Frases sobre pouco

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da pouco, ser, vida, outro.

Total 1775 citações, filtro:

José de Alencar photo
Heródoto photo

„Ficou evidente para todos, e não menos para o próprio Xerxes, que havia muita gente com ele, mas poucos homens de verdade.“

—  Heródoto -484 - -425 a.C.

Sobre a batalha de Termópilas
Revista Superinteressante nº 238

Leonardo Da Vinci photo
Bruce Lee photo

„A inimiga do desenvolvimento é a fobia da dor - a falta de vontade de passar por um pouco de Sofrimento.“

—  Bruce Lee Ator chinês-americano, artista marcial 1940 - 1973

Atribuídas, Aforismos

Nicolau Maquiavel photo
Luís Vaz de Camões photo
Nicolau Maquiavel photo
Machado de Assis photo

„A vida é uma enorme loteria; os prêmios são poucos, os malogrados inúmeros, e com os suspiros de uma geração é que se amassam as esperanças de outra.“

—  Machado de Assis, livro Teoria do Medalhão

Contos, Teoria do Medalhão
Variante: A vida...é uma enorme loteria; os prêmios são poucos, os malogrados inúmeros, e com os suspiros de uma geração é que se amassam as esperanças de outra. Isto é a vida.

Tati Bernardi photo
Charlie Chaplin photo
Keith Richards photo

„A coisa mais estranha que eu já tentei cheirar? Meu pai. As cinzas do meu pai"[…]"Ele foi cremado e eu não pude resistir a misturá-lo com um pouco de pó (cocaína). Meu pai não se importaria"[…]"E desceu muito bem. Eu ainda estou vivo.“

—  Keith Richards 1943

Portal G1 Atualizado em 03/04/07 - 18h22 http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL17762-7085,00-KEITH+RICHARDS+CHEIREI+AS+CINZAS+DE+MEU+PAI.html
Atribuídas

Menandro photo
Clarice Lispector photo
Audálio Dantas photo
Friedrich Nietzsche photo
Jair Bolsonaro photo
Elon Musk photo
Graciliano Ramos photo
George Orwell photo
Marcelo Yuka photo

„Todo camburão tem um pouco de Navio Negreiro.“

—  Marcelo Yuka Músico brasileiro 1965 - 2019

título de música do álbum O Rappa (1994)

George Washington photo
Cesare Pavese photo
Baltasar Gracián photo
Warren G. Harding photo

„Nossa tendência perigosa é esperar demais do governo, e ao mesmo tempo fazer pouco por ele.“

—  Warren G. Harding 1865 - 1923

Our most dangerous tendency is to expect too much of government, and at the same time do for it too little.
discurso de posse (4 de Março de 1921); Complete US Presidential Inagural Addresses - página 215 http://books.google.com.br/books?id=cEiyLcWKQr8C&pg=PT227, Editora Forgotten Books, ISBN 1606209108, 9781606209103

Graciliano Ramos photo
José Ortega Y Gasset photo
José Ortega Y Gasset photo
Epicuro photo
Eça de Queiroz photo
Ovidio photo
Fernanda Young photo
Nicolau Maquiavel photo

„Todos veem o que você parece ser. Mas poucos sabem o que você realmente é.“

—  Nicolau Maquiavel filósofo, historiador, poeta, diplomata e músico 1469 - 1527

„Entenda que amigos vão e vêm. Mas NUNCA abra mão de uns poucos e bons“

—  Pedro Bial Apresentador de TV, jornalista, escritor, cineasta e poeta brasileiro 1958

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Luís IX de França photo
Confucio photo
Henry Ford photo
Henry Ford photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Claude Monet photo
Haruki Murakami photo
Chi­ma­man­da Ngo­zi Adi­chie photo
Ronald Reagan photo
Joaquim Nabuco photo

„A República era, para mim, um relógio de que fosse preciso renovar a mola no fim de pouco tempo; a Monarquia, um relógio por assim dizer perpétuo.“

—  Joaquim Nabuco, livro Minha Formação

Nabuco sobre a eletividade da república e a hereditariedade da monarquia, em "Minha Formação", Coleção Biblioteca Básica Brasileira, pag 47.
Frases, Minha Formação, 1871-1873. Na Reforma

Liev Tolstói photo
Camilo Castelo Branco photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Charles Bukowski photo
Milton Santos photo
Augusto dos Anjos photo
Patrick Rothfuss photo
Albert Einstein photo
Sigmund Freud photo
Giacomo Leopardi photo

„É curioso ver que quase todos os homens de grande valor têm maneiras simples; e que quase sempre as maneiras simples são tomadas como indício de pouco valor.“

—  Giacomo Leopardi 1798 - 1837

Variante: É curioso observar que quase todos os homens que valem muito têm maneiras simples, e que quase sempre as maneiras simples são vistas como indício de pouco valor.

Ovidio photo
Clive Staples Lewis photo
João da Cruz photo
Lewis Carroll photo
Gerson De Rodrigues photo

„Diálogo entre o Padre e o Filósofo - Uma Dialética Niilista

Sentado nas beiradas sujas do décimo terceiro andar de um prédio abandonado, estava um filósofo decidido em acabar com a sua vida

Abel um de seus amigos mais religiosos, considerou a hipótese de que seria uma grande ideia enviar um padre para conversar com ele, afim de convence-lo de que a vida segundo Abel

‘’ Era um presente de deus’’ e deveria ser vivida, e que o suicídio era uma péssima escolha.

O Bravo e corajoso padre então foi chamado, e com sua bíblia nas mãos subiu até o décimo terceiro andar deste prédio. Sentou-se então ao lado do filósofo, enquanto ambos eram observados por uma multidão de pessoas preocupadas.

O Filósofo parecia tranquilo, a vida já não existia em seu olhar e ele observava atentamente o horizonte ignorando completamente aquele estranho porem caricato padre sentado ao seu lado.

O Padre tranquilo segurava a sua bíblia como se estivesse segurando as próprias mãos de cristo, a coragem e a determinação de salvar aquele jovem filosofo do suicídio era a sua missão, e sem hesitar perguntou

- Oh meu filho por que renunciais a vida? tão belas que és, tão lindas que és, dada a nós por deus, e paga com o sangue de cristo que morreu por nós para que você não precise morrer hoje.

O Filósofo escutando as palavras do padre, observava atentamente o horizonte, e sem responder permanecia em silencio, o padre por sua vez continuava o discurso.

- Meu filho, observe a beleza do mundo essas montanhas ao fundo, esses prédios cheios de vida, se não fosse a vida o que seriamos de nós? A vida é tudo que temos, nosso único tesouro, nosso maior presente.

O Padre ainda determinado abre a sua bíblia em uma parte que já estava marcada e começa a ler

- Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. 1 João 4:7

E no momento em que o filósofo escuta as palavras bíblicas, ele sorri e pela primeira vez olha para o padre, ainda com os olhos sem vida já morto por dentro, mas com um sorriso sincero perguntou ao padre

- Por que vives padre?

O Padre sem pestanejar, de supetão logo respondeu

- Eu vivo por cristo, e cristo vive em mim, eu vivo pela igreja e pelo amor que eu tenho a aqueles que seguem a jesus. Eu vivo, porque a vida é bela, porque amo aqueles próximos a mim, amo a minha família e a minha igreja.

O Filósofo sorrindo, pergunta novamente ao padre mas desta vez com um tom um pouco mais sério

- Por que vives padre?

O Padre sem entender, pois já havia respondido a pergunta gagueja levemente e responde

- E.. eu, eu.. vi.. vivo por cristo, vivo por aqueles que amo, e pela igreja! O Suicídio é um pecado sem retorno e a vida é o presente mais belo que deus poderia nos dar. Ele enviou seu próprio filho para se sacrificar por nós, em pró de nossas vidas pecaminosas.

O Filósofo vira o seu rosto para frente, observando o horizonte respira tranquilamente e pergunta outra vez com uma tonalidade calma em sua voz

- Por que vives padre?

O Padre já sem resposta, demora a alguns segundos para pensar em uma, segura sua bíblia com toda sua força suando frio com a outra mão agarra com ainda mais forças a beirada do prédio, descontrolado o padre grita

- O CRISTÃO VIVE PELA Fé!! E Eu tenho fé em cristo, fé na vida, fé de que ambos sairemos deste prédio de mãos dadas!

Com os braços cruzados, o Filósofo olha para baixo, e sorri para o abismo, e o abismo sorri de volta. Sorrindo então ele olha para o padre e novamente pergunta de maneira serena e calma

- Por que você vive padre?

O Padre sem reação olha para baixo, e o abismo sorri para ele e ele pula para o abismo.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Marilyn Monroe photo
Tennessee Williams photo
Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Os Pássaros na minha janela

Em meu peito vive uma angustia
que transborda pelos meus olhos

Respiro ofegante
sentindo um aperto em meu coração

O desespero toma conta do meu corpo
com as mãos tremendo
entro no banheiro aos prantos

Sem pensar nas consequências
eu me enforco no chuveiro

O meu corpo se debate em agonia
as minhas mãos tremulas tentam
se agarrar nos azulejos

O chuveiro estoura
sou arremessado ao chão de joelhos
e as minhas lágrimas fundem-se com a água

Chorando sem saber o que fazer
eu deito na cama abraçado a solidão

Passaram-se três dias
e eu ainda não me levantei

Vejo o meu corpo
definhar-se com a fome
os meus ossos secarem com a tristeza

As baratas no meu quarto
são as únicas testemunhas
do meu fim decadente

Lá fora há um pássaro
que canta em harmonia
eu poderia morrer agora
e seus sussurros me fariam sorrir

Com o corpo fraco
sentindo todo o peso do mundo
nas minhas costas

Em passos leves
eu tento caminhar até a janela

Ao abri-la
me deparo com um mundo
sombrio e repleto de dor

Sou arremessado de joelhos
nas chamas escaldantes
do meu próprio inferno

Caminhando descalço
em meio as chamas

Eu me vejo enforcado
gritando o meu próprio nome

Cristo se arrasta
ao meu lado de joelhos
enquanto a minha alma chicoteia
as suas costas
só para vê-lo sangrar

Ao fundo
eu vejo a morte
dilacerando almas confusas
com um sorriso em seu rosto

Um diabo terrível
se esgueira sobre os meus pés

E em seus olhos
eu vejo a figura de um homem triste

Deitado na cama
definhando-se com a fome
enquanto as suas angustias
corroem os seus sonhos
e o mata aos poucos

Aquela criatura decadente
definhando-se em seu próprio abismo
era tudo que eu fui
e tudo que eu sou

Aqueles eram os meus sentimentos
minhas dores
e minhas angustias

Os ratos se alimentavam
dos meus restos podres
e as baratas faziam ninhos nas minhas entranhas

Tal como cristo que sorriu
pela ultima vez
quando foi abandonado pelo seu próprio pai

Ou como as estrelas órfãs
a vagar na escuridão

Somente morto eu poderia sorrir
para os pássaros na minha janela…

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Morte Niilismo Nietzsche Suicídio Vida

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - 2 Coríntios 11:14

Viajei entre galáxias vivas
e cheias de vida
que de nada aprendi

Mas conheci buracos negros
cheios de morte
e sai de lá um sábio

Eu sou o filho do nada
e o herdeiro de todas as coisas

Tenho mais anos de vida
do que estrelas no universo
tenho muitos nomes
e alguns confesso que já foram reais

Conheci certa vez
uma criatura estranha que veio até mim
em busca de respostas

Cujas perguntas
estavam ali nela explicitas

Durante todos esses anos de vida
viajando por ai
eu finalmente aprendi

Que as resposta
para todas as minhas perguntas
estavam na noite em que eu me matei;

Eu havia acordado
em uma destas noites frias e solitárias
sentindo o meu sangue ferver
como um veneno que me matava aos poucos

Com olheiras nos olhos
e o cansaço do mundo nas minhas costas

Sentado nas beiradas sujas
de uma cama
repleta de angustias e sonhos perdidos

Sentia-me excluído
de todas as coisas

Quantas vezes
você já não chorou
com as cordas em seu pescoço?

Sentindo as suas mãos tremulas
enquanto decidia
se colocava ou não um fim em sua vida

Sinto-me assim todos os dias…

Forçado a buscar
refugio na solidão

Ao caminhar por ruas lotadas
sinto-me a mais terrível das criaturas

A ansiedade me atormenta
e eu não consigo olhar em ninguém nos olhos

Todas as vezes
que eu tentei amar alguém
lágrimas escorreram pelos seus rostos

O que é mais cruel?

O Suicídio prematuro
de uma alma infeliz

Ou os martírios
de um monstro solitário
cuja as dores o matam aos poucos

Sentado nas janelas
do décimo terceiro andar
do meu prédio

Eu me lancei em meio ao abismo

Um anjo de luz
me segurou em seus braços

E em minha mente
ele profetizou

- Antes de queimar em suas chamas
Subiras aos céus;
ergueras o seu trono acima das estrelas dos Deuses

E se sentará em meio aos arcanjos
o ponto mais elevado do monte
se elevará mais alto do que as nuvens;

Serás a estrela da manhã
o filho das alvoradas

E a luz no final do Abismo!

Para se livrar das trevas
que vive em seu peito

Deves matar o homem que és hoje!

- Gerson De Rodrigues“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Morte Suicídio Nietzsche Niilismo Vida

Lya Luft photo
Sigmund Freud photo
Sigmund Freud photo
Ludwig Van Beethoven photo
Arthur Schopenhauer photo
Arthur Schopenhauer photo
Arthur Schopenhauer photo
Arthur Schopenhauer photo
Arthur Schopenhauer photo
Jane Austen photo
Jane Austen photo
Jane Austen photo
Jane Austen photo
Nicolau Maquiavel photo

„Todos vêem o que aparentas, poucos se dão conta do que tu és.“

—  Nicolau Maquiavel, livro O Príncipe

O Príncipe
Variante: Todos veem o que tu aparentas, poucos sentem aquilo que tu és.

Paulo Coelho photo
Robert Baden-Powell photo

„Deixe o mundo um pouco melhor do que encontrou.“

—  Robert Baden-Powell 1857 - 1941

Leave this world a little better than you found it.
Baden-Powell's Last Message (1945)

Masutatsu Oyama photo
Adam Smith photo
Adam Smith photo
Louis Pasteur photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Warren Buffett photo
Virginia Woolf photo
Emily Dickinson photo
Emily Dickinson photo
Adolf Hitler photo
Lao Tsé photo
Carlos Drummond de Andrade photo
Erich Fromm photo

„O amor é um ato de fé, e todo aquele que tem pouca fé também tem pouco amor.“

—  Erich Fromm professor académico alemão 1900 - 1980

Variante: O amor é um ato de fé e quem tiver pouca fé também terá pouco amor.

William Shakespeare photo
João Guimarães Rosa photo
Ville Valo photo
J. Paul Getty photo

„Precisamos de muito pouca coisa: apenas uns dos outros.“

—  Carlito Maia 1924 - 2002

Atribuídas