Frases do livro
O Conde de Monte Cristo

Alexandre Dumas, paiTítulo original Le Comte de Monte-Cristo (Francês, 1844)

O Conde de Monte Cristo é um romance da literatura francesa escrito por Alexandre Dumas em colaboração com Auguste Maquet e concluído em 1844. Inicialmente publicado como Folhetim de 1844 a 1846 , o livro conta a história de um marinheiro que foi preso injustamente. Lá, conhece um clérigo de quem fica amigo. Quando o clérigo morre, ele escapa da prisão e toma posse de uma misteriosa fortuna. O marinheiro, agora em condições financeiras, pode vingar-se daqueles que o levaram à vida de prisioneiro. A história é livremente inspirada por fatos da vida de Pierre Picaud.


Alexandre Dumas, pai photo
Alexandre Dumas, pai photo
Alexandre Dumas, pai photo

„Este é um dos orgulhos da nossa funesta humanidade: cada homem julga-se mais infeliz que outro infeliz que chora e geme ao seu lado.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 1612 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA1612.
Fala do personagem Edmond Dantès, o Conde de Monte Cristo.
O Conde de Monte Cristo (1844)

Alexandre Dumas, pai photo

„Para todos os males, há dois remédios: o tempo e o silêncio.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 697 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA697.
Fala do personagem Edmond Dantès, o Conde de Monte Cristo.
O Conde de Monte Cristo (1844)
Variante: Para toda a espécie de mal, há dois remédios: o tempo e o silêncio.

Alexandre Dumas, pai photo
Alexandre Dumas, pai photo
Alexandre Dumas, pai photo
Alexandre Dumas, pai photo

„A morte é sempre a morte, isto é, o esquecimento, isto é, a ausência de vida e, por conseguinte, de dor.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 1651 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA1651.
Fala do personagem Morrel.
O Conde de Monte Cristo (1844)

Alexandre Dumas, pai photo

„Há virtudes cujo exagero é um crime.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Vol. 2, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2008, p. 1081 https://books.google.com.br/books?id=_08hjhuq0KAC&pg=PA1081.
Fala do personagem Edmond Dantès, o Conde de Monte Cristo.
O Conde de Monte Cristo (1844)

Alexandre Dumas, pai photo

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating
Alexandre Dumas, pai photo

„Em política, meu caro, sabe tão bem quanto eu, não existem homens, mas idéias; não existem sentimentos, mas interesses; em política, ninguém mata um homem: suprime-se um obstáculo. ponto final.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 152 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA152.
Fala do personagem Nortier.
O Conde de Monte Cristo (1844)