Frases sobre natural

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da natural.

Tópicos relacionados

Total 461 citações, filtro:


Oscar Wilde photo
Wilhelm Reich photo
Machado de Assis photo
Ramalho Ortigão photo
Dante Alighieri photo

„O falar é um efeito natural;
mas, de um modo ou de outro, a natureza deixa o homem
escolher aquele que mais lhe agrada.“

—  Dante Alighieri italiano autor da epopéia, A divina comédia, considerado um entre os maiores poetas de todos os tempos; sua obra teve g… 1265 - 1321

Érico Veríssimo photo
Michel Houellebecq photo
Freddie Mercury photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Edward Bernays photo
Alfred North Whitehead photo

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating
Francis Bacon photo

„Não há maior deserto ou região selvagem, então, sem amigos verdadeiros. Pois sem amizade, a sociedade é apenas uma reunião. E, como é certo, que nos corpos inanimados, a união fortalece qualquer movimento natural e enfraquece qualquer movimento violento; Portanto, entre os homens, a amizade multiplica alegrias e divide as queixas. Portanto, quem quer que seja a fortaleza, deixe-o adorar a Amizade. Pois o jugo da amizade torna o jugo da fortuna mais leve.“

—  Francis Bacon página de desambiguação da Wikimedia 1561 - 1626

There is no greater desert or wilderness then to be without true friends. For without friendship, society is but meeting. And as it is certain, that in bodies inanimate, union strengtheneth any natural motion, and weakeneth any violent motion; So amongst men, friendship multiplieth joys, and divideth griefs. Therefore, whosoever wanteth fortitude, let him worship Friendship. For the yoke of Friendship maketh the yoke of fortune more light.
The Works of Francis Bacon, Volume 6 - página 558 https://books.google.com.br/books?id=99cVnf7FnCUC&pg=PA558, Francis Bacon, William Rawley, James Spedding, Robert Leslie Ellis, Douglas Denon Heath, Editora Longmans, 1858

Padre Antônio Vieira photo
Wilhelm Reich photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Temple Grandin photo
Ludwig von Mises photo
Carl Gustav Jung photo
Julius Evola photo

„Ao cabo de séculos de «escravidão» a mulher quis pois ser livre, ser ela própria. Mas o «femininismo» não soube conceber para a mulher uma personalidade que não fosse uma imitação da masculina, de maneira que as suas «reivindicações» ocultam uma desconfiança fundamental da mulher nova em relação a si mesma, a impotência desta para ser o que é e a contar pelo que ela é: como mulher e não como homem. Devido a esta fatal incompreensão, a mulher moderna experimentou o sentimento de uma inferioridade absolutamente imaginária por ser apenas mulher e sente quase como ofensa o ser tratada «só como mulher». Foi esta a origem de uma falsa vocação frustrada: e é precisamente por isso que a mulher quis tirar uma desforra, reivindicar a sua «dignidade», mostrar o seu «valor» - passando a medir--se com o homem. Todavia, não se tratava de maneira nenhuma do homem verdadeiro, mas sim do homem-construção, do homem-fantoche de uma civilização standardizada, racionalizada, não implicando quase mais nada de diferenciado e qualitativo. Numa civilização como esta, evidentemente, já não se pode tratar de um privilégio legítimo qualquer, e as mulheres incapazes de reconhecer a sua vocação natural e de defendê-la, a não ser pelo plano mais baixo (pois nenhuma mulher sexualmente feliz sentiu alguma vez a necessidade de imitar e de invejar o homem), conseguiram facilmente demonstrar que também elas possuíam virtualmente as faculdades e as habilitações - materiais e intelectuais - que se encontram no outro sexo e que, em geral, se exigem e se apreciam numa sociedade de tipo moderno. O homem, de resto, deixou andar as coisas como um verdadeiro irresponsável, e até ajudou e impeliu a mulher para as ruas, para os escritórios, para as escolas, para as fábricas e para todas as encruzilhadas contaminantes da sociedade e da cultura modernas. Foi assim que se deu o último empurrão nivelador. (…) A mulher tradicional, a mulher absoluta, ao dar-se, ao não viver para si, ao querer ser toda para outro ser com simplicidade e pureza, realizava-se, pertencia-se a si mesma, tinha um heroísmo muito seu - e, no fundo, tornava-se superior ao homem comum. A mulher moderna ao querer ser por si mesma destruiu-se. A tão aspirada «personalidade» está a tirar-lhe toda a personalidade.“

—  Julius Evola, livro Revolt Against the Modern World

Revolt Against the Modern World

William Shakespeare photo

„Ser ou não ser, eis a questão. O que é mais nobre para a alma? Sofrer as pedradas e as setas da fortuna ultrajosa ou tomar armas contra um mar de tribulações e, fazendo-lhes rosto, dar-lhes fim? Morrer… dormir… mais nada. Dizer que, por meio de um sono, acabamos com as angústias e com os mil embates naturais de que é herdeira a carne é um desfecho que se deve ardentemente desejar. Morrer… dormir… dormir! Sonhar talvez! Ah! Aqui é que está o embaraço. Pois que sonhos podem sobrevir naquele sono da morte depois de nos termos libertado deste bulício mortal? Eis o que nos obriga a fazer pausa; eis a reflexão de que procede a calamidade de uma vida tão longa. Com efeito, quem suportaria os açoites e os escárnios desta época, a injustiça do opressor, a contumélia do orgulhoso, os tormentos do amor desprezado, as dilações da lei, a insolência do poder e os maus tratos que o mérito paciente recebe de criaturas indignas, podendo com um simples punhal outorgar a si mesmo tranquilidade? Quem quereria sopesar o fardo, gemer e suar debaixo de uma vida pesadíssima, se o temor dalguma coisa depois da morte - o desconhecido país de cujas raias nenhum viajante ainda voltou - não enleasse a vontade e não fizesse antes padecer os males que temos, do que voar para outros que ignoramos? Assim, a consciência torna-nos a todos covardes; assim o fulgor natural da resolução é amortecido pelo pálido clarão do pensamento; e, assim, empresas enérgicas e de grande alcance torcem o caminho, e perdem o nome de ação.“

—  William Shakespeare dramaturgo e poeta inglês 1564 - 1616

Hamlet

Virginia Woolf photo
Vinícius de Moraes photo