Frases sobre virtude

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da virtude, homem, vício, homens.

Total 677 citações, filtro:

Jean Jacques Rousseau photo

„Há no fundo das almas um princípio inato de justiça e de virtude, com o qual nós julgávamos as nossas ações e as dos outros como boas ou más; e é a este princípio que dou o nome de consciência.“

—  Jean Jacques Rousseau, livro Emílio, ou Da Educação

Il est donc au fond des âmes un principe inné de justice et de vertu, sur lequel, malgré nos propres maximes, nous jugeons nos actions et celles d'autrui comme bonnes ou mauvaises, et c'est à ce principe que je donne le nom de conscience.
Émile: ou de l'education - Volume 2, Página 350 http://books.google.com.br/books?id=-hAWAAAAYAAJ&pg=PA350, Jean-Jacques Rousseau - Bélin, 1792
Emile

Carl Gustav Jung photo
Joseph Joubert photo
Winston Churchill photo
Sócrates photo
Ludwig Van Beethoven photo
Marqués de Sade photo

„A tolerância é a virtude do fraco.“

—  Marqués de Sade Aristocrata francês e escritor libertino 1740 - 1814

Manuel Maria Barbosa du Bocage photo
Jean de La Bruyere photo
Friedrich Nietzsche photo

„O nobre quer criar alguma coisa nobre e uma nova virtude. O bom deseja o velho e que o velho se conserve.“

—  Friedrich Nietzsche filósofo alemão do século XIX 1844 - 1900

Assim falou Zaratustra

François de La  Rochefoucauld photo

„A fraqueza opõe-se mais à virtude que o vício.“

—  François de La Rochefoucauld Escritor, moralista e memorialista francês 1613 - 1680

Marquês de Maricá photo
Honoré De Balzac photo
Carl Sagan photo

„O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida.“

—  Carl Sagan grande cientista do séc XX, criador da aclamada série Cosmos: An Personal Voyager e desenvolvedor no conteúdo dos Disco… 1934 - 1996

Aristoteles photo

„O bom cidadão não precisa necessariamente possuir a virtude que faz um homem bom.“

—  Aristoteles, livro Política

Livro III, 1276.b34
Das partes dos animais, Política

Isaac Newton photo

„Virtude sem caridade não passa de nome.“

—  Isaac Newton físico e filósofo inglês 1643 - 1727

Ovidio photo
João da Cruz photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Russell Kirk photo
Joseph Joubert photo
Oscar Wilde photo
Anatole France photo
Ralph Waldo Emerson photo

„O que é uma erva daninha? Uma planta cujas virtudes ainda esperam para ser descobertas.“

—  Ralph Waldo Emerson 1803 - 1882

What is a weed? A plant whose virtues have yet to be discovered.
Fonte: Fortune of the Republic (1878)

Adam Smith photo

„A humanidade é virtude da mulher; a generosidade é virtude do homem.“

—  Adam Smith, livro Teoria dos Sentimentos Morais

Humanity is the virtue of a woman, generosity that of a man
The theory of moral sentiments: To which is added a dissertation on the origin of languages - Página 285 http://books.google.com.br/books?id=-V4AAAAAMAAJ&pg=PA285, Adam Smith - Printed for A. Millar, A. Kincaid and J. Bell in Edinburgh; and sold by T. Cadell, 1767 - 478 páginas

São Basílio photo
Ruy Barbosa photo
Virginia Woolf photo
Carmen Sylva photo
Oscar Wilde photo

„A coerência é a virtude dos imbecis.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

Evelyn Waugh photo

„Pontualidade é a virtude do chato.“

—  Evelyn Waugh 1903 - 1966

Punctuality is the virtue of the bored.
citado em "Diaries of Evelyn Waugh" (1976).

Simone Weil photo

„A amizade não se busca, não se sonha, não se deseja; ela exerce-se: é uma virtude.“

—  Simone Weil, livro Gravity and Grace

Gravity and Grace
Citações por categoria, Humanidade
Variante: A amizade não se procura, não se imagina, não se deseja; exercita-se (é uma virtude)

Oscar Wilde photo

„A desobediência, para quem conhece a história, é a virtude específica do homem. É pela desobediência que ele progrediu - pela desobediência e pela revolta.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

Variante: A desobediência, é aos olhos de qualquer estudioso da História, a virtude original do homem. É através da desobediência que se faz o progresso, através da desobediência e da rebelião.

William Shenstone photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Maya Angelou photo
François de La  Rochefoucauld photo
Robert Louis Stevenson photo
Lucio Anneo Seneca photo
Richard Dawkins photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - O Equinócio part 2

Não sou um homem de virtudes
Tampouco acredito que desta vida
Levarei alguma honraria

Morrerei tal como tenho vivido
Um Diabo a dançar nas labaredas
Do meu próprio inferno

Estou hoje convencido de todas as minhas incertezas
Lúcido como um homem que perdeu a razão

Nunca obtive sucesso na vida
Destas falhas que colecionei por este longo caminho
Transformei o meu ninho de desprezo e decepções
Em um paraíso de Tolos e Suicidas

Se a criança que eu fui um dia
Soubesse o monstro que eu me tornei

Arrancaria suas próprias tripas com as mãos
E se enforcaria até que não sobrasse um único suspiro;

E há tantos caminhos que eu poderia ter percorrido
Mas quais destes caminhos me levariam ao céu?
Se a alma que um dia eu tive
A vendi só pelo prazer de vê-la queimar!

Aonde se perdeu aquela inocente criança?
Que dizia com lágrimas em seus olhos

‘"Subirei aos céus e erguerei o meu trono
acima do cadáver de Deus
eu me assentarei no monte da assembleia
no ponto mais elevado e matarei todos os arcanjos

Subirei mais alto que as mais altas nuvens
serei como o Altíssimo espirito santo"

Mas fui condenado as profundezas de Sheol
E fui levado ao mais profundo abismo!

Eu que sempre sonhei em ser o filho da alvorada!
Sou hoje a escuridão no coração dos loucos e dos suicidas (…)

‘’ Na ala psiquiátrica a insanidade e a razão
Tiveram um filho e o chamaram de Deus

Hoje devo chama-lo de pai
Porque estas são as chamas da minha loucura’’

O mundo é feito para as almas que desejam viver
Não para os suicidas que mutilam seu próprio corpo
Com a esperança de que algum dia fecharão os seus olhos
E a morte beijará os seus lábios

Tenho sonhado todas as noites com uma nova vida
Um novo rumo, até mesmo um novo nome

Filosofei com sofistas e poetas gregos
Sobre a origem e o renascimento do universo

Dialoguei com cristo sobre o seu sacrifício
E invejei seu amor pelos homens

Nesta longa jornada descobri que sou só uma criança
Com medo do escuro e sonhos que nunca vão se realizar

Serei sempre esta alma vazia
Sentada no lado escuro da Lua

Admirando a luz das estrelas
Que há muito tempo já se apagou…
- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Lúcifer fernando pessoa poesias maldições
nietzche

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Apolónio de Tiana photo
Buda photo
Zenão de Cítio photo
Camilo Castelo Branco photo
Josemaría Escrivá de Balaguer photo

„A verdadeira virtude não é triste nem antipática, mas amavelmente alegre.“

—  Josemaría Escrivá de Balaguer Santo da Igreja Católica Apostólica Romana, fundador da prelazia Santa Cruz e Opus Dei 1902 - 1975

Charlie Chaplin photo
Friedrich Nietzsche photo
Marquês de Maricá photo
Diógenes de Sinope photo

„Discurse sobre a virtude e eles passarão como rebanho. Assobie e cante, e terás uma platéia.“

—  Diógenes de Sinope -404 - -322 a.C.

Discourse on virtue and they pass by in droves, whistle and dance the shimmy, and you've got an audience.
como citado in: Forbes - Volume 141,Edições 1-4 - Página 300, 1988
Atribuídas

René Descartes photo

„As maiores almas são tão capazes dos maiores vícios como das maiores virtudes, e os que avançam muito lentamente são capazes de obter maiores vantagens, se seguirem sempre o caminho recto, do que aqueles que correm muito, mas se afastam desse caminho.“

—  René Descartes 1596 - 1650

Les plus grandes âmes sont capables des plus grands vices aussi bien que des plus grandes vertus ; et ceux qui ne marchent que fort lentement peuvent avancer beaucoup davantage, s'ils suivent toujours le droit chemin, que ne font ceux qui courent et qui s'en éloignent.
Oeuvres philosophiques: publiées d'après les textes originaux, Volume 12 de Panthéon littèraire., página 33 https://books.google.com.br/books?id=GWM7AAAAYAAJ&pg=PA33, René Descartes, ‎Louis-Aimé Martin - A. Desrez, 1838 - 772 páginas
Atribuídas

Shakira photo

„A confiança é o melhor item de beleza e deixa qualquer mulher mais bonita. É preciso que cada mulher aceite suas virtudes e seus defeitos, pois somos um conjunto de tudo isso. A autoconfiança é a melhor maquiagem“

—  Shakira cantora e compositora colombiana 1977

Verificadas
Fonte: Clicrbs. Data: 22 de março de 2011.
Fonte: "Autoconfiança é a melhor maquiagem", diz Shakira em passagem pelo Brasil, clicrbs, 22 de março de 2011 http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a3248548.xml,

Confucio photo
Confucio photo

„A humildade é o sólido fundamento de todas as virtudes.“

—  Confucio Filósofo chinês -551 - -479 a.C.

Atribuídas

Confucio photo

„Se um homem superior abandona a virtude, como pode fazer jus a esse nome.“

—  Confucio Filósofo chinês -551 - -479 a.C.

Atribuídas

Blaise Pascal photo
Ambrose Bierce photo
Antoine de Rivarol photo

„Há virtudes que só se podem exercer quando se é rico.“

—  Antoine de Rivarol 1753 - 1801

Variante: Infelizmente há virtudes que só podemos praticar quando somos ricos.

Giacomo Leopardi photo
Blaise Pascal photo
Félicité Robert de Lamennais photo
Joseph Hall photo
George Sand photo
Friedrich Nietzsche photo
Epicuro photo
Lao Tsé photo
Victor Hugo photo

„A compaixão nem sempre é uma virtude. Quem poupa a vida do lobo, condena a morte as ovelhas.“

—  Victor Hugo poeta, romancista e dramaturgo francês 1802 - 1885

citado em Capital ilusão - Página 159, José Lucas - Ed. Coragem, 1986, 244 páginas
Atribuídas

Raduan Nassar photo
Lya Luft photo
Dante Alighieri photo

„Puderam vencer em mim o ardor,
que me levou a conhecer o mundo,
e os vícios e as virtudes dos homens…“

—  Dante Alighieri italiano autor da epopéia, A divina comédia, considerado um entre os maiores poetas de todos os tempos; sua obra teve g… 1265 - 1321

Variante: Puderam vencer em mim o ardor,
que me levou a conhecer o mundo,
e os vícios e as virtudes dos homens....

Edmund Burke photo
Francis Bacon photo

„A consciência é a estrutura das virtudes.“

—  Francis Bacon página de desambiguação da Wikimedia 1561 - 1626

Simone Weil photo

„O gênio não é mais do que a virtude sobrenatural da humildade no domínio do pensamento.“

—  Simone Weil 1909 - 1943

Citações por categoria, Cultura e sociedade

Henri Wallon (psicólogo) photo
Gerson De Rodrigues photo

„Imaginem que um Filósofo ao visitar uma velha Biblioteca se depara com um velho Sábio

- Estais perdido? Perguntou o Sábio

- Se estou perdido, como poderias tu orientar-me a razão? Disse o filósofo em tom questionador

O Sábio abaixa sua cabeça, caminha de um lado para o outro e indaga – Estais perdido!?

Filósofo: E não estamos todos?

O Completo e absoluto silencio gritava mais alto do que suas bocas caladas, embora suas mentes gritassem mais alto do que o mais feroz diabo.

Sábio: Não posso estar perdido, se eu sei exatamente aonde o verdadeiro eu estas, e deverias estar.

Filósofo: E Como poderias tu saber aonde deverias estar e aonde estas?

Sábio: Mas isso é muito simples, se estou em algum lugar, sigo a minha vontade. Está de acordo?

Filósofo: E Como saberias que segues a tua própria vontade? Se não foi influenciado pelo homem que vive em ti, o homem que crê em ti e nos deuses! Como poderias tu, saber aonde deverias ir?

O Sábio caminha a uma das muitas prateleiras e pega um livro, senta-se na frente do filósofo e diz de maneira serena

Sábio: Se leres este livro, e após a leitura tornar-se outro homem, como diferenciarias quem tu és, para quem tornou-se?

Filósofo: O Homem que leu este livro, para ti és um homem diferente antes deste mesmo livro? Digo, se hoje acredito no poder dos deuses, e amanhã perco completamente a fé por ler um livro ou dois, teria eu tornado me um homem sem fé, ou um homem diferente do que sempre fui?

Sábio: Tornarias outro homem

Filósofo: Mas isso é uma loucura, se torna-se outro homem a cada nova experiência, então tu, quem és afinal?

Sábio: Isso é muito simples…

O Sábio se levanta novamente e pega uma bíblia sagrada na escrivaninha a direita

Sábio: Se ao ler estas fábulas, e acreditares com toda as forças que és cristo, isso torna-te cristo?

Filósofo: Esse ato tornaria me um estudioso, um homem em busca de respostas

Sábio: Mas se as respostas levarem este homem a mais perguntas como poderias responde-las?

Filósofo: Não há respostas afinal.

Sábio: Quando tinhas dez anos de idade, pensavas o que?

Filósofo: Eu era uma criança comum, católico, vivia na cidade pequena, mas o que a minha infância tem a ver com tudo isso?

Sábio: Aquela criança ainda vive?

Filósofo: Eu a matei, ela tornou-se o homem que sou

Sábio: E ao matar o passado, tornou-se quem tu és!

Filósofo: Mas esse argumento não sustenta a sua teoria, que ao lermos novos livros tornamo-nos outro homem

Sábio: Ao ler as palavras de cristo, tens dois homens prontos a nascer. Se ao leres a bíblia, e acreditar com toda a sua fé que és cristo, e que cristo vives em ti, o que tornarias?

Filósofo: Um tolo

Sábio: E o que este tolo faria após tornar-se um tolo?

Filósofo: Viverias como um tolo

Sábio: Ao leres as palavras de cristo e duvidares de sua existência, o que tornarias?

Filósofo: Um sábio…

Sábio: Então tornarias tu, outro homem

O Filósofo pensativo caminha até uma seção na velha biblioteca, e pega uma série de livros matemáticos, senta-se em uma velha mesa acompanhada de uma pequena cadeira. Abre um dos velhos livros, aponta seu dedo sobre uma teoria matemática cientifica

Filósofo: O Que compreendes ao ler esta teoria?

Sábio: A Gravidade em sua mais bela e poética sinfonia matemática

Filósofo: E Quem a escreveu? Poderias me dizer?

Sábio: Isaac Newton

Filósofo: Consideravas Newton um sábio?

Sábio: Mas é claro, um homem de muitas virtudes

Filósofo: Mas este acreditava nos deuses

Sábio: E o que queres dizer com estas alegações?

O Filósofo se levanta novamente e vai a uma pilha de livros ao lado, pegando então Assim falou Zaratustra de Friedrich Nietzsche

Filósofo: Conheces Nietzsche?

Sábio: Mas é claro, estais a insultar-me?

Filósofo: Se ao leres Newton e Nietzsche, o que tornarias?

Sábio: Um novo homem…

Filósofo: Este novo homem, serias quem? Nietzsche? Ou Newton? Como este homem diferenciaria os deuses da matemática? Friedrich de Newton?

O Que eu quero dizer, como poderias tu, tornar-se outro homem ao leres dois autores distintos, se não o mesmo homem que agregou a si mesmo novas categorias do conhecimento.

Sábio: Então alegas descaradamente, que sou o mesmo homem todos os dias da minha vida?

Filósofo: E Como não poderias ser? Se ao leres mil livros, mudas-te de opinião mil vezes, és um metamorfo. Se ao escreveres mil livros, es um deus sobre os homens. Mas, se ao leres mil livros e aprenderes com estes próprios és o mesmo homem, com um intelecto refinado ao homem que eras anteriormente.

Sábio: Queres dizer que o conhecimento é como um diabo possessor?

Filósofo: Um diabo possessor?

Sábio: Um diabo que tomas o corpo de um homem, mas não toma sua verdadeira essência.

Filósofo: Estou de acordo, então voltamos a mesma questão ao nos conhecermos, como sabes que estais a seguir a sua própria vontade e não a de outros homens ou deuses

Sábio: Deixe-me responder essa questão, com uma alegoria que irá também sustentar meu outro ponto de vista

Imagines que és um crente, que acreditas no poder do divino. Vives então em templos sagrados, seu mundo é o louvor, então descobres por um telescópio apontado aos céus que lá não há deuses, e sim homenzinhos verdes em outros mundos, descobririas então que neste novo mundo há também novos deuses como saberias tu que o deus que pregas e rezas és o verdadeiro?

Filósofo: Não saberias, questionaria também os outros deuses

Sábio: E Se ao descobrires que além destes homenzinhos verdes, também existem tantos outros, e que o cosmos é repleto de deuses e vida. O Que tornarias a sua crença em um deus de carne?

Filósofo: Se tornaria insensata, ausente de razão, mas ainda questionadora pela vontade de questionar e aprender sobre esses novos deuses.

Sábio: Então responda-me, ao descobrir novos mundos tornou-se um homem diferente daquele pobre religioso de pés sujos em templos falsos?

Filósofo: Deixaria de ser um crente, e tornaria me um questionador. Mas ainda seria o mesmo homem

Sábio: Se és o mesmo homem, por que não crê nos mesmos deuses? Tornou-se um novo homem ao conhecer outros mundos, pois o homem que fois um dia, suicidou-se diante das cordas sinceras da realidade

Filósofo: Se o que diz é verdade, e somos de fato, diabos possessores, possuídos pelo conhecimento que mata o homem mas não mata sua essência, como sabes que não estás perdido? Como diferencias a decisão do homem com a decisão do diabo?

Se a cada nova experiência somos possuídos por um diabo diferente, se a cada livro torno-me um novo homem, se a cada mundo matamos um novo deus, quem eres tu afinal?

Sábio: Mas isso é muito simples, imagine comigo a seguinte alegoria

Somos todos homens vagueando em um vale sem fim, pense que cada livro desta biblioteca és um diabo, ao seres possuído pelo diabo, torna-se o diabo, embora sua essência humana ainda prevaleça

Filósofo: Então acreditas que podes matar a si mesmo, e tornar-se o homem que eras, mas renovado em sabedoria?

Sábio: Novamente estamos de acordo, poderias por favor dizer-me o que fazes em uma velha biblioteca como essa?

Filósofo: Vim em busca de conhecimento, e autoconhecimento, mas acabei perdendo-me em tamanha sabedoria e tormento

Sábio: E ao encontrar-me continua com este tormento?

Filósofo: Não

Sábio: E Por que não?

Filósofo: Porque sei quem tu és, e vós não o conheceis, mas eu o conheço, e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós. Mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.

Sábio: E quem sou eu?

Filósofo: Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

Sábio: Se eu sou o seu Deus, o único e verdadeiro Deus, sou tu enquanto falas sozinho para as paredes, divagando sobre quem tu és e o que tornou-se!

Tornas-te Deus, ao questionar a si, mas continuaste o homem que és, e que fois ao lembrar-se de si, e o que és.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

William Shakespeare photo
Ruy Barbosa photo
Francisco de Assis photo
Manuel Maria Barbosa du Bocage photo
Ramón De Campoamor Y Campoosorio photo
Virgilio photo

„A beleza torna sempre a virtude mais amável.“

—  Virgilio poeta romano clássico, autor de três grandes obras da literatura latina -70 - -19 a.C.

Philip Stanhope Chesterfield photo

„A modéstia está para a virtude como o véu para a beleza.“

—  Philip Stanhope Chesterfield 1694 - 1773

Variante: A modéstia está para a virtude como o véu está para a beleza.

Teixeira de Pascoaes photo
William Shakespeare photo
Anatole France photo
Charles Darwin photo
Machado de Assis photo
Confucio photo
Henrique Maximiano Coelho Neto photo

„É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais.“

—  Henrique Maximiano Coelho Neto 1864 - 1934

citado em "Biografias de personalidades célebres: Para todos os cursos e os estudiosos da Nossa História. Este libro consta de: biografias de personagens históricas, biografias dos presidentes da República, biografias de poetas e prosadores brasileiros, biografias de eclesiásticos, pesquisadores, músicos, etc", de Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira - 1961 - 307 páginas, Página 252

Charles Kingsley photo
Érico Veríssimo photo
François de La  Rochefoucauld photo

„As virtudes perdem-se no interesse como as águas do rio se perdem no mar.“

—  François de La Rochefoucauld Escritor, moralista e memorialista francês 1613 - 1680

Les Vertus fe perdent dans l'intérêt , comme les fleuves fe perdent dans la Mer
"Réflexions, sentences et maximes morales [by F. de la Rochefoucauld] mises en nouvel ordre, avec des notes, par m. Amelot de la Houssaye"‎ - Página 324 http://books.google.com.br/books?id=p6YDAAAAQAAJ&pg=PA324, François La Rochefoucauld (duc de.), Marguerite Hessein de Rambouillet de la Sablière - 1743 - 120 páginas

Wendell Berry photo
Juvenal photo
Dom Pedro Casaldáliga photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Alvin Plantinga photo
Cesare Pavese photo
Marie Jeanne Riccoboni photo