Frases sobre observação

Uma coleção de frases e citações sobre o tema da observação, vida, ser, todo.

Total 61 citações, filtro:

Helena Blavatsky photo
Émile Durkheim photo
Buda photo
Ingmar Bergman photo
Aldous Huxley photo

„O maior pecado contra a mente humana é acreditar em coisas sem evidências. A ciência é somente o supra-sumo do bom-senso – isto é, rigidamente precisa em sua observação e inimiga da lógica falaciosa.“

—  Aldous Huxley 1894 - 1963

The deepest sin against the human mind is to believe things without evidence. Science is simply common sense at its best -- that is, rigidly accurate in observation, and merciless to fallacy in logic
Evolution and Ethics

Marco Aurelio photo
Milan Kundera photo
Cícero photo
Ovide Decroly photo

„A criança tem espírito de observação; basta não matá-lo“

—  Ovide Decroly 1871 - 1932

Fonte: Nova Escola http://novaescola.abril.com.br/ed/168_dez03/html/pensadores.htm

Augusto Cury photo
Allan Kardec photo
Oliver Wendell Holmes photo
Arthur Schopenhauer photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Claude Monet photo

„Deus parece ser essencial para explicar o que a ciência tem descoberto. As observações sobre as forças da física, as proteínas e o DNA, são todas repetíveis, e portanto, provêm evidências científicas altamente qualificadas sobre a existência de Deus.“

—  Ariel A. Roth 1927

A ciência descobre Deus http://dialogue.adventist.org/articles/17_2_roth_p.htm.
Carlos Claudinei Talli, Das Novas Descobertas da Física Moderna à Nossa Alma, biblioteca24horas, 2008, p. 42 http://books.google.it/books?id=y9jS5MWoALAC&pg=PA42. ISBN 978-85-7893-266-7

Heinrich Heine photo

„O inteligente se previne de tudo; o idiota faz observações sobre tudo.“

—  Heinrich Heine 1797 - 1856

Heinrich Heine citado em 3001 pensamentos - Página 173, CABADA, Gerardo, Edicoes Loyola, ISBN 8515023075, 9788515023073 - 288 páginas
Atribuídas
Variante: O inteligente acautela-se de tudo; o tolo faz observações sobre tudo.

Vladimír Iljič Lenin photo
Aldous Huxley photo
Georges Bataille photo
George Orwell photo
Albert Camus photo
Lewis Carroll photo
Marcel Proust photo
Francis Bacon photo

„O homem, ministro e intérprete da natureza, faz e entende tanto quanto constata, pela observação dos fatos ou pelo trabalho da mente, sobre a ordem da natureza; não sabe nem pode mais.“

—  Francis Bacon, livro Novum Organum

MAN, as the minister and interpreter of nature, does and understands as much as his observations on the order of nature, either with regard to things or the mind, permit him, and neither knows nor is capable of more.
Novum Organum: - Página 5 https://books.google.com.br/books?id=j13FDgAAQBAJ&pg=PA5, Sir Francis Bacon - Jazzybee Verlag, 1620, ISBN 3849692086, 9783849692087, 190 páginas

Fiódor Dostoiévski photo
John le Carré photo
Robert Delaunay photo
Papa Bento XVI photo
Allan Kardec photo
Chico Buarque photo
Sérgio Besserman Vianna photo
Max Euwe photo
George Bernard Shaw photo

„O poder de observação aguda é comumente chamado de cinismo por aqueles que não o tem.“

—  George Bernard Shaw 1856 - 1950

Variante: O poder de observação aguda é comumente chamado de cinismo pelas pessoas que não o possuem.

Machado de Assis photo

„Pensamentos valem e vivem pela observação exacta ou nova, pela reflexão aguda ou profunda; não menos querem a originalidade, a simplicidade e a graça do dizer.“

—  Machado de Assis escritor brasileiro 1839 - 1908

Variante: Pensamentos valem e vivem pela observação exata ou nova, pela reflexão aguda ou profunda; não menos querem a originalidade, a simplicidade e a graça do dizer.

Alexander Pope photo
Clarice Lispector photo
Samuel Johnson photo
Marco Aurelio photo
Henry Louis Mencken photo
Paolo Mantegazza photo
Henri Bergson photo
Stephen Hawking photo
Henri Bergson photo
Fernando Pessoa photo

„Pessimista — eu não o sou. Ditosos os que conseguem traduzir para universal o seu sofrimento. Eu não sei se o mundo é triste ou mau nem isso me importa, porque o que os outros sofrem me é aborrecido e indiferente. Logo que não chorem ou gemam, o que me irrita e incomoda, nem um encolher de ombros tenho — tão fundo me pesa o meu desdém por eles — para o seu sofrimento.

Mas nem quem crê que a vida seja meio luz meio sombras. Eu não sou pessimista. Não me queixo do horror da vida. Queixo-me do horror da minha. O único facto importante para mim é o facto de eu existir e de eu sofrer e de não poder sequer sonhar-me de todo para fora de me sentir sofrendo.

Sonhadores felizes são os pessimistas. Formam o mundo à sua imagem e assim sempre conseguem estar em casa. A mim o que me dói mais é a diferença entre o ruído e a alegria do mundo e a minha tristeza e o meu silêncio aborrecido.

A vida com todas as suas dores e receios e solavancos deve ser boa e alegre, como uma viagem em velha diligência para quem vai acompanhado (e a pode ver).

Nem ao menos posso sentir o meu sofrimento como sinal de Grandeza. Não sei se o é. Mas eu sofro em coisas tão reles, ferem-me coisas tão banais que não ouso insultar com essa hipótese a hipótese de que eu possa ter génio.

A glória de um poente belo, com a sua beleza entristece-me. Ante ele eu digo sempre: como quem é feliz se deve sentir contente ao ver isto!

E este livro é um gemido. Escrito ele já o Só não é o livro mais triste que há em Portugal.

Ao pé da minha dor todas as outras dores me parecem falsas ou íntimas. São dores de gente feliz ou dores de gente que vive e se queixa. As minhas são de quem se encontra encarcerado da vida, à parte…

Entre mim e a vida…

De modo que tudo o que angustia vejo. E tudo o que alegra não sinto. E reparei que o mal mais se vê que se sente, a alegria mais se sente do que se vê. Porque não pensando, não vendo, certo contentamento adquire-se, como o dos místicos e dos boémios e dos canalhas. Mas tudo afinal entra em casa pela janela da observação e pela porta do pensamento.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Livro do desassossego

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Hubert Reeves photo
Henri Bergson photo
Allan Kardec photo

„Para responder, desde agora e sumariamente, à questão formulada no título deste opúsculo, nós diremos que: O Espiritismo é ao mesmo tempo uma ciência de observação e uma doutrina filosófica.“

—  Allan Kardec codificador do espiritismo 1804 - 1869

Como ciência prática, ele consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, ele compreende todas as conseqüências morais que decorrem dessas relações."
O que é o Espiritismo

Luis Fernando Verissimo photo
Karl Marx photo

„É por isso que a humanidade só apresenta os problemas que é capaz de resolver e, assim, numa observação atenta, descobrir-se-á que o próprio problema só surgiu quando as condições materiais para resolvê-lo já existiam ou estavam, pelo menos, em vias de aparecer.“

—  Karl Marx filósofo, economista e sociólogo alemão 1818 - 1883

Karl Marx. Contribuição à Crítica da Economia Política, pag. 6. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Albert Einstein photo

„No esforço que fazemos para entender o mundo, somos um pouco como um homem que tenta compreender o mecanismo de um relógio fechado. Ele vê o mostrador e as mãos em movimento, ele ouve o tic-tac, mas ele não tem como abrir o gabinete. Se ele é engenhoso, ele poderá formar uma certa imagem do mecanismo, que servirá para responder por tudo o que ele pode observar, mas nunca pode ter certeza de que sua imagem é a única capaz de explicar suas observações. Ele nunca estará em condições de comparar sua imagem com o mecanismo real, e ele nem mesmo poderá representar a possibilidade ou a significação de tal comparação. Mas ele acredita certamente que, na medida em que seu conhecimento aumenta, sua imagem da realidade se tornará cada vez mais simples e explicará cada vez mais o domínio compreendido pelas impressões sensíveis.“

—  Albert Einstein 1879 - 1955

"In the effort we make to understand the world, we are a little like a man who tries to comprehend the mechanism of a closed watch. He sees the dial and the hands in movement, he hears the tick-tock, but he has no way of opening the case. If he is ingenious he will be able to form a certain image of the mechanism, which will serve to answer for everything that he can observe, but he can never be sure that his image is the only one capable of explaining his observations. He will never be in a position to compare his image with the real mechanism, and he will not even be able to represent the possibility or the signification of such a comparison. But he believes most certainly that in the meas­ure that his knowledge increases, his image of the reality will become more and more simple and will increasingly explain the domain understood by the sensible impressions."
Albert Einstein and Leopold Infeld, L’Évolution des idées en physique, (Paris, Flammarion, s.d.) p.286 apud The Dilemma of Liberalism, Charles N. R. McCoy, Volume 16, numéro 1, 1960 https://www.erudit.org/en/journals/ltp/1960-v16-n1-ltp0956/1019984ar.pdf
Filosofia de vida

Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Frank Herbert photo