Frases sobre presença

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da presença.

Tópicos relacionados

Total 223 citações, filtro:


Nelson Mandela photo

„À medida que nos libertamos do nosso próprio medo a nossa presença liberta automaticamente outros.“

—  Nelson Mandela político e ativista sul-africano, Ex-presidente da África do Sul 1918 - 2013

Tom Stoppard photo
Friedrich Nietzsche photo
Hannah Arendt photo

„Uma existência vivida inteiramente em público, na presença de outros, torna-se, como diríamos, superficial.“

—  Hannah Arendt escritora e pensadora judia, nascida na Alemanha e erradicada nos EUA 1906 - 1975

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Apolónio de Tiana photo
Franz Kafka photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Vincent Van Gogh photo
Martha Medeiros photo

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating
Josemaría Escrivá de Balaguer photo
Silas Malafaia photo
Antoine de Saint-Exupéry photo
Inácio de Antioquia photo
Martin Luther King Junior photo

„A Verdadeira paz somente não é a ausência de tensão, é a presença de justiça.“

—  Martin Luther King Junior líder do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos 1929 - 1968

Em 1955 em resposta à acusação que ele estava "pertubando a paz" pelo ativismo durante o Boicote de Ônibus Montgomery em Montgomery, Alabama, como citado em Let the Trumpet Sound : A Life of Martin Luther King, Jr(1982) de Stephen B. Oates.

Plínio Marcos photo

„A esperança é a presença de Deus no coração dos homens.“

—  Plínio Marcos Escritor, Autor, Roteirista brasileiro 1935 - 1999

Na barra do Catimbó - página 122, Plínio Marcos - Global, 1978 - 125 página

Gerson De Rodrigues photo

„A Solidão nunca me assustou, muito pelo contrário ela sempre foi a minha melhor amiga, a companhia humana para mim é como uma ferida que me corrói e a única maneira de viver em paz seria removendo esta ferida. E foi isso que o fiz, eu removi a ferida; Eu removi qualquer laço humano que poderia existir na minha vida e me tornei um homem sozinho.
Não digo que não exista nenhum humano próximo a mim, ou em meus relacionamentos ‘’ pseudo sociais’’ possuo amigos, e família. No entanto a companhia deles se dá tão necessária quanto a necessidade que um pássaro tem de uma bicicleta.
Isso não significa de maneira alguma que não me importo ou ‘’ amo’’ aqueles ‘’ próximos’’ a mim, apenas significa que meu estado de solidão pessoal impede que a presença humana se torne necessária.“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Variante: “A Solidão nunca me assustou, muito pelo contrário ela sempre foi a minha melhor amiga, a companhia humana para mim é como uma ferida que me corrói e a única maneira de viver em paz seria removendo esta ferida. E foi isso que o fiz, eu removi a ferida; Eu removi qualquer laço humano que poderia existir na minha vida e me tornei um homem sozinho.

Não digo que não exista nenhum humano próximo a mim, ou em meus relacionamentos ‘’ pseudo sociais’’ possuo amigos, e família. No entanto a companhia deles se dá tão necessária quanto a necessidade que um pássaro tem de uma bicicleta.

Isso não significa de maneira alguma que não me importo ou ‘’ amo’’ aqueles ‘’ próximos’’ a mim, apenas significa que meu estado de solidão pessoal impede que a presença humana se torne necessária.”
Fonte: Aforismos De Um Niilista

Gerson De Rodrigues photo

„Poema - Uma triste história de amor

Há Muito tempo
nos confins do universo
existia uma triste história de amor

A Morte se apaixonou pela solidão
e deste amor improvável
nasceu uma triste criança

A Solidão não suportava a sua tristeza
e todas as noites
ela era atormentada por sua terrível melancolia

A Morte ao escutar aquela criança chorar
seus olhos embargavam-se de sangue

O Universo estava em crise
os deuses questionavam a sua própria divindade
e a presença daquela inocente criança
faziam os diabos chorarem

Como em um conto de fadas
ou em uma poesia de amor
aquela criança trouxe a aquele mundo fantástico
sentimentos de dor

Mas que culpa tinha a pobre criança?

O brilho em seus olhos
expressavam a morte das estrelas
e as suas asas tão belas
eram negras como o próprio universo

A Solidão nunca foi capaz de amar
o seu próprio filho

E a sua paixão pela morte
era como uma sinfonia perfeita

A Morte não roubava a sua Solitude
e a solidão não entregava a Morte
sentimentos de dor

A Sinfonia de um relacionamento perfeito
deu origem a uma criança maldita

Com o universo em desequilíbrio
a solidão pegou o seu próprio filho em seus braços
e para não sacrificar a sua solitude
a arremessou no mundo dos homens

Essa criança sou eu…

A Minha alma foi aprisionada no corpo
de uma criança humana
eu cresci no lar de uma família
que nunca foi capaz de me amar

Caminhei sozinho durante noites solitárias
e as únicas coisas que me atraiam
eram as sinfonias das estrelas ao se apagarem

Eu sou o filho bastardo da solidão
e não há nada neste mundo
capaz de preencher o vazio que existe em meu peito

Se não fosse a música,
o diabo que vive em mim já teria enlouquecido

Eu passo noites de insônia acordado
escutando as mais melancólicas sinfonias
esperando que em uma bela manhã
a morte venha me encontrar

Deitado submerso em uma banheira
repleta de água
eu vejo o sangue dos meus punhos
fundirem-se com a canção das estrelas

A Solidão chorava por ter abandonado o seu próprio filho
e aquela pobre criança
que a muito tempo foi arremessada no mundo dos homens
sorri pela primeira vez
submersa em uma banheira de sangue“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Fonte: Niilismo, Filosofia

Paulo Coelho photo

„Se você não acorda cedo, nunca conseguirá ver o sol nascendo. Se você não reza, embora Deus esteja sempre perto, você nunca conseguirá notar sua presença.“

—  Paulo Coelho escritor e letrista brasileiro 1947

Variante: Se você não acorda cedo, nunca conseguirá ver o sol nescendo. Se você não reza, embora Deus esteja sempre perto, você nunca conseguirá notar sua presença.

Mário Quintana photo

„DAS UTOPIAS

Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!“

—  Mário Quintana Escritor brasileiro 1906 - 1994

Das Utopias
Variante: Se as coisas são inatingíveis... ora! Não é motivo para não querê-las... Que tristes os caminhos, se não fora A presença distante das estrelas!