„O céu está vazio", disse bem humorado o médico. "A casa está órfão, não há risadas." Depois, cansado, interrompendo-se com os próprios pequenos soluços e pigarros, ele discorreu sobre fazer amor, sobre como seria uma grande paixão se uma grande paixão fosse um mergulho cada vez mais impessoal, uma queda que levasse tudo, e essa impessoalidade seria assustadora e atraente, assustadora porque alguém se perderia, "eu", de quem gostamos tanto, e atraente: poder ser qualquer um, desejar tudo. Mas podemos desejar tudo? Essa é a questão. Seus olhos inteligentes brilharam tristes. "Você entende?“

—  Péter Esterházy, Helping Verbs Of The Heart
Publicidade

Citações relacionadas

 Stendhal photo
Publicidade
Madre Teresa de Calcutá photo
Albert Camus photo
 Epiteto photo
Arnaldo Antunes photo
 Horacio photo
Publicidade
George Bernard Shaw photo
François de La  Rochefoucauld photo
Heinrich Heine photo
Bob Marley photo
Publicidade
John Dryden photo
Max Lucado photo
Millôr Fernandes photo
Próximo