„Pensou no telecrã, nos ouvidos sempre à escuta. Espiavam as pessoas dia e noite, mas mesmo assim, se se conservasse o sangue-frio, conseguia-se ludibriá-los. Muito clarividentes que fossem, nunca resolveriam o enigma de quais os pensamentos dos outros seres humanos. Talvez não fosse bem assim, depois de uma pessoa lhes cair nas mãos. Ninguém sabia o que se passava dentro do Ministério do Amor, mas dava para adivinhar: torturas, drogas, delicados instrumentos que registavam as reações nervosas do preso, esgotamento gradual pela privação do sono, pelo isolamento e pelos interrogatórios constantes. Factos, em todo o caso, tornava-se inviável ocultá-los. Eles podiam reconstituí-los procedendo a averiguações, ou arrancá-los ao preso com torturas. Mas se o objetivo, em vez de ser continuar vivo, for continuar a ser-se humano, então, bem vistas as coisas, tudo o mais que diferença faria? Eles não podem alterar os sentimentos… aliás, nem nós próprios poderíamos alterá-los, mesmo que quiséssemos. Podiam pôr a nu, com todo o pormenor, quanto houvéramos feito, dito ou pensado; mas o mais fundo do coração, cujo funcionamento até para nós constitui um mistério, há-de ser sempre inexpugnável.“

1984

Última atualização 26 de Maio de 2022. História

Citações relacionadas

George Orwell photo
George Orwell photo
George Herbert photo
Fernando Pessoa photo
Walt Disney photo

„Todos os nossos sonhos podem vir a ser verdadeiros - se tivermos a coragem de segui-los.“

—  Walt Disney Cofundador da The Walt Disney Company 1901 - 1966

All our dreams can come true - if we have the courage to pursue them
citado em "Time out: how to win in retirement or the second career" - página 7, Ronald B. Garrison - Garrison & Associates, 1988 - 124 páginas
Atribuídas

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
David Bowie photo
Carlos Ruiz Zafón photo
Jean Jacques Rousseau photo

„Toda a educação da mulher deve ser relacionada ao homem. Agradá-los, ser-lhes útil, fazer-se amada e honrada por eles, educá-los quando jovens, cuidá-los quando adultos, aconselhá-los, consolá-los, torna-lhes a vida útil e agradável - São esses os deveres das mulheres em todos os tempos e o que lhes deve ser ensinado desde a infância.“

—  Jean Jacques Rousseau, livro Emílio, ou Da Educação

Ainsi, toute l’éducation des femmes doit être relative aux hommes. Leur plaire, leur être utile, se faire aimer et honorer d’eux, les élever jeunes, les soigner grands, les conseiller, les consoler, leur rendre la vie agréable et douce : voilà les devoirs des femmes en tout temps, et ce qu’on doit leur apprendre dès l’enfance.
Émile - Página 370 http://books.google.com.br/books?id=CI89AAAAYAAJ&pg=PA370, Jean-Jacques Rousseau - A. Belin, 1817
Emile

J. K. Rowling photo
Spinoza photo

„Tenho evitado cuidadosamente rir-me dos actos humanos, ou desprezá-los; o que tenho feito é tratar de compreendê-los.“

—  Spinoza Filósofo Holandês 1632 - 1677

Variante: Tenho evitado cuidadosamente rir-me dos atos humanos, ou desprezá-los; o que tenho feito é tratar de compreendê-los.

Marquês de Maricá photo
Samuel Johnson photo
Plutarco photo
Isabel I de Inglaterra photo
Dorothy L. Sayers photo

„O que é repugnante a todo ser humano é ser pensado sempre como membro de uma categoria e não como uma pessoa individual.“

—  Dorothy L. Sayers 1893 - 1957

What is repugnant to every human being is to be reckoned always as a member of a class and not as an individual person.
Dorothy L. Sayers, Are Women Human? (1938)

George Bernard Shaw photo

„Tudo o que os jovens podem fazer pelos velhos é escandalizá-los e mantê-los actualizados.“

—  George Bernard Shaw 1856 - 1950

Variante: Tudo o que os jovens podem fazer pelos velhos é escandalizá-los e mantê-los atualizados.

Françoise Sagan photo

„Você se acostuma com os defeitos dos outros quando alguém não acredita ser seu dever de corrigi-los.“

—  Françoise Sagan, livro Bonjour tristesse

On s'habitue aux défauts des autres quand on ne croit pas de son devoir de les corriger.
Bonjour tristesse (1953), François Sagan, éd. Pocket, 1991 (ISBN 2-266-12774-8), partie II, chap. 5, p. 105

Tópicos relacionados