„Suicídio Nós nascemos fadados ao sofrimento e mesmo que fiquemos felizes por alguns momentos de nossas vidas e esqueçamos a inevitabilidade da morte, alguém em um determinado momento, irá sofrer a nossa morte.

A inevitabilidade da morte é algo que apenas nós humanos somos capazes de perceber os animais ditos ‘selvagens’ e ‘estúpidos’ não percebem que estão presos em uma coisa chamada vida e que seu único ‘propósito’ é morrer no final da trajetória.

Assim como muitos humanos fingem não perceber, e mantem seu otimismo e sua fé como base para sua insignificante existência.

‘’ Conseguir o emprego do sonhos, a mulher ou o homem amado’’ é o sonho para todos os seres humanos e eles ignoram completamente a morte.

Então o que nós meros macacos insignificantes deveríamos fazer?

Cometer suicídio coletivo e fugir acovardamente da vida? pular diretamente nos braços frios e sinceros da morte?

Confesso que flerto com o suicídio quase que diariamente ele me parece uma linda e fria donzela com abraços frios e sinceros. Todavia o suicídio me parece uma saída simples para um problema impossível de ser solucionado no entanto não julgo aqueles que o fazem.“

Última atualização 3 de Junho de 2020. História

Citações relacionadas

Fernando Sabino photo
Gerson De Rodrigues photo

„“O Niilista flerta com o suicídio e se deita
Com a morte e em sonhos lúcidos de reflexões
Filosóficas, Se vê afogado em um oceano de conhecimento,
E sufocado em uma overdose de solidão, Então o Niilista abraça
O nada e deita-se sozinho contemplando sua insignificância
Perante o cosmos”“

—  Gerson De Rodrigues poeta, escritor e anarquista Brasileiro 1995

Variante: O Niilista flerta com o suicídio e se deita Com a morte e em sonhos lúcidos de reflexões Filosóficas, Se vê afogado em um oceano de conhecimento, E sufocado em uma overdose de solidão, Então o Niilista abraça O nada e deita-se sozinho contemplando sua insignificância Perante o cosmos

José Saramago photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Alfred Hitchcock photo

„Não recomendamos o suicídio como um modo de vida.“

—  Alfred Hitchcock Diretor e produtor de cinema do Reino Unido 1899 - 1980

Pierre Corneille photo

„Cada momento da vida é um passo para morte.“

—  Pierre Corneille 1606 - 1684

Chaque instant de la vie est un pas vers la mort
"BÉRÉNICE DE CORNEILLE", in "Théatre de P. Corneille: avec les commentaires de Voltaire", volume 11 - Página 271 http://books.google.com.br/books?id=QDoOAAAAYAAJ&pg=PA271; de Pierre Corneille, Voltaire - Publicado por Ches Bossange, Masson et Besson, 1797
Variante: Cada instante da vida é um passo para a morte.

Langston Hughes photo
James Dean photo
Leonid Brejnev photo

„Todo homem deve ser feito para perceber que é impossível recuar ainda mais. Ele deve perceber, em sua mente e em seu coração, que esta é uma questão de vida ou morte do Estado soviético, da vida e da morte das pessoas do nosso país. As tropas nazistas deve ser paradas agora, antes que seja tarde demais.“

—  Leonid Brejnev 1906 - 1982

Every man must be made to realize that further retreat is impossible. He must realize with his mind and heart that this is a matter of life and death of the Soviet state, of the life and death of the people of our country...the Nazi troops must be stopped now, before it is too late.
citado em "For the Soul of Mankind: The United States, the Soviet Union, and the Cold War" - páagina 237 - por Melvyn P. Leffler - History - 2007

Marco Aurelio photo
Mourid Barghouti photo
George G. Byron photo

„A morte, assim chamada, é algo que faz os homens lamentarem: e ainda assim um terço da vida é passado no sono.“

—  George G. Byron, Don Juan

Death, so called, is a thing which makes men weep, And yet a third of life is passed in sleep
"Don Juan", canto XIV, página 307 http://books.google.com.br/books?id=V5QOAAAAQAAJ&pg=PA307 in: "The Works of Lord Byron Complete in One Volume"; Por George Gordon Byron Byron; Colaborador H. L. Brönner; Publicado por Printed by and for H.L. Broenner, 1826; 776 páginas

Georges Perros photo
Liev Tolstói photo