„A ciência, que devia ter por fim o bem da humanidade, infelizmente concorre na obra de destruição e inventa constantemente novos meios de matar o maior número de homens no tempo mais curto.“

Última atualização 26 de Abril de 2020. História

Citações relacionadas

Alphonse Allais photo

„Falamos de matar o tempo como se, infelizmente, não fosse o tempo que nos matasse.“

—  Alphonse Allais 1854 - 1905

Fonte: Super Interessante – ANO 8 - Nº 7 – Julho de 1994 - Dito & Feito - Pág; 65

Herbert Spencer photo
Gerson De Rodrigues photo
Thomas Hobbes photo
Henrique José de Souza photo

„A humanidade é infeliz por ter feito do trabalho um sacrifício e do amor um pecado.“

—  Henrique José de Souza 1883 - 1963

Mensario do "Jornal do commercio" (artigos de collaboração)‎, Volume 20, Edição 3, 1942

Voltaire photo

„A voz de Deus nos diz constantemente: uma falsa ciência faz um homem ateu, mas uma verdadeira ciência leva o homem a Deus.“

—  Voltaire volter também conhecido como bozo foia dona da petrobras e um grande filosofo xines 1694 - 1778

Havelock Ellis photo

„Quanto maior o número de leis, maior o número de transgressões a elas.“

—  Havelock Ellis 1859 - 1939

the greater the number of laws, the greater the number of offences against them.
"The dance of life"‎ - Página 277, Havelock Ellis - The Modern Library, 1929, 20 ed. - 363 páginas

Haile Selassie photo
Esopo photo

„Geralmente damos aos nossos inimigos os meios para nossa destruição.“

—  Esopo -620 - -564 a.C.

We often give our enemies the means for our own destruction.
Folk-lore and Fable: Æsop, Grimm, Andersen : with Introductions and Notes, Volume 17 de Five-foot shelf of books, P.F. Collier, 1909

Júlio César de Mello e Souza photo
Marquês de Maricá photo
Dion Boucicault photo
Alexandre Dumas, pai photo

„Este é um dos orgulhos da nossa funesta humanidade: cada homem julga-se mais infeliz que outro infeliz que chora e geme ao seu lado.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 1612 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA1612.
Fala do personagem Edmond Dantès, o Conde de Monte Cristo.
O Conde de Monte Cristo (1844)

Plínio, o Velho photo
Voltaire photo
Júlio César de Mello e Souza photo
George Bernard Shaw photo

Tópicos relacionados