Frases sobre seis

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da seis.

Tópicos relacionados

Total 1224 citações, filtro:


Ernest Renan photo
Henry Ford photo
Citát „Daria tudo que sei, pela metade do que ignoro.“
René Descartes photo
Will Durant photo
Elias Canetti photo
Nicholas Sparks photo
Paulo de Tarso photo
Carlos Santana photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Chris Cornell photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Cassandra Clare photo

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating
Jon Bon Jovi photo
Elbert Hubbard photo
Jorge Amado photo

„O amor não se prova, nem se mede. É como Gabriela. Existe, isso basta. O fato de não compreender ou explicar uma coisa não acaba com ela. Nada sei das estrelas, mas as vejo no céu, são a beleza da noite.“

—  Jorge Amado, livro Gabriela, Cravo e Canela

Gabriela, Clavo y Canela
Variante: O amor não se prova, nem se mede. É como Gabriela. Existe, isso basta - falou João Fulgêncio. - O facto de não se compreender ou explicar uma coisa não acaba com ela. Nada sei das estrelas, mas as vejo no céu, são a beleza da noite.

Aracy Balabanian photo
Frida Kahlo photo
Antoine de Saint-Exupéry photo
Pedro Nava photo

„Nós não tivemos esse erro, ao contrário, usamos e abusamos da pimenta que nos veio da África, mas, por outro lado, temos como política imigratória, o não Ter política e, sim, um open door imprevidente e perigoso. No caminho que adotamos, podemos dar numa maionese perfeita, mas, como estes molhos, quando mal batidos - podemos desandar. O Brasil é sempre menos de portugueses e emigrantes e mais de indesejáveis entrantes - esquecendo que cada galego, por mais bruto e rude que seja, traz-nos cromossomos semelhantes aos navegadores, colonizadores e degredados - mantendo a nossa possibilidade de repetir um Nunálvares, um Mestre de Alviz, um Camões, um Herculano, um Egas Moniz, um Eça, um Antônio Nobre, um Fernando Pessoa. E não são eles mesmos que já repontaram aqui nos que escorraçaram o batavo e o francês e no gênio de José de Alencar, Machado de Assis, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade? Eu sei que não é possível princípios racistas no Brasil. Mas ao menos tenhamos uma imigração onde se procure manter a boa unidade do galinheiro. Não falo em unidade racial, Deus me livre! Peço é unidade cultural. Impossível é continuar nessa tentativa absurda de cruzar galinha com papagaio e pato com pomba-rola. Isso que se vê por aí não é democracia nem falta de preconceito, não, meus quindins. Isso não dá ovo e chama-se burrice. Mantenhamo-nos um pouco caboclos (orgulhosamente), bastante mulatos (gloriosamente), mas, principalmente, sejamos lusitanos. Vinde a nós portugas, galegos, mondrongos - mesmo se fordes da mesma massa de degredados que chegaram com os primeiros povoadores. O que esses tão degredados eram, não tinha nada demais. Ladrões? Assassinos? Nada disto. Criminosos sexuais, simpáticos bandalhos. Baste ler as Ordenanças e verificar a maioria dos motivos de degredo para o Brasil: comer mulher alheia, deflorar, estuprar, ser corno complacente e mais, e mais, e mais ainda - entretanto, nada de se temer. Fazer lembrar as delinqüências brejeiras de que um juiz mineiro que conheci, dizia, com inveja e depois de julgar -serem, exatamente, as que ele, juiz, tinha vontade de perpetrar.“

—  Pedro Nava, livro Baú de Ossos

Baú de Ossos

Blaise Pascal photo
Luigi Pirandello photo
Fernando Pessoa photo

„Pouco me importa.
Pouco me importa o quê?
Não sei: pouco me importa.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Poemas completos de Alberto Caeiro