão entre bem e mal perpassa cada coração humano.“

—  Theodore Dalrymple 1949
livro Qualquer coisa serve (Título original: Anything Goes)

Caetano Veloso photo

„Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é...“

—  Caetano Veloso músico, produtor, arranjador e escritor brasileiro 1942
Da música Dom de Iludir

Haruki Murakami photo
Johann Wolfgang von Goethe photo