„A dor e o prazer não são imagens gémeas ou simétricas uma da outra, pelo menos não o são em termos de suas funções no apoio à sobrevivência. De certa forma, e a maior parte das vezes, é a informação associada à dor que nos desvia do perigo iminente, tanto no momento presente como no futuro antecipado, É difícil imaginar que os indivíduos e as sociedades que se regem pela busca do prazer, tanto ou ainda mais que pela fuga à dor, consigam sobreviver. Alguns dos desenvolvimentos sociais contemporâneos em culturas cada vez mais hedonistas conferem plausibilidade a essa ideia, e o trabalho que meus colegas e eu actualmente realizamos sobre a base neuronal das várias emoções reforça ainda mais essa plausibilidade. Há mais variações de emoção negativa que de emoção positiva, e é claro que o cérebro trata de forma diferente essas duas variedades. Talvez Tolstoi tenha tido uma intuição semelhante quando escreveu no início de Ana Karenina : "Todas as famílias felizes são parecidas umas com as outras, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.“

O Erro de Descartes

Obtido da Wikiquote. Última atualização 28 de Outubro de 2021. História

Citações relacionadas

Liev Tolstói photo

„Todas as famílias felizes se parecem; cada família infeliz é infeliz à sua maneira.“

—  Liev Tolstói escritor russo 1828 - 1910

Citação da primeira frase do capítulo 1 do romance Ana Karenina, de Tolstoi, Liev, publicado entre janeiro de 1875 e abril de 1877. Obra de domínio público para publicação http://Obra%20de%20domínio%20público%20para%20publicação
Atribuídas
Variante: Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.

Haruki Murakami photo
Liev Tolstói photo
Marguerite Yourcenar photo
Martha Medeiros photo
Leonardo Da Vinci photo
Friedrich Nietzsche photo
Emil Mihai Cioran photo
Agostinho da Silva photo
António Damásio photo
Alexandre Dumas, pai photo

„Este é um dos orgulhos da nossa funesta humanidade: cada homem julga-se mais infeliz que outro infeliz que chora e geme ao seu lado.“

—  Alexandre Dumas, pai, livro O Conde de Monte Cristo

O Conde de Monte Cristo, Alexandre Dumas; tradução de André Telles e Rodrigo Lacerda, Rio de Janeiro: Zahar, 2012, p. 1612 https://books.google.com.br/books?id=qQIkL_ZzrBcC&pg=PA1612.
Fala do personagem Edmond Dantès, o Conde de Monte Cristo.
O Conde de Monte Cristo (1844)

John Selden photo
Fernando Pessoa photo
Thomas Stearns Eliot photo
Tati Bernardi photo
Epicuro photo
Valery Larbaud photo
Charles Louis Montesquieu photo

Tópicos relacionados