Citações de amor
página 2

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da família, amizade, parceria, infidelidade.

Total 4338 citações de amor, filtro:

William Shakespeare photo
Clive Staples Lewis photo
Buda photo
Erich Maria Remarque photo
Fernanda Young photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Ayn Rand photo
William Shakespeare photo
Barão de Itararé photo
Dercy Gonçalves photo
William Shakespeare photo

„Ser ou não ser, eis a questão. O que é mais nobre para a alma? Sofrer as pedradas e as setas da fortuna ultrajosa ou tomar armas contra um mar de tribulações e, fazendo-lhes rosto, dar-lhes fim? Morrer… dormir… mais nada. Dizer que, por meio de um sono, acabamos com as angústias e com os mil embates naturais de que é herdeira a carne é um desfecho que se deve ardentemente desejar. Morrer… dormir… dormir! Sonhar talvez! Ah! Aqui é que está o embaraço. Pois que sonhos podem sobrevir naquele sono da morte depois de nos termos libertado deste bulício mortal? Eis o que nos obriga a fazer pausa; eis a reflexão de que procede a calamidade de uma vida tão longa. Com efeito, quem suportaria os açoites e os escárnios desta época, a injustiça do opressor, a contumélia do orgulhoso, os tormentos do amor desprezado, as dilações da lei, a insolência do poder e os maus tratos que o mérito paciente recebe de criaturas indignas, podendo com um simples punhal outorgar a si mesmo tranquilidade? Quem quereria sopesar o fardo, gemer e suar debaixo de uma vida pesadíssima, se o temor dalguma coisa depois da morte - o desconhecido país de cujas raias nenhum viajante ainda voltou - não enleasse a vontade e não fizesse antes padecer os males que temos, do que voar para outros que ignoramos? Assim, a consciência torna-nos a todos covardes; assim o fulgor natural da resolução é amortecido pelo pálido clarão do pensamento; e, assim, empresas enérgicas e de grande alcance torcem o caminho, e perdem o nome de ação.“

—  William Shakespeare dramaturgo e poeta inglês 1564 - 1616

Hamlet

Charles Spurgeon photo

„Há pecado até na nossa santidade, há incredulidade na nossa fé; há ódio no nosso próprio amor; há lama da serpente na mais bela flor do nosso jardim.“

—  Charles Spurgeon 1834 - 1892

there is sin in our very holiness; there is unbelief in our faith; there is hatred in our very love; there is the slime of the serpent upon the fairest flower of our gard
The Metropolitan Gabernacle Pulpit - Página 126 http://books.google.com.br/books?id=TPtdTSANr2EC&pg=PA126, Rev. C.H. Spurgeon - 1863

Gabriel García Márquez photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Franz Liszt photo
Roberto Justus photo

„É pelo amor que sinto por você, neném, que estou te pedindo em casamento.“

—  Roberto Justus Investidor, Administrador, publicitário, empresário e apresentador de televisão brasileiro 1955

Roberto Justus, em vídeo apresentado na festa de aniversário da namorada, a apresentadora Eliana
Fonte: Revista Veja http://veja.abril.com.br/061200/vejaessa.html, Edição 1 678 - 6 de dezembro de 2000.

Milan Kundera photo
Marqués de Sade photo

„No amor, todos os cumes são tempestuosos.“

—  Marqués de Sade Aristocrata francês e escritor libertino 1740 - 1814

Robert Green Ingersoll photo
William Shakespeare photo
Virginia Woolf photo
Josemaría Escrivá de Balaguer photo
Adam Smith photo

„Não é da benevolência do açougueiro, do cervejeiro e do padeiro que esperamos o nosso jantar, mas da consideração que ele têm pelos próprios interesses. Apelamos não à humanidade, mas ao amor-próprio, e nunca falamos de nossas necessidades, mas das vantagens que eles podem obter.“

—  Adam Smith 1723 - 1790

It is not from the benevolence of the butcher, the brewer, or the baker, that we expect our dinner, but from their regard to their own interest. We address ourselves, not to their humanity but to their self-love, and never talk to them of our own necessities but of their advantages.
An Inquiry Into the Nature and Causes of the Wealth of Nations: With a Life of the Author. Also, a View of the Doctrine of Smith Compared with that of the French Economists; with a Method of Facilitating the Study of His Works, Volume 1, Página 20 http://books.google.co.uk/books?id=xTpFAAAAYAAJ&pg=PA20, Adam Smith - Creech, 1806.
Uma Investigação Sobre a Natureza e a Causa da Riqueza das Nações

Erich Fromm photo
Che Guevara photo

„Deixe-me dizer-lhe, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor…“

—  Che Guevara guerrilheiro e político, líder da Revolução Cubana 1928 - 1967

"Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor.."
Fonte: "El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março 1965

Mário Quintana photo

„A Laranja
A laranja cortada ao meio,
Úmida de amor, anseia pela outra…
É assim, é bem assim que eu te desejo“

—  Mário Quintana Escritor brasileiro 1906 - 1994

(In: Preparativos de Viagem) p.773 [2]
Frases e Poemas

Friedrich Schiller photo
Sathya Sai Baba photo

„Há uma só religião, a religião do amor. Há uma só linguagem, a linguagem do coração. Há uma só raça, a raça da humanidade. Há um só Deus, e Ele é onipresente.“

—  Sathya Sai Baba 1926 - 2011

citado em "Manual Completo de AscensÃo" - Página 148, JOSHUA DAVID STONE, Editora Pensamento, ISBN 8531510880, 9788531510885 - 280 páginas

„… uns fogem do amor e outros procuram com sofreguidão, mas no fim o que fica, em todos, é a mesma coisa, uma insuportável sensação de vazio.“

—  Rubem Fonseca contista, romancista, ensaísta e roteirista brasileiro 1925

Os Prisioneiros

Nicolas Chamfort photo
David Herbert Lawrence photo
John Green photo
John Green photo
Max Lucado photo
Mustafa Kemal Atatürk photo
Josemaría Escrivá de Balaguer photo
Nicolau Maquiavel photo
Wilhelm Reich photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Isaque de Nínive photo
Victor Hugo photo

„Fé na língua do céu é amor na língua dos homens.“

—  Victor Hugo poeta, romancista e dramaturgo francês 1802 - 1885

Augusto dos Anjos photo
Manuel Maria Barbosa du Bocage photo
William Shakespeare photo

„O gelo da timidez desfaz-se ao fogo do amor.“

—  William Shakespeare dramaturgo e poeta inglês 1564 - 1616

Dalai Lama photo
Jair Bolsonaro photo
Walt Disney photo

„Disneylândia é um trabalho de amor. Não entrei nisso apenas com a idéia de fazer dinheiro.“

—  Walt Disney Cofundador da The Walt Disney Company 1901 - 1966

Disneyland is a work of love. We didn't go into it with just the idea of making money.
citado em "Prince of the magic kingdom: Michael Eisner and the re-making of Disney" - página 142, Joe Flower - J. Wiley, 1991, ISBN 0471524654, 9780471524656 - 309 páginas
Atribuídas

Oswaldo Montenegro photo
Friedrich Nietzsche photo
Victor Hugo photo
Blaise Pascal photo
Alejandro Casona photo

„No verdadeiro amor ninguém manda; obedecem os dois.“

—  Alejandro Casona 1903 - 1965

en el verdadero amor no manda nadie; obedecen los dos
"Teatro‎" - Volume 1, Página 168, de Alejandro Casona - Editorial Losada, 1964

Citát „O amor começa quando uma pessoa se sente só e termina quando uma pessoa deseja estar só.“
Liev Tolstói photo
Clive Barker photo
Virginia Woolf photo
Ovidio photo
Clive Staples Lewis photo

„O amor de Deus por nós é um assunto muito mais seguro de se pensar do que o nosso amor por ele.“

—  Clive Staples Lewis Apologeta e novelista cristão 1898 - 1963

Cristo

Clive Staples Lewis photo

„… a saúde espiritual do indivíduo é exatamente proporcional ao seu amor por Deus.“

—  Clive Staples Lewis Apologeta e novelista cristão 1898 - 1963

Cristianismo e Espiritualidade

João da Cruz photo
Marco Aurelio photo
Simone de Beauvoir photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Isaías 14:12

Se o suicídio de um homem
os assusta
jamais olhe em seus olhos!

Neles existem dores
que jamais conseguiriam compreender;

Já não me importam as estrelas
ou os devaneios longínquos
sinto-me como se estivesse morto

Apático como a navalha
que transformou os meus pulsos
em rios de sangue e miséria

Não restou-me nada
do homem que eu fui
para o verme que eu sou hoje

Logo eu
que sempre lutei por liberdade
tornei-me o escravo do meu próprio abismo

A criança maldita
que só trouxe
miséria aos seus pais

O homem maldito
que traz em seus olhos
a luz da estrela da manhã
refletida em suas lágrimas.

Em mim vivem
monstros terríveis
adormecidos como criaturas do inferno

Todas as noites os acordo
para dançarmos com o Diabo;

Não deveria eu
lançar-me em meio
as chamas do inferno

Com uma corda em meu pescoço
gritando como um louco

- Crucifiquem-me
pois sou Judas!
trai a mim mesmo!

Não consigo pedir ajuda
aos homens
pois sou dono de uma timidez cruel

Não posso pedir ajuda
aos Deuses
pois vendi minha alma ao diabo

Sozinho em meu próprio abismo
solitário em meu próprio inferno
um Deus que perdeu sua própria fé

O amor não pode salvar um homem
que sobre o seu próprio túmulo
rogou bênçãos e sacrilégios;

- Não estão escutando estas
lindas canções?

- Como podem chorar
ao escutar estas belas sinfonias?

Não chorem
pelos meus pulsos dilacerados

Ou pelo homem enforcado
naquele quarto escuro

- Não veem que agora
estou sorrindo?

Um arcanjo de asas negras
sepultou a minha alma
sob a luz da estrela da manhã…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Gerson De Rodrigues photo

„Diálogo entre o Padre e o Filósofo - Uma Dialética Niilista

Sentado nas beiradas sujas do décimo terceiro andar de um prédio abandonado, estava um filósofo decidido em acabar com a sua vida

Abel um de seus amigos mais religiosos, considerou a hipótese de que seria uma grande ideia enviar um padre para conversar com ele, afim de convence-lo de que a vida segundo Abel

‘’ Era um presente de deus’’ e deveria ser vivida, e que o suicídio era uma péssima escolha.

O Bravo e corajoso padre então foi chamado, e com sua bíblia nas mãos subiu até o décimo terceiro andar deste prédio. Sentou-se então ao lado do filósofo, enquanto ambos eram observados por uma multidão de pessoas preocupadas.

O Filósofo parecia tranquilo, a vida já não existia em seu olhar e ele observava atentamente o horizonte ignorando completamente aquele estranho porem caricato padre sentado ao seu lado.

O Padre tranquilo segurava a sua bíblia como se estivesse segurando as próprias mãos de cristo, a coragem e a determinação de salvar aquele jovem filosofo do suicídio era a sua missão, e sem hesitar perguntou

- Oh meu filho por que renunciais a vida? tão belas que és, tão lindas que és, dada a nós por deus, e paga com o sangue de cristo que morreu por nós para que você não precise morrer hoje.

O Filósofo escutando as palavras do padre, observava atentamente o horizonte, e sem responder permanecia em silencio, o padre por sua vez continuava o discurso.

- Meu filho, observe a beleza do mundo essas montanhas ao fundo, esses prédios cheios de vida, se não fosse a vida o que seriamos de nós? A vida é tudo que temos, nosso único tesouro, nosso maior presente.

O Padre ainda determinado abre a sua bíblia em uma parte que já estava marcada e começa a ler

- Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 1 João 4:7

E no momento em que o filósofo escuta as palavras bíblicas, ele sorri e pela primeira vez olha para o padre, ainda com os olhos sem vida já morto por dentro, mas com um sorriso sincero perguntou ao padre

- Por que vives padre?

O Padre sem pestanejar, de supetão logo respondeu

- Eu vivo por cristo, e cristo vive em mim, eu vivo pela igreja e pelo amor que eu tenho a aqueles que seguem a jesus. Eu vivo, porque a vida é bela, porque amo aqueles próximos a mim, amo a minha família e a minha igreja.

O Filósofo sorrindo, pergunta novamente ao padre mas desta vez com um tom um pouco mais sério

- Por que vives padre?

O Padre sem entender, pois já havia respondido a pergunta gagueja levemente e responde

- E.. eu, eu.. vi.. vivo por cristo, vivo por aqueles que amo, e pela igreja! O Suicídio é um pecado sem retorno e a vida é o presente mais belo que deus poderia nos dar. Ele enviou seu próprio filho para se sacrificar por nós, em pró de nossas vidas pecaminosas.

O Filósofo vira o seu rosto para frente, observando o horizonte respira tranquilamente e pergunta outra vez com uma tonalidade calma em sua voz

- Por que vives padre?

O Padre já sem resposta, demora a alguns segundos para pensar em uma, segura sua bíblia com toda sua força suando frio com a outra mão agarra com ainda mais forças a beirada do prédio, descontrolado o padre grita

- O CRISTÃO VIVE PELA Fé!! E Eu tenho fé em cristo, fé na vida, fé de que ambos sairemos deste prédio de mãos dadas!

Com os braços cruzados, o Filósofo olha para baixo, e sorri para o abismo, e o abismo sorri de volta. Sorrindo então ele olha para o padre e novamente pergunta de maneira serena e calma

- Por que você vive padre?

O Padre sem reação olha para baixo, e o abismo sorri para ele e ele pula para o abismo.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

„Quando há pobreza de Amor, há fartura de ódio. E o resultado disso é a miséria terrena. Rico é aquele que ama.“

—  José de Paiva Netto Escritor, radialista, educador brasileiro e atual presidente da Legião da Boa Vontade 1941

citado no artigo http://www.paivanetto.com.br/index.php/pt/artigo?cm=396&cs=100 "Natal Permanente de Jesus"

Gerson De Rodrigues photo
Sandra Bullock photo
Miguel de Cervantes photo

„Essa enfermidade a que os amantes chamam de ciúme, e a que melhor chamariam desespero raivoso, tem por componentes a inveja e o menosprezo. Quando tal enfermidade domina a alma enamorada, não existe ponderação que a sossegue, nem remédio que a possa curar.“

—  Miguel de Cervantes 1547 - 1616

esta enfermedad que los amantes llaman celos, que la llamaran mejor desesperacion rabiosa, entran ála parte con ella la envidia y el menosprecio, y cuando una vez se apodera del alma enamorada, no hay consideracion que la sosiegue, ni remedio que la valga
Trabajos de Persiles y Sigismunda - página 255 http://books.google.com.br/books?pg=PA255, Miguel de Cervantes Saavedra, Librería de San Martín, Plus Ultra, 1859, 360 páginas

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Charles Bukowski photo
Leonardo Da Vinci photo
João Guimarães Rosa photo
Charles Bukowski photo
Dorothy L. Sayers photo
Anahí photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Maya Angelou photo
Ninon De Lenclos photo
Josemaría Escrivá de Balaguer photo
Aurélio Agostinho photo

„A medida do amor é não ter medida.“

—  Aurélio Agostinho bispo, teólogo e filósofo cristão 354 - 430

Atribuídas

Sigmund Freud photo
Sigmund Freud photo
Sigmund Freud photo
Sigmund Freud photo
William Shakespeare photo
Arthur Schopenhauer photo
Arthur Schopenhauer photo
Nélson Rodrigues photo
Joseph Conrad photo
Pepetela photo
Paulo Coelho photo
Gabriel Chalita photo