„Mais vale a sombra de uma árvore do que o conhecimento da verdade, porque a sombra da árvore é verdadeira enquanto dura, e o conhecimento da verdade é falso no próprio conhecimento. Mais vale, para um justo entendimento, o verdor das folhas que um grande pensamento, pois o verdor das folhas, podeis mostrá-lo aos outros, e nunca podereis mostrar aos outros um grande pensamento. Nascemos sem saber falar e morremos sem ter sabido dizer. Passa-se nossa vida entre o silêncio de quem está calado e o silêncio de quem não foi entendido, e em torno disto, como uma abelha em torno de onde não há flores, paira incógnito um inútil destino.
[... ]
Desenganemo-nos da esperança, porque trai, do amor, porque cansa, da vida, porque farta e não sacia, e até da morte, porque traz mais do que se quer e menos do que se espera.
Desenganemo-nos, ó Velada, do nosso próprio tédio, porque se envelhece de si próprio e não ousa ser toda a angústia que é.
Não choremos, não odiemos, não desejemos...
Cubramos, ó Silenciosa, com um lençol de linho fino o perfil hirto e morto da nossa Imperfeição...“

— Fernando Pessoa

Publicidade

Citações relacionadas

 Platão foto
Friedrich Nietzsche foto
Publicidade
Blaise Pascal foto
Josemaría Escrivá de Balaguer foto
 Confucio foto
Paulo Freire foto
Robert Louis Stevenson foto
Isabel Allende foto
Publicidade
Nitiren Daishonin foto
Honoré De Balzac foto
Aldous Huxley foto
Publicidade
Khalil Gibran foto
Anne Frank foto
Bertrand Russell foto
Yamamoto Tsunetomo foto
Próximo