„Ainda me lembro de meu pai. Era um homem alto e bonito, com os olhos grandes e um bigode preto. Sempre que estava comigo, era a beijar-me, a contar-me histórias, a fazer-mes as vontades. Tudo dele era para mim. Eu mexia nos seus [livro]]s, sujava as suas roupas, e meu pai não se importava. As vezes, porém, ele entrava em casa calado. Sentava-se numa cadeira ou passeava no corredor com as mãos atrás das costas, e discutia muito com minha mãe. Gritava, dizia tanta coisa, ficava com uma cara de raiva que me fazia medo(…) Coitado de meu pai ! Parece que o vejo quando saiu de casa com os soldados, no dia do seu crime.(…) Vim a compreender, com o tempo, porque razão se deixara a levar ao desespero. O amor que tinha pela esposa era o amor de um louco. O seu lugar não era no presídio para onde o levaram. O meu pobre pai, dez anos depois, morria na casa de saúde, liquidado por uma paralisia geral.“

— José Lins do Rego, Página 9).

Publicidade

Citações relacionadas

Adélia Prado foto
Publicidade
Margaret Thatcher foto
 Sócrates foto
Axl Rose foto
Monteiro Lobato foto
Ludwig von Mises foto
Publicidade
William Shakespeare foto
Bertolt Brecht foto
Pablo Picasso foto
Pedro I foto
Publicidade
João Baptista de Oliveira Figueiredo foto
Ludwig Van Beethoven foto

„É o pai da harmonia.“

— Ludwig Van Beethoven compositor alemão 1770 - 1827
Sobre Bach

Thierry Henry foto
Luiz Inácio Lula da Silva foto
Próximo