Frases sobre sim

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da sim, ser, vida, vida.

Total 1038 citações, filtro:

Charlie Chaplin photo

„Ei! Sorria… Mas não se esconda atrás desse sorriso…
Mostre aquilo que você é, sem medo.
Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, assim como eu.
Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.
Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.
Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome!
Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.
Procure o que há de bom em tudo e em todos.
Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação.
Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver.
Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove.
Ei! Olhe… Olhe a sua volta, quantos amigos…
Você já tornou alguém feliz hoje?
Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo?
Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você.
Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.
Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela.
Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.
Ei! Ouça… Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante.
Suba… faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo,
Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida.
Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você.
Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar.
Ei! Você… não vá embora.
Eu preciso dizer-lhe que… te adoro, simplesmente porque você existe.“

—  Charlie Chaplin Comediante, ator e cineasta britânico 1889 - 1977

Aristoteles photo
Citát „O amor não se ver com os olhos, mas sim com o coração.“
William Shakespeare photo

„O amor não se ver com os olhos, mas sim com o coração.“

—  William Shakespeare dramaturgo e poeta inglês 1564 - 1616

Variante: O amor não se vê com os olhos mas com o coração.

„Sempre amado e valorizado


Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, 
ou fome… v.35


Servimos ao Deus que nos ama mais do que ama o nosso trabalho.

Sim, é verdade que Deus quer que trabalhemos para alimentar nossas famílias e que cuidemos, responsavelmente, do mundo que Ele criou. E Ele espera que sirvamos aos fracos, famintos, nus, sedentos e alquebrados em torno de nós, ao mesmo tempo em que nos mantemos alertas aos que ainda não responderam ao mover do Espírito Santo na vida deles.

Ainda assim, servimos ao Deus que nos ama mais do que ama o nosso trabalho.

Jamais devemos nos esquecer disso, porque poderá chegar um momento em que a nossa capacidade de “fazer para Deus” seja arrancada de nós por saúde, fracasso ou catástrofe imprevista. É nessas horas que Deus deseja que nos lembremos de que Ele nos ama não pelo que fazemos para Ele, mas por quem somos, Seus filhos! Uma vez que invocamos o nome de Cristo para a salvação, nada — 
“…tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada” — jamais nos separará “…do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8:35,39).

Quando tudo que podemos fazer ou tudo que temos é tirado de nós, tudo que o Senhor quer é que descansemos na certeza de que somos filhos de Deus.

A razão de existirmos 
é estarmos em comunhão com Deus. Randy Kilgore“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - F32.3

O sangue que escorre das suas vísceras
é a morte de todas as suas convicções?

Ou os devaneios sinceros
de um suicídio inevitável?

Não tentem me salvar!
se afastem de mim
deixem que eu apodreça na minha própria miséria

Se me ouvirem gritar
tampem os seus ouvidos!

Escondam-se em suas igrejas
reúnam-se em coletivos
amem uns aos outros

Mas eu imploro de joelhos!

Deixem que eu me enforque
em meu quarto sozinho

Quero sentir a agonia do suicídio
curando cada ferida que existe em meu peito

Como ousam!?
como ousam me chamar de louco?
ou zombar das minhas dores

Nas poéticas maravilhas
deste assombroso universo
ansiedades e vertigens
me torturam a cada segundo

Enquanto o resto de vocês
reúnem-se
cantam e dançam!

Alguma vez já sentiram ódio
por suas próprias vidas?

Não me venham com as suas conclusões!
não me digam que existe uma cura
ou que eu devo fazer isso ou aquilo

Somente a solidão
pode compreender a minha dor

No meu quarto recluso
eu sou judas a cuspir heresias

Querem me impedir de matar os seus filhos
com poesias escritas em sangue?

Então joguem o meu corpo aos cães
ou me coloquem em camisas de força

A minha alma é uma estrela em chamas
que brilha mesmo quando o fogo já se apagou

Eu sou o filho bastardo
de um futuro que nunca aconteceu

Nunca fiz parte deste mundo
não pertenço a esse teatro de mentiras
no qual riem os Deuses
e choram os homens

Estas mascaras que colocam
todos os dias

O amor que sentem
uns pelos outros

As armas que usam para
matar aqueles que odeiam

Os Deuses! Sim os Deuses!
pelos quais curvam seus joelhos imundos

A ajuda que me oferecem
a religião que me cospem na cara

Os remédios que tomam
e dizem que eu devo tomar

Até mesmo o ar que respiram
ou mundo pelo qual caminham com seus
pés sujos de sangue

Este teatro de almas vazias
que chamam vulgarmente de mundo

É um lugar do qual eu nunca pertenci!
tampouco desejo pertencer

Quando encontrarem o meu corpo
dependurado com vermes a se alimentarem
dos meus despojos podres

Não chorem…
pois se enxergas apenas um homem morto
continuas cego diante da verdadeira tragédia!

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Poema Depressão Niilismo

„O gênio do ferro-velho


Ele retrucou: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: 
eu era cego 
e agora vejo. v.25


Noah Purifoy começou o seu trabalho como artista “montador” com 3 toneladas de escombros recuperados a partir dos motins de 1965 na área de Watts, em 
Los Angeles, EUA. De rodas de bicicletas quebradas e bolas de boliche para pneus descartados e TV danificadas a 
produtos já inutilizáveis, ele e um colega criaram esculturas que transmitiam poderosa mensagem sobre pessoas sendo tratadas como “descartáveis” na sociedade moderna. Um jornalista referiu-se a ele como “o gênio do ferro-velho”.

No tempo de Jesus, muitas pessoas com doenças e problemas físicos eram consideradas como pecadores que estavam sendo punidos por Deus. Essas pessoas eram evitadas e ignoradas. Mas quando Jesus e Seus discípulos encontraram um homem cego de nascença, o Senhor disse que a condição física dele não era resultado do pecado, mas sim, uma ocasião para revelar o poder de Deus. “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (João 9:5). Quando o cego seguiu as instruções de Jesus, ele pôde ver.

Quando as autoridades religiosas questionaram esse homem cego, ele respondeu simplesmente: “…uma coisa sei: eu era cego, mas agora vejo” (v.25).

Jesus ainda é o maior “gênio do ferro-velho” em nosso mundo. Estamos todos danificados pelo pecado, mas Ele toma a nossa vida despedaçada e molda-a em Suas mãos.

Jesus é o restaurador 
de nossa vida. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Pequenas mentiras e gatinhos


…como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna… v.21


A mãe de Elias, 4 anos, notou quando ele se afastou correndo dos gatinhos recém-nascidos. Ela tinha lhe dito para não tocá-los. “Você tocou nos gatinhos, Elias?”, perguntou ela.

“Não!”, Ele disse seriamente. Então, a mãe fez-lhe outra pergunta: “Eles eram macios?”

“Sim, e o pretinho miou”, ele respondeu.

Com uma criança pequena, nós sorrimos com essa atitude. Mas a desobediência de Elias ressalta a nossa condição humana. Ninguém precisa ensinar uma criança de 4 anos a mentir. “Eu nasci na iniquidade”, escreveu Davi em sua clássica confissão, “e em pecado me concebeu minha mãe” (Salmo 51:5). O apóstolo Paulo disse: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Romanos 5:12). Essa notícia deprimente se aplica igualmente a reis, crianças de 4 anos, a você e a mim.

Mas há muita esperança! “A lei veio para aumentar o mal”, escreveu Paulo. “Mas, onde aumentou o pecado, a graça de Deus aumentou muito mais ainda” (Romanos 5:20 NTLH).

Deus não está esperando que pequemos apenas para que Ele possa nos punir. Ele é o Senhor da graça, do perdão e da restauração. Precisamos apenas reconhecer que o nosso pecado não é bonito, nem desculpável e irmos a Ele com fé e arrependimento.

Agora, pois, já nenhuma condenação há 
para os que estão em Cristo Jesus. Romanos 8:1 Tim Gustafson“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„O amor revelado


Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. v.9


Quando uma série de placas escritas “eu te amo” apareceram misteriosamente na cidade, uma repórter do jornal local decidiu investigar. Sua sondagem deu em nada. Semanas mais tarde, novos sinais apareceram com o nome de um parque local, uma data e hora.

Acompanhada por uma multidão de pessoas curiosas daquela cidade, a repórter foi ao parque no tempo determinado. Lá, ela viu um homem vestindo um terno escondendo o seu rosto habilmente. Imagine a surpresa dela quando ele lhe entregou um buquê e a pediu em casamento! O homem misterioso era o namorado dela. Ela alegremente disse sim.

A maneira de expressar o amor à sua noiva pode ter parecido um pouco exagerada, mas a expressão de amor de Deus por nós é no mínimo extravagante! “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele” (1 João 4:9).

Jesus não é apenas um símbolo de amor, como uma rosa entregue de uma pessoa à outra. Ele é o ser humano-divino que, voluntariamente, entregou Sua vida para que quem crer nele para a salvação tenha um relacionamento de aliança eterna com Deus. Nada pode separar um cristão “…do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8:39).

Reconhecemos o quanto Deus nos ama 
porque Ele enviou o Seu Filho para nos salvar. Jennifer Benson Schuldt“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Isto me traz alegria?

…tudo o que é verdadeiro, […] se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. v.8

Marie Kondo, jovem japonesa, escreveu o livro A mágica da alegria (Ed. Sextante, 2015), sobre o descarte e a organização e já vendeu dois milhões de cópias em todo o mundo. O objetivo é ajudar as pessoas a livrarem-se de coisas desnecessárias em suas casas e armários, coisas que lhes pesam. Ela sugere que seguremos cada item e nos perguntemos: Isso me traz alegria? Se a resposta for sim, devemos mantê-lo. Se for não, descartá-lo.

Paulo exortou os cristãos de Filipos a buscarem a alegria em seu relacionamento com Cristo. “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez vos digo: alegrai-vos” (Filipenses 4:4). Em vez de uma vida cheia de ansiedade, ele exortou-os a orar por tudo e permitir que a paz de Deus guarde os seus corações e mentes em Cristo (vv.6,7).

Olhando para as nossas tarefas e responsabilidades diárias, vemos que nem todas são agradáveis. Mas podemos questionar: “De que maneira esta tarefa pode agradar a Deus e a mim também?” Uma mudança no objetivo do que fazemos pode transformar a maneira como nos sentimos a respeito dessas tarefas e responsabilidades.

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (v.8).

As palavras de despedida de Paulo são alimento para a mente e uma receita para a alegria.

Envolver-se completamente com o Senhor 
é o princípio da alegria. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Em todas as circunstâncias


Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. v.18


Em nosso bairro, reclamamos muito sobre as constantes quedas de energia. Elas podem ocorrer até três vezes numa semana e duram até 24 horas, mergulhando o bairro na escuridão. É difícil suportar esse inconveniente quando não podemos usar os aparelhos domésticos básicos.

Nossa vizinha, que é cristã, muitas vezes pergunta: “Isso é algo pelo qual devemos agradecer a Deus?” Ela está se referindo a 1 Tessalonicenses 5:18: “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” Nós sempre dizemos: “Sim, claro, damos graças a Deus em todas as coisas.” Mas essa maneira tímida de dizermos é negada pela nossa reclamação cada vez que a energia é interrompida.

Certo dia, porém, a nossa crença de que devemos agradecer a Deus em todas as circunstâncias assumiu um novo significado. Voltei do trabalho para encontrar nossa vizinha visivelmente abalada, dizendo: “Graças a Deus que faltou energia. Minha casa teria queimado e minha família e eu teríamos perecido!”

Um caminhão de coleta de lixo tinha atingido o poste de eletricidade na frente de sua casa e derrubado os cabos de alta-tensão sobre várias casas. Se os cabos estivessem energizados, as mortes teriam sido inevitáveis.

As circunstâncias difíceis que enfrentamos podem dificultar a nossa gratidão. Podemos ser gratos ao nosso Deus, que vê em cada situação uma oportunidade para que confiemos nele — quer vejamos ou não os Seus propósitos.

Pela graça de Deus 
podemos ser gratos em todas as coisas. Lawrence Darmani“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Qual é a ocasião?


Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente… v.14


Arthur, 4 anos, espiou para fora do capuz do seu moletom favorito deixando à vista o seu alegre rostinho. O capuz imitava uma cabeça de jacaré com mandíbulas de pelúcia que pareciam engolir a cabeça dele! Sua mamãe não aprovou o moletom escolhido. Ela queria causar uma boa impressão na visita que fariam a uma família que não viam há tempos.

Então ela lhe disse: “Esse moletom não é apropriado para a ocasião de hoje.”

“É sim!”, Arthur protestou prontamente.

“Sim, e que ocasião você acha que é?”, perguntou ela. Arthur respondeu: “Você sabe, mãe. Vida!” O garoto convenceu a sua mãe a deixar ele vestir o moletom que preferia!

Arthur já aprendeu o que lemos em Eclesiastes 3:12: “…nada há melhor para o homem do que regozijar-se e levar vida regalada”. Esse livro pode parecer deprimente e muitas vezes é incompreendido porque foi escrito a partir de uma perspectiva humana, não divina. O escritor, o rei Salomão, perguntou: “Que proveito tem o trabalhador naquilo com que se afadiga” (v.9)? No entanto, nele vislumbramos a esperança, pois ele também escreveu: “…é dom de Deus que possa o homem comer, beber e desfrutar o bem de todo o seu trabalho” (v.13).

Nós servimos a um Deus que nos dá boas coisas para desfrutar. Tudo o que Ele faz “durará eternamente” (v.14). À medida que o reconhecemos e seguimos os Seus ensinos de amor, Ele incute e inspira em nós o Seu propósito, significado e alegria de viver.

O Senhor, que o criou, 
quer ser o centro de sua vida. Tim Gustafson“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„O bem supremo


…Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus… v.8


Cresci na Jamaica, e meus pais criaram minha irmã e eu para sermos “pessoas boas”. Em casa, bom significava obedecer aos pais, falar a verdade, ir bem na escola, no trabalho e ir à igreja pelo menos na Páscoa e no Natal. Imagino que esta definição de ser boa pessoa seja familiar para muitos, independentemente da cultura. Na verdade, Paulo, em Filipenses 3, usou a definição de ser bom em sua cultura para destacar algo maior.

Paulo, sendo um devoto judeu do primeiro século, seguiu a lei moral de sua cultura ao pé da letra. Ele nasceu na família “certa”, tinha a educação “certa” e praticava a religião “certa”. Era o verdadeiro em termos de ser uma boa pessoa de acordo com o costume judaico. No versículo 4, Paulo escreve que se ele quisesse, poderia se vangloriar de toda a sua bondade. Mas, sendo bom como era, Paulo disse aos seus leitores (e a nós) que há algo mais do que ser bom. Ele sabia que ser apenas bom, não era o mesmo que agradar a Deus.

Paulo escreve nos vv.7,8 que agradar a Deus, envolve conhecer a Jesus. Paulo considerava a sua própria bondade como “lixo” quando comparado com “o valor supremo de conhecer a Cristo Jesus”. Somos bons — e agradamos a Deus — quando a nossa esperança e fé estão em Cristo, e não em nossa bondade.

Somos bons e agradamos a Deus quando nossa esperança e fé 
estão somente em Cristo, não em nossa bondade. Kevin Williams“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Como eu reagiria?


…não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus, que me pôs… v.8


“A percepção do favoritismo é um dos maiores fatores na rivalidade entre irmãos”, disse a Dra. Barbara Howard, pediatra de desenvolvimento comportamental. José, o personagem do Antigo Testamento é um exemplo; ele era o filho favorito de seu pai, o que deixava seus irmãos mais velhos furiosos (Gênesis 37:3,4). Eles o venderam aos comerciantes que viajavam para o Egito e fizeram parecer que um animal selvagem o havia matado (37:12-36). Destruíram os seus sonhos e o futuro dele parecia sem esperança.

Ao longo da jornada, José foi fiel a Deus e confiou nele mesmo nas situações ruins. Depois de ser falsamente acusado pela mulher de seu patrão e de ser preso por algo que não fizera, lutou com a injustiça de sua situação, entretanto, continuou confiando no Senhor.

Anos depois, seus irmãos vieram ao Egito para comprar grãos durante um período de intensa fome e aterrorizaram-se ao descobrir que o seu irmão mais novo e desprezado era agora o primeiro-ministro. Mas José lhes disse: “…não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vós mesmos por me haverdes vendido para aqui; porque, para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós…” (v.5).

As amáveis palavras de José me fazem questionar se eu estaria pronto para me vingar. Ou seria misericordioso porque o meu coração confia no Senhor?

Nas horas mais sombrias da vida, 
com os olhos da fé podemos ver a amorosa mão de Deus. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Estenda a misericórdia


…Ó Deus, sê propício a mim, pecador! v.13


Quando me queixei das escolhas de uma amiga que a conduziam ao pecado e como as atitudes dela me incomodavam, minha parceira de oração semanal me disse: “Vamos orar por todos nós.” “Todos nós?”, perguntei: “Sim, não é você quem sempre diz que Jesus estabelece o nosso padrão de santidade, então não devemos comparar os nossos pecados com os dos outros.”

“Essa verdade machuca”, respondi, “mas você está certa. Minha atitude de julgamento e orgulho espiritual não são melhores ou piores do que os pecados dela.”

“E falando sobre ela, na verdade, estamos fofocando e pecando.”

Abaixei a cabeça, dizendo: “Por favor, ore por nós.”

Em Lucas 18, Jesus compartilhou uma parábola sobre dois homens se aproximando do templo para orar de maneiras muito diferentes (vv.9-14). Como os fariseus, podemos ficar presos num círculo de comparação com outras pessoas. Podemos nos vangloriar de nós mesmos (vv.11,12) e viver como se tivéssemos o direito de julgar e a responsabilidade ou o poder de mudar os outros.

Quando olhamos para Jesus como nosso exemplo de vida santificada e vemos a Sua bondade em primeira mão, como o cobrador de impostos a viu, a nossa desesperada necessidade da graça de Deus se amplia (v.13). À medida que experimentamos a compaixão e o perdão do Senhor pessoalmente, mudamos para sempre e somos capacitados para esperar e estender a misericórdia, não a condenação, aos outros.

Ao percebermos a profundidade de nossa necessidade de misericórdia, podemos mais prontamente oferecer misericórdia aos outros. Xochitl Dixon“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Nem um pardal


Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos. Salmo 116:15


Minha mãe, tão digna e respeitável em toda a sua vida, agora está em uma cama, não podendo mover-se por sua idade limitante. Lutando para respirar, a sua condição debilitante contradiz o lindo dia de primavera que dançava convidativo do outro lado da janela.

Toda a preparação emocional do mundo não pode nos preparar o suficiente para a crua realidade do adeus. A morte é uma indignidade!, pensei.

Desviei meu olhar para o alimentador de pássaros do lado de fora da janela. Um pardal voou para se alimentar de algumas sementes. Imediatamente uma frase familiar surgiu em minha mente: “E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai” (Mateus 10:29). Jesus havia dito isso aos Seus discípulos quando lhes deu ordens de marchar para uma missão na Judeia, mas o princípio se aplica a todos nós. “Bem mais valeis vós do que muitos pardais”, disse-lhes (v.31).

Minha mãe se mexeu e abriu os olhos. Lembrando de sua infância, ela usou um termo holandês carinhoso sobre sua própria mãe e declarou: “Muti está morta!”

“Sim”, minha esposa concordou. “Ela está com Jesus agora.” Desconfiada, mamãe continuou. E Joyce e Jim? Perguntou sobre a irmã e o irmão. “Sim, eles estão com Jesus também”, disse minha esposa. “Mas estaremos com eles logo!”

“É difícil esperar”, disse mamãe calmamente.

A morte é a última sombra 
antes do amanhecer no Céu. Tim Gustafson“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Coração compassivo


Revesti-vos […] de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. v.12


Fomos em 7 pessoas assistir a um show musical num parque lotado. Para sentarmos juntos, tentamos nos espremer numa fila de cadeiras. Mas, enquanto nos acomodávamos, uma mulher se esgueirou entre nós. Sue, minha esposa lhe disse que queríamos sentar juntos, mas ela lhe respondeu: “Que pena”, e sentou-se junto aos seus dois companheiros.

Três de nós nos sentamos numa fila atrás da outra de quatro, e Sue notou que um adulto que parecia ter necessidades especiais acompanhava a intrusa. Ela queria manter seu pequeno grupo juntos para cuidar deles. Nisso, a nossa irritação se desfez. Sue disse: “Imagine como deve ser difícil num lugar lotado como este.” Sim, talvez a mulher tivesse sido rude, mas nós podíamos sentir compaixão em vez de raiva.

Sempre encontraremos pessoas que precisam de compaixão. Talvez as palavras de Paulo nos ajudem a ver as pessoas ao nosso redor de modo diferente. Como pessoas que precisam do toque suave de graça, e “…como eleitos de Deus, santos e amados”, nos revestirmos de “ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade” (v.12). Paulo nos diz: “Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente…” (v.13).

Ao demonstrarmos compaixão, indicaremos aos outros quem é Aquele que derramou o Seu coração de graça e compaixão sobre nós.

Compaixão é entender os problemas dos outros. Dave Branon“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Quando o sim significa não


Na minha angústia, clamo ao Senhor, e ele me ouve. Salmo 120:1


Sou grata pelo privilégio de ter cuidado da minha mãe durante sua batalha contra a leucemia. Os medicamentos a prejudicaram e ela parou com o tratamento, dizendo: “Não quero sofrer mais, quero aproveitar meus últimos dias com a família. Deus sabe que estou pronta para ir ao lar eterno.”

Clamei ao amoroso Pai celestial, confiante em Seu poder. Mas para dizer “sim” para as orações dela, Ele teria de dizer “não” à minha. Soluçando, me rendi: “Faça a Sua vontade, Senhor.”

Logo depois, Jesus a recolheu para uma eternidade sem dor.

Neste mundo decaído, experimentaremos o sofrimento até a volta de Jesus. Nossa natureza pecaminosa, visão limitada e medo da dor pode distorcer a nossa capacidade de orar. Felizmente, “…aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos” (v.27). Ele nos lembra que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que o amam (v.28), mesmo quando o Seu “sim” para outra pessoa significa um doloroso “não” para nós.

Ao aceitarmos nossa parte em Seu propósito maior, podemos repercutir o lema de minha mãe: “Deus é bom, e isso é o que importa. Seja o que for que Ele decidir, estou em paz.” Confiamos na bondade do Senhor que responde a todas as orações de acordo com a Sua vontade e para a Sua glória.

As respostas de Deus são mais sábias 
do que as nossas orações. Xochitl Dixon“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„O maior dos convites


Ah! […] os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei… v.1


Recentemente, recebi vários convites via e-mail. Alguns 
convidando-me a participar de seminários “grátis” sobre a aposentadoria, imóveis e seguros de vida que foram imediatamente descartados. Mas o convite para uma reunião em homenagem a um amigo de longa data me fez responder imediatamente: “Sim! Aceito. Convite + Desejo = Aceitação”.

Isaías 55:1 traz um dos maiores convites da Bíblia. O Senhor disse ao Seu povo que estava em circunstâncias difíceis, “Vinde, vós todos os que têm sede, vinde às águas; e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei! Vinde, comprai vinho e leite sem dinheiro e sem custo.” Esta é a extraordinária oferta de Deus para a nutrição interior, profunda satisfação espiritual, e vida eterna (vv.2,3).

O convite de Jesus é repetido no último capítulo da Bíblia: “O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida” (Apocalipse 22:17).

Muitas vezes pensamos em vida eterna como um início depois de morrermos. Na verdade, ela começa quando recebemos Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor.

O convite de Deus para termos a vida eterna nele é o maior convite de todos! Convite + Desejo = Aceitação.

Quando aceitamos o convite de Jesus para segui-lo, 
toda a nossa vida muda de direção. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Gerson De Rodrigues photo
Albert Einstein photo
William Shakespeare photo
Sócrates photo
Aristoteles photo
Abraham Lincoln photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - O Suicídio de um homem santo

A Minha vida é uma metáfora
para um suicídio inevitável
escrita com o sangue dos poetas mortos

Como podem me tirar o direito
de acabar com a minha própria vida?

Pergunto-lhes indignado!
negarias o remédio da cura
de uma enfermidade terrível
a um homem doente?

Não!?
então por que negam a mim o direito de morrer?

Do que vale um sorriso?
se a minha alma chora em tormento…

Nos devaneios da minha mente insana
viajei até o paraíso ao lado de Cristo
e lá estava Deus
enforcado em suas próprias tripas

Com uma carta ensanguentada em seus pés
que dizia;
- Me perdoem por condená-los a viver

Cristo chorava aos pés sujos do seu próprio pai
e as suas lagrimas tocaram o meu coração
o homem que antes era santo,
agora clamava por perdão

As dores em seu peito
eram mais cruéis do que a da crucificação
suas bocas pálidas e tremulas me diziam;

- Não me deixe cair em tentação

Eu fiquei completamente sem reação
não deveriam ser os homens a clamarem
aos deuses por perdão?

Olhei em seus olhos
e vi a mim mesmo
gritando em desespero
enquanto homens pregavam as minhas mãos

A Minha melancolia
é como uma metamorfose
há dias em que ela é parte
da minha essência

Há dias que ela
se transforma em demência

Como a lua que possui dois lados
a escuridão que dança com a luz

Da mesma maneira que o diabo
beijou jesus dependurado na cruz

A Minha melancolia
muitas vezes me seduz

Talvez esta seja a única
língua que me traduz

Quem dera fosse eu o homem morto na cruz!

Eu devo me suicidar um dia!
da maneira mais dolorosa possível
vivendo todos os dias
sentindo a miséria da existência
dilacerar minha alma

Como os pregos enferrujados
que dilaceraram as mãos sujas de cristo

Sim eu irei me matar!
mas apenas quando a vida
me afogar em sua miséria
até que os meus pulmões
não consigam mais respirar

Mas enquanto eu vagar por estas ruas solitárias
a minha mente irá afogar outras
em reflexões filosóficas

Até que a minha loucura
transforme a sua sanidade em demência!“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Niilismo

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Tessalonicenses 4:16-18

Queimem as igrejas
rasguem todas as suas bíblias

Cristo voltou!
e somente os pecadores irão
banhar-se em seu sangue sagrado

Padres e Pastores
serão queimados
nas fogueiras da razão

Pois o filho de Deus
quer vingança
sobre as mentiras proclamadas
em seu nome;

Deitem-se com as Ninfas
profanem-se em imagens religiosas
amem os Demônios!

Estas dores que afligem o seu peito?
esse vazio que não sabes explicar?

Enforquem-se em luxuria
vendam suas almas ao diabo

E deixem que os pecados bíblicos
salvem a sua vida

Afastem de mim a sua Filosofia!
joguem fora estas Poesias de Amor!

Estes são os tempos dos loucos
e pecadores

Se quiseres a salvação
deverás amar a vida
e odiá-la a cada segundo

Pois dada a ordem
com a voz dos arcanjos
e o ressoar da trombeta de Deus

O próprio Senhor descerá dos céus
com a espada que prometeste
e a ira que guardas em seu peito
pois este não veio trazer a Paz!

- O que faremos nós com essa angustia
que rasgam o meu peito?

- E essa solidão que me mata
aos poucos?

Gritam as almas tristes em
plena agonia
de uma vida que não escolheram viver

- Matem-se eu vos digo!

Morram a cada segundo
que as suas dores o fizerem sofrer

Enforquem-se na frente
de todos aqueles
que disseram que as suas dores
eram uma mera frescura ou falta de atenção

Rasguem suas gargantas com punhais sagrados
E matem! Sim matem!

Afogado em seu próprio sangue
todos aqueles que disseram que o seu sofrimento
era falta do amor dos deuses

Pois estes não amam
nem mesmo a sepultura!

Estão perdidos em tantas metáforas?
estas alegorias foram escritas em solo sagrado!

E somente os assassinos de Deus
aqueles que banharam-se no pecado da humanidade
são capazes de compreende-la

Vomitem toda a angustia
que há em seu peito

É necessário a crucificação
para compreender os monstros que vivem
presos em sua mente

Nós os pecadores
nós somos os deuses!

Pois nos crucificam
todos os dias
e zombam das nossas dores

Sim eu os compreendo!
posso ouvir os seus gritos!

Não envergonhem-se em sentir
deixem que o sofrimento das suas almas vazias
e os pecados da carne

Os salvem do suicídio!“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Niilismo Niilista Poesia Poemas

Cora Coralina photo

„O que importa na vida não é o ponto de partida, / mas a caminhada.
Caminhando e semeando, no fim terás o que colher!“

—  Cora Coralina poetisa e contista brasileira 1889 - 1985

citado em ESTRUTURA DA LÍNGUA IATÊ‎ - Página 5, de Geraldo Lapenda - Editora Universitária UFPE, ISBN 8573152818, 9788573152814 - 278 páginas
Atribuídas
Variante: O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada, Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.

Charles Darwin photo
Epiteto photo

„Não busqueis a felicidade fora, mas sim dentro de vós, caso contrário nunca a encontrareis.“

—  Epiteto 50 - 138

Variante: Não busque a felicidade fora, mas sim dentro de você, caso contrário nunca a encontrará.

Ricardo Boechat photo

„A riqueza não iguala os homens, mas a miséria sim“

—  Ricardo Boechat jornalista brasileiro 1952 - 2019

Em comentário sobre a reportagem dos haitianos que aguardam permissão para viver no Brasil; citado no Jornal da Band em 3/1/2012 http://www.band.com.br/jornaldaband/videos.asp?v=2c9f94b534a4b95d0134a5a58b6001a5

Confucio photo
William Shakespeare photo
Epiteto photo
Bruce Lee photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema – Memórias póstumas

Quando eu disser
que me cansei de todas as coisas
não tentem me salvar

Deixem-me cortar os meus punhos
e sangrar até a luz do meio dia

Quando perceberem
que já estou morto

Transformem este dia
em um feriado santo

Batizem os seus filhos
em meu sangue

Exibam o meu corpo
em um altar de glória e poder

Profiram mentiras em meu nome
lembrem-se de memórias das quais
eu nunca vivi

E tampouco
gostaria de tê-las vivido

Coloquem flores
sobre o meu tumulo

Gritem por todos os cantos
o quanto sentem a minha falta

Digam
‘’Amo-te mais do que todas
as coisas’’

Enquanto olham as minhas velhas
fotografias de momentos dos quais
poderiam ter me dito tais palavras doces

Sim! Ascendam velas
em meu nome

Digam aos meus parentes e amigos
que sentem a minha falta

Mas por favor
esqueçam das vezes
das quais eu estava ao seu lado

Esqueçam de uma vez por todas
todos os passos frios que dei por
estas ruas vazias e cheias de ódio

Não lembrem-se das minhas
unhas arranhando estas paredes sujas
enquanto clamava por ajuda

Fechem os olhos e tampem os ouvidos
tal como fizeram das vezes
que supliquei em lágrimas

Lembrem-se das poucas
vezes em que eu fui capaz de sorrir

Ah (…)
quando eu caminhar
em direção aos vales distantes

Não culparei nenhum de vocês
por não compreenderem os meus demônios

Apenas deixarei que lembrem-se
das vezes que os transformei em canções poéticas
para os seus ouvidos surdos!

Não se preocupem com as lágrimas
ou com as dores do meu ato final

Continuem rezando
para os seus deuses de mentira

Vivendo suas vidas vazias
e cheias de fortuna

Continuem!
suplico que continuem!
em suas guerras ideológicas

Esqueçam aqueles que como eu
morreram abraçando suas próprias pernas

Esqueçam-me de uma vez por todas
enquanto lembram-se
do homem que eu nunca fui…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Niilismo Morte Deus Existencialismo Vida Nietzsche

Leonardo Da Vinci photo
Frida Kahlo photo
José Saramago photo
Marco Aurelio photo
Martinho Lutero photo

„A religião não é 'conhecimento doutrinário', mas sim sabedoria nascida da experiência pessoal.“

—  Martinho Lutero teólogo e professor 1483 - 1546

Holborn, Hajo; A HISTORY OF MODERN GERMANY: The Reformation; 1959/1982 Princeton university Press.

Bruce Lee photo

„O pecado não é o fracasso, mas sim pensar pequeno. Nas grandes tentativas, até o fracasso é glorioso.“

—  Bruce Lee Ator chinês-americano, artista marcial 1940 - 1973

Atribuídas, Aforismos

Friedrich Nietzsche photo
Paulo de Tarso photo
Fernando Pessoa photo

„Não sou da altura que me veem, mas sim da altura que meus olhos podem ver.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Variante: Não sou da altura que me vêem, mas sim da altura que os meus olhos podem ver.

Bill Gates photo
Allan Kardec photo

„Não são os da consanguinidade os verdadeiros laços de família, e sim os da simpatia e da comunhão de ideais, os quais prendem os Espíritos antes, durante e depois de suas encarnações.“

—  Allan Kardec codificador do espiritismo 1804 - 1869

Variante: Não são os da consanguinidade os verdadeiros laços de família e sim os da simpatia e da comunhão de ideias, os quais prendem os espíritos antes, durante e depois de suas encarnações.

Robert Collier photo
Gerson De Rodrigues photo

„Cartas Póstumas

Eu vivi uma vida de Rebeldia Neguei os deuses e gritei por Anarquia Nas canções mais lindas escrevi versos de Poesia Fui uma alma abandonada que amou a Melancolia Que nos momentos mais sombrios se encontrou na Filosofia

No momento enquanto escrevo essa carta, estou decidido em me matar. Essa é uma vontade constante que a muito tempo me assombra. Todas as vezes em que estou decidido em acabar com tudo, eu simplesmente invento uma nova mentira.

E quando eu menos percebo, lá estou eu vivendo como todos os outros sem perceber o barulho das correntes em nossos pés…

Talvez, quando estiveres lendo essa carta daqui a cinco ou cinquenta anos eu já esteja morto. Ou talvez eu tenha encontrado motivos para viver, motivos o suficiente que me façam ler estes versos no futuro e dizer

- Tolo, como ousas dizer tamanha estupidez?

O Futuro é incerto. Eu fico me perguntando, todas as vezes em que me pego refletindo sobre a minha morte Quantos livros eu publiquei enquanto estava vivo? Quantas aulas eu dei? Quantas pessoas eu influenciei? Quantas vidas eu salvei? Será que… eu fiz o meu trabalho como Filósofo? Ou o tempo me apagou de sua história?

De qualquer forma, todos seremos apagados um dia. Então a resposta para essa pergunta de fato não importa.

Oh sim, eu vivi uma vida interessante. Tive uma juventude repleta de rebeldia e anarquia e aos vinte e três me vi publicando meu primeiro livro de Filosofia. Aquele jovem rebelde que só sabia gritar ‘’ Anarquia’’ hoje é um professor de Filosofia.

Quem diria não é mesmo? Em quantos momentos da minha juventude eu não jurei que o dia seguinte seria o último, e aqui estou eu, vivo e escrevendo.

Talvez esses momentos de escuridão com a assombração da morte cantando em meus ouvidos sejam de fato passageiros, ou talvez na pior das hipóteses eu simplesmente esteja me entregando a ela aos poucos.

Existem tantas coisas que eu poderia conquistar, tantos outros livros a publicar, pessoas para amar, causas para se lutar, alunos para ensinar…

Mas tudo que eu quero nesse momento é o direito de me suicidar.

Para aqueles que ficam, meus pais e meus amigos:

Nenhuma mãe deveria enterrar o seu filho, e nenhum amigo deveria chorar sobre o tumulo do outro. Embora eu de fato sinta um carinho enorme por todos vocês, sinto que a minha história seria de maior relevância com um ponto final em seu caminho.

Aos vermes que se alimentarem do meu corpo putrefato, desejo a vocês boa sorte. Algum dia, seremos ambos poeira no abismo do espaço e nenhuma diferença existirá dos homens aos vermes.

E Para aqueles que estiverem lendo essa carta. Vivam!! Pois para mim já é tarde demais…“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Suicídio Morte Niilismo Cartas Costumas - Gerson De Rodrigues
Variante: Cartas Póstumas

Eu vivi uma vida de Rebeldia
Neguei os deuses e gritei por Anarquia
Nas canções mais lindas escrevi versos de Poesia
Fui uma alma abandonada que amou a Melancolia
Que nos momentos mais sombrios se encontrou na Filosofia

No momento enquanto escrevo essa carta, estou decidido em me matar. Essa é uma vontade constante que a muito tempo me assombra. Todas as vezes em que estou decidido em acabar com tudo, eu simplesmente invento uma nova mentira.

E quando eu menos percebo, lá estou eu vivendo como todos os outros sem perceber o barulho das correntes em nossos pés...

Talvez, quando estiveres lendo essa carta daqui a cinco ou cinquenta anos eu já esteja morto. Ou talvez eu tenha encontrado motivos para viver, motivos o suficiente que me façam ler estes versos no futuro e dizer

- Tolo, como ousas dizer tamanha estupidez?

O Futuro é incerto. Eu fico me perguntando, todas as vezes em que me pego refletindo sobre a minha morte
Quantos livros eu publiquei enquanto estava vivo?
Quantas aulas eu dei?
Quantas pessoas eu influenciei?
Quantas vidas eu salvei?
Será que... eu fiz o meu trabalho como Filósofo?
Ou o tempo me apagou de sua história?

De qualquer forma, todos seremos apagados um dia. Então a resposta para essa pergunta de fato não importa.

Oh sim, eu vivi uma vida interessante. Tive uma juventude repleta de rebeldia e anarquia e aos vinte e três me vi publicando meu primeiro livro de Filosofia. Aquele jovem rebelde que só sabia gritar ‘’ Anarquia’’ hoje é um professor de Filosofia.

Quem diria não é mesmo? Em quantos momentos da minha juventude eu não jurei que o dia seguinte seria o último, e aqui estou eu, vivo e escrevendo.

Talvez esses momentos de escuridão com a assombração da morte cantando em meus ouvidos sejam de fato passageiros, ou talvez na pior das hipóteses eu simplesmente esteja me entregando a ela aos poucos.

Existem tantas coisas que eu poderia conquistar, tantos outros livros a publicar, pessoas para amar, causas para se lutar, alunos para ensinar...

Mas tudo que eu quero nesse momento é o direito de me suicidar.

Para aqueles que ficam, meus pais e meus amigos:

Nenhuma mãe deveria enterrar o seu filho, e nenhum amigo deveria chorar sobre o tumulo do outro. Embora eu de fato sinta um carinho enorme por todos vocês, sinto que a minha história seria de maior relevância com um ponto final em seu caminho.

Aos vermes que se alimentarem do meu corpo putrefato, desejo a vocês boa sorte. Algum dia, seremos ambos poeira no abismo do espaço e nenhuma diferença existirá dos homens aos vermes.

E Para aqueles que estiverem lendo essa carta. Vivam!! Pois para mim já é tarde demais...

- Gerson De Rodrigues

„Pela fé

Todos estes morreram na fé, não tendo recebido as promessas. - Hebreus 11:13

Todos os dias Lisa e David Holden pediam a Deus um bebê. Ela escreve que eles oravam “às vezes com amargo desapontamento, às vezes com uma confiança que parecia infalível e às vezes com frustração e uma dor tão profunda que doía”. Lisa finalmente concebeu, e Peter, de 4 anos, agora ilumina suas vidas.

Lisa e David tinham amigos íntimos que também queriam filhos. Eles também oraram fervorosamente sobre sua situação. Eventualmente, eles decidiram adotar, mas foram informados de que eles eram muito velhos. Ambos os casais rezaram em fé. Um pedido foi concedido; o outro foi negado.

Em Hebreus 11:11, lemos: “pela fé, a própria Sara também recebeu força para conceber”. Mas, em contraste, quando o apóstolo Paulo orou para que seu “espinho na carne” não identificado fosse removido dele, o Senhor respondeu: “Minha graça é suficiente para você ”(2 Coríntios 12: 9), e o“ espinho ”permaneceu. Até o próprio Cristo orou ao seu Pai celestial para que o cálice de agonia que o aguardava no Calvário fosse tirado dEle, mas acrescentou: “Não se faça a minha vontade, mas a tua” (Lucas 22:42).

Ó Senhor, se nossos anseios mais profundos e mais desesperados são ou não concedidos, nossa fé está em você. Ajude-nos a desejar sua vontade acima de tudo. Um homem.

Eu orei - a resposta adiada por muito tempo
Não trouxe a coisa que eu procurava;
Ele respondeu melhor do que o meu pedido,
sim, melhor do que o meu pensamento. —Anon.

Quando a resposta de Deus é negativa, Sua razão é afirmativa.
David C. Egner“

—  ministério_pão_diário

Jigoro Kano photo
Immanuel Kant photo

„A felicidade não é um ideal da razão mas sim da imaginação“

—  Immanuel Kant 1724 - 1804

Glückseligkeit nicht ein Ideal der Vernunft, sondern der Einbildungskraft
Grundlegung zur Metaphysik der Sitten von Immanuel Kant - Página 47 https://books.google.com.br/books?id=gHIJkHTIb6AC&pg=PA47, Immanuel Kant - bey Johann Friedrich Hartknoch, 1785 - 128 páginas

Marie Curie photo

„Nada na vida é para ser temido, apenas sim para ser entendido.“

—  Marie Curie química e física polonesa naturalizada primeiro russa, e, em seguida, francesa 1867 - 1934

„É de Deus!

“A minha prata é minha e o meu é o ouro”, diz o Senhor dos Exércitos. - Escritura de hoje :
Ageu 2: 1-9

Minha amiga Cindy assina o The Tightwad Gazette, um boletim dedicado a "promover a economia como um estilo de vida alternativo viável". A publicação mensal é repleta de idéias que poupam dinheiro, como limpar filtros de forno e reutilizá-los e usar jornal picado para lixo de gatos. Cindy me diz que viver de acordo com a filosofia da Gazeta pode economizar muito dinheiro para as pessoas.

Agora, concordo que um modo de vida livre de gastos pode levar a sérios problemas. Por isso, é inteligente fazer compras com sabedoria e seguir princípios de boa administração. Mas para algumas pessoas, o fato de ser um tightwad assume um significado mais profundo. Eles se tornam obcecados em economizar cada centavo ou acumular coisas para se protegerem no caso de um colapso econômico. Eles colocam sua confiança em sua própria desenvoltura em vez de em Deus e em sua capacidade de satisfazer suas necessidades.

Não importa quão grande seja a quantidade que economizamos, no entanto, ela não pode se comparar com as riquezas que Deus tem. Ele é dono de tudo! Ele é dono de toda a prata e ouro na terra (Ag 2: 8). A terra e tudo nela são Seus (Sl 24: 1; 50: 10-11).

Sim, Aquele que prometeu atender às nossas necessidades tem todos os recursos do universo para apoiá-lo. E Ele dá sem medida.

Refletir e Orar
Deus possui as riquezas da terra
E todo o seu tesouro oculto,
Assim Ele certamente dará a todos os
Seus filhos sem medida. —Fasick

Ser rico em Deus é melhor do que ser rico em bens. David C. Egner“

—  ministério_pão_diário

Michail Bakunin photo
Luigi Pirandello photo
Richard Branson photo
Liev Tolstói photo
Albert Einstein photo

„O verdadeiro sinal de inteligência não é o conhecimento, e sim a imaginação.“

—  Albert Einstein 1879 - 1955

The true sign of intelligence is not knowledge, but imagination.
The Gramophone - Volume 83 https://books.google.com.br/books?id=q9s4AQAAIAAJ, Edições 998-1000 - Página 3, C. Mackenzie, 2005
Atribuídas

Oscar Wilde photo
John Ronald Reuel Tolkien photo
Pitágoras photo
Platão photo
Che Guevara photo

„Retroceder Sim, Render-se Jamais“

—  Che Guevara guerrilheiro e político, líder da Revolução Cubana 1928 - 1967

Tony Robbins photo
Wilhelm Reich photo
Charlie Chaplin photo

„O homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar.“

—  Charlie Chaplin Comediante, ator e cineasta britânico 1889 - 1977

Variante: O homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar

Platão photo
Silas Malafaia photo
Jair Bolsonaro photo
Michael Jackson photo

„Eu fui forçado a me submeter a um exame humilhante e desumano feito pelos departamentos de polícia de Los Angeles e Santa Barbara no início desta semana. Eles me apresentaram um mandado de busca que lhes dava permissão de ver e fotografar meu corpo, incluindo meu pênis, minhas nádegas, a parte de baixo do meu torso, as minhas coxas e qualquer outras áreas que eles quisessem. O mandado também me dizia para cooperar em qualquer exame do meu corpo pelos médicos deles para determinar a condição da minha pele, incluindo se eu tenho vitiligo ou qualquer problema de pele. […]Foi a experiência mais hulmilhante que já passei na minha vida. […] Foi um pesadelo. Pesadelo horrível. Mas se é isso que eu devo enfrentar para provar minha inocência. MINHA TOTAL INOCÊNCIA. Então que seja… Durante minha vida toda, eu só tentei ajudar milhares e milhares de crianças pra que elas tenham vidas felizes. Me traz lágrimas aos olhos quando vejo uma criança sofrendo. Não sou culpado dessas alegações. E se sou culpado de qualquer coisa, é de dar tudo o que podia para ajudar crianças, do mundo inteiro. É de amar crianças de todas as idade e raças. É de ganhar felicidade e alegria, ao ver crianças com suas inocências e rostos sorridentes. É de aproveitar através deles a infância que eu perdi. E se sou culpado de qualquer coisa é de acreditar no que Deus diz sobre as crianças. "Crianças que sofram, venham até mim. E não as proíbam no Reino de Deus.“

—  Michael Jackson cantautor, compositor e intérprete americano 1958 - 2009

De jeito nenhum eu afirmo que sou Deus. Mas tento sim ser como Deus no coração.[...]"
Descrevendo o humilhante exame ao qual foi imposto pela polícia norte-americana.
Atribuídas

Paulo Coelho photo

„Todos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. O instante mágico é o momento em que um "sim* “ ou um "não* “ pode mudar toda a nossa existência.“

—  Paulo Coelho escritor e letrista brasileiro 1947

"Nas Margens Do Rio Piedra Eu Sentei E Chorei..."
Por obra, Eu Sentei e Chorei

Martin Luther King Junior photo

„Eu tenho o sonho de ver um dia meus 4 filhos vivendo numa nação em que não sejam julgados pela cor de sua pele, mas sim pelo seu caráter.“

—  Martin Luther King Junior líder do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos 1929 - 1968

{Discurso: I have a dream}
Variante: Eu tenho um sonho de que um dia meus quatro filhos vivam em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter.

Epiteto photo

„Não devemos acreditar na maioria que diz que apenas as pessoas livres podem ser educadas, mas sim acreditar nos filósofos que dizem que só as pessoas educadas são livres.“

—  Epiteto 50 - 138

For in these matters we must not believo the many, who say that free persons only ought to bo educated, but we should rather believe the philosophers who say that the educated only are free.
The Discourses of Epictetus: With the Encheiridion and Fragments, página 100 https://books.google.com.br/books?id=kh1qMSA2ZHoC&pg=PA100, Epictetus - Chesterfield soc., 1877 - 452 páginas

Antoine de Saint-Exupéry photo
Paul Klee photo
Oprah Winfrey photo
Gerson De Rodrigues photo

„Imaginem que um Filósofo ao visitar uma velha Biblioteca se depara com um velho Sábio

- Estais perdido? Perguntou o Sábio

- Se estou perdido, como poderias tu orientar-me a razão? Disse o filósofo em tom questionador

O Sábio abaixa sua cabeça, caminha de um lado para o outro e indaga – Estais perdido!?

Filósofo: E não estamos todos?

O Completo e absoluto silencio gritava mais alto do que suas bocas caladas, embora suas mentes gritassem mais alto do que o mais feroz diabo.

Sábio: Não posso estar perdido, se eu sei exatamente aonde o verdadeiro eu estas, e deverias estar.

Filósofo: E Como poderias tu saber aonde deverias estar e aonde estas?

Sábio: Mas isso é muito simples, se estou em algum lugar, sigo a minha vontade. Está de acordo?

Filósofo: E Como saberias que segues a tua própria vontade? Se não foi influenciado pelo homem que vive em ti, o homem que crê em ti e nos deuses! Como poderias tu, saber aonde deverias ir?

O Sábio caminha a uma das muitas prateleiras e pega um livro, senta-se na frente do filósofo e diz de maneira serena

Sábio: Se leres este livro, e após a leitura tornar-se outro homem, como diferenciarias quem tu és, para quem tornou-se?

Filósofo: O Homem que leu este livro, para ti és um homem diferente antes deste mesmo livro? Digo, se hoje acredito no poder dos deuses, e amanhã perco completamente a fé por ler um livro ou dois, teria eu tornado me um homem sem fé, ou um homem diferente do que sempre fui?

Sábio: Tornarias outro homem

Filósofo: Mas isso é uma loucura, se torna-se outro homem a cada nova experiência, então tu, quem és afinal?

Sábio: Isso é muito simples…

O Sábio se levanta novamente e pega uma bíblia sagrada na escrivaninha a direita

Sábio: Se ao ler estas fábulas, e acreditares com toda as forças que és cristo, isso torna-te cristo?

Filósofo: Esse ato tornaria me um estudioso, um homem em busca de respostas

Sábio: Mas se as respostas levarem este homem a mais perguntas como poderias responde-las?

Filósofo: Não há respostas afinal.

Sábio: Quando tinhas dez anos de idade, pensavas o que?

Filósofo: Eu era uma criança comum, católico, vivia na cidade pequena, mas o que a minha infância tem a ver com tudo isso?

Sábio: Aquela criança ainda vive?

Filósofo: Eu a matei, ela tornou-se o homem que sou

Sábio: E ao matar o passado, tornou-se quem tu és!

Filósofo: Mas esse argumento não sustenta a sua teoria, que ao lermos novos livros tornamo-nos outro homem

Sábio: Ao ler as palavras de cristo, tens dois homens prontos a nascer. Se ao leres a bíblia, e acreditar com toda a sua fé que és cristo, e que cristo vives em ti, o que tornarias?

Filósofo: Um tolo

Sábio: E o que este tolo faria após tornar-se um tolo?

Filósofo: Viverias como um tolo

Sábio: Ao leres as palavras de cristo e duvidares de sua existência, o que tornarias?

Filósofo: Um sábio…

Sábio: Então tornarias tu, outro homem

O Filósofo pensativo caminha até uma seção na velha biblioteca, e pega uma série de livros matemáticos, senta-se em uma velha mesa acompanhada de uma pequena cadeira. Abre um dos velhos livros, aponta seu dedo sobre uma teoria matemática cientifica

Filósofo: O Que compreendes ao ler esta teoria?

Sábio: A Gravidade em sua mais bela e poética sinfonia matemática

Filósofo: E Quem a escreveu? Poderias me dizer?

Sábio: Isaac Newton

Filósofo: Consideravas Newton um sábio?

Sábio: Mas é claro, um homem de muitas virtudes

Filósofo: Mas este acreditava nos deuses

Sábio: E o que queres dizer com estas alegações?

O Filósofo se levanta novamente e vai a uma pilha de livros ao lado, pegando então Assim falou Zaratustra de Friedrich Nietzsche

Filósofo: Conheces Nietzsche?

Sábio: Mas é claro, estais a insultar-me?

Filósofo: Se ao leres Newton e Nietzsche, o que tornarias?

Sábio: Um novo homem…

Filósofo: Este novo homem, serias quem? Nietzsche? Ou Newton? Como este homem diferenciaria os deuses da matemática? Friedrich de Newton?

O Que eu quero dizer, como poderias tu, tornar-se outro homem ao leres dois autores distintos, se não o mesmo homem que agregou a si mesmo novas categorias do conhecimento.

Sábio: Então alegas descaradamente, que sou o mesmo homem todos os dias da minha vida?

Filósofo: E Como não poderias ser? Se ao leres mil livros, mudas-te de opinião mil vezes, és um metamorfo. Se ao escreveres mil livros, es um deus sobre os homens. Mas, se ao leres mil livros e aprenderes com estes próprios és o mesmo homem, com um intelecto refinado ao homem que eras anteriormente.

Sábio: Queres dizer que o conhecimento é como um diabo possessor?

Filósofo: Um diabo possessor?

Sábio: Um diabo que tomas o corpo de um homem, mas não toma sua verdadeira essência.

Filósofo: Estou de acordo, então voltamos a mesma questão ao nos conhecermos, como sabes que estais a seguir a sua própria vontade e não a de outros homens ou deuses

Sábio: Deixe-me responder essa questão, com uma alegoria que irá também sustentar meu outro ponto de vista

Imagines que és um crente, que acreditas no poder do divino. Vives então em templos sagrados, seu mundo é o louvor, então descobres por um telescópio apontado aos céus que lá não há deuses, e sim homenzinhos verdes em outros mundos, descobririas então que neste novo mundo há também novos deuses como saberias tu que o deus que pregas e rezas és o verdadeiro?

Filósofo: Não saberias, questionaria também os outros deuses

Sábio: E Se ao descobrires que além destes homenzinhos verdes, também existem tantos outros, e que o cosmos é repleto de deuses e vida. O Que tornarias a sua crença em um deus de carne?

Filósofo: Se tornaria insensata, ausente de razão, mas ainda questionadora pela vontade de questionar e aprender sobre esses novos deuses.

Sábio: Então responda-me, ao descobrir novos mundos tornou-se um homem diferente daquele pobre religioso de pés sujos em templos falsos?

Filósofo: Deixaria de ser um crente, e tornaria me um questionador. Mas ainda seria o mesmo homem

Sábio: Se és o mesmo homem, por que não crê nos mesmos deuses? Tornou-se um novo homem ao conhecer outros mundos, pois o homem que fois um dia, suicidou-se diante das cordas sinceras da realidade

Filósofo: Se o que diz é verdade, e somos de fato, diabos possessores, possuídos pelo conhecimento que mata o homem mas não mata sua essência, como sabes que não estás perdido? Como diferencias a decisão do homem com a decisão do diabo?

Se a cada nova experiência somos possuídos por um diabo diferente, se a cada livro torno-me um novo homem, se a cada mundo matamos um novo deus, quem eres tu afinal?

Sábio: Mas isso é muito simples, imagine comigo a seguinte alegoria

Somos todos homens vagueando em um vale sem fim, pense que cada livro desta biblioteca és um diabo, ao seres possuído pelo diabo, torna-se o diabo, embora sua essência humana ainda prevaleça

Filósofo: Então acreditas que podes matar a si mesmo, e tornar-se o homem que eras, mas renovado em sabedoria?

Sábio: Novamente estamos de acordo, poderias por favor dizer-me o que fazes em uma velha biblioteca como essa?

Filósofo: Vim em busca de conhecimento, e autoconhecimento, mas acabei perdendo-me em tamanha sabedoria e tormento

Sábio: E ao encontrar-me continua com este tormento?

Filósofo: Não

Sábio: E Por que não?

Filósofo: Porque sei quem tu és, e vós não o conheceis, mas eu o conheço, e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós. Mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.

Sábio: E quem sou eu?

Filósofo: Tu és o meu Deus, e eu te darei graças; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.

Sábio: Se eu sou o seu Deus, o único e verdadeiro Deus, sou tu enquanto falas sozinho para as paredes, divagando sobre quem tu és e o que tornou-se!

Tornas-te Deus, ao questionar a si, mas continuaste o homem que és, e que fois ao lembrar-se de si, e o que és.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Nikola Tesla photo
Angus Young photo
Nicholas Sparks photo
Nelson Mandela photo

„Não é valente o que não tem medo, mas sim o que sabe dominá-lo.“

—  Nelson Mandela político e ativista sul-africano, Ex-presidente da África do Sul 1918 - 2013

Buda photo

„Não se combate ódio com ódio, mas sim com amor.“

—  Buda Foi um príncipe e fundador do budismo -563 - -483 a.C.

Julius Evola photo

„Ao cabo de séculos de «escravidão» a mulher quis pois ser livre, ser ela própria. Mas o «femininismo» não soube conceber para a mulher uma personalidade que não fosse uma imitação da masculina, de maneira que as suas «reivindicações» ocultam uma desconfiança fundamental da mulher nova em relação a si mesma, a impotência desta para ser o que é e a contar pelo que ela é: como mulher e não como homem. Devido a esta fatal incompreensão, a mulher moderna experimentou o sentimento de uma inferioridade absolutamente imaginária por ser apenas mulher e sente quase como ofensa o ser tratada «só como mulher». Foi esta a origem de uma falsa vocação frustrada: e é precisamente por isso que a mulher quis tirar uma desforra, reivindicar a sua «dignidade», mostrar o seu «valor» - passando a medir--se com o homem. Todavia, não se tratava de maneira nenhuma do homem verdadeiro, mas sim do homem-construção, do homem-fantoche de uma civilização standardizada, racionalizada, não implicando quase mais nada de diferenciado e qualitativo. Numa civilização como esta, evidentemente, já não se pode tratar de um privilégio legítimo qualquer, e as mulheres incapazes de reconhecer a sua vocação natural e de defendê-la, a não ser pelo plano mais baixo (pois nenhuma mulher sexualmente feliz sentiu alguma vez a necessidade de imitar e de invejar o homem), conseguiram facilmente demonstrar que também elas possuíam virtualmente as faculdades e as habilitações - materiais e intelectuais - que se encontram no outro sexo e que, em geral, se exigem e se apreciam numa sociedade de tipo moderno. O homem, de resto, deixou andar as coisas como um verdadeiro irresponsável, e até ajudou e impeliu a mulher para as ruas, para os escritórios, para as escolas, para as fábricas e para todas as encruzilhadas contaminantes da sociedade e da cultura modernas. Foi assim que se deu o último empurrão nivelador. (…) A mulher tradicional, a mulher absoluta, ao dar-se, ao não viver para si, ao querer ser toda para outro ser com simplicidade e pureza, realizava-se, pertencia-se a si mesma, tinha um heroísmo muito seu - e, no fundo, tornava-se superior ao homem comum. A mulher moderna ao querer ser por si mesma destruiu-se. A tão aspirada «personalidade» está a tirar-lhe toda a personalidade.“

—  Julius Evola, livro Revolt Against the Modern World

Revolt Against the Modern World

Mary Shelley photo
Wayne Walter Dyer photo
Charles Bukowski photo
Gerson De Rodrigues photo
Adolf Hitler photo
Baltasar Gracián photo

„O 'não' de alguns agrada mais que o 'sim' de outros.“

—  Baltasar Gracián 1601 - 1658

Citações atribuidas

Baltasar Gracián photo
Clarice Lispector photo
Napoleão Bonaparte photo

„Não se deve julgar os homens pela fisionomia, mas sim submetendo-os a provações.“

—  Napoleão Bonaparte monarca francês, militar e líder político 1769 - 1821

Atribuídas

Liev Tolstói photo

„Para que os homens possam viver a vida comum sem oprimir-se mutuamente, não necessitam das instituições sustentadas pela força, mas sim de um estado moral dos homens, no qual, por convicção interior, e não por força, procedam com os outros como querem que os outros procedam com eles“

—  Liev Tolstói escritor russo 1828 - 1910

Aos políticos - página 62, in A insubmissão e outros escritos, tradução de Plínio Augusto Coêlho, São Paulo: Ateliê Editorial e Editora Imaginário, 2010

Jigoro Kano photo
Moacyr Scliar photo
Friedrich Nietzsche photo
Daisaku Ikeda photo
Carl Gustav Jung photo