„O homem procura se instruir e se mata porque a sociedade religiosa de que ele faz parte perdeu sua coesão; mas ele não se mata por se instruir. Também não é a instrução que ele adquire que desorganiza a religião; mas é porque a religião se desorganiza que surge a necessidade de instrução. Esta não é buscada como um meio de destruir as opiniões recebidas, mas porque a destruição delas começou. Sem dúvida, uma vez que a ciência existe, ela pode combater em seu nome e por sua conta e se colocar como adversária dos sentimentos tradicionais. Mas seus ataques seriam sem efeito, ou, mais ainda, nem poderiam se produzir, se esses sentimentos ainda estivessem vivos. Não é com demonstrações dialéticas que se desenraíza a fé; é preciso que ela já esteja profundamente abalada por outras causas para poder não resistir ao choque dos argumentos.
(…) É verdade que devemos evitar com o mesmo cuidado considerar a instrução como um objeto que basta em si mesmo, pois ela é apenas um meio. Se não é acorrentando espíritos que poderemos fazê-los desaprender o gosto pela independência, também não basta libertá-los para lhes devolver o equilíbrio. É preciso que eles empreguem essa liberdade conforme convém.“

—  Émile Durkheim, On Suicide: A Study in Sociology

Citações relacionadas

Monteiro Lobato photo

„Erro pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião.“

—  Monteiro Lobato escritor brasileiro 1882 - 1948
"Obras completas" – p 199, de José Bento Monteiro Lobato – Brasiliense, 1946

Antoine de Rivarol photo
Jiddu Krishnamurti photo
André Gide photo
Liev Tolstói photo
Baltasar Gracián photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Temple Grandin photo
Machado de Assis photo
Honoré De Balzac photo
Charles Louis Montesquieu photo
Helen Keller photo
Solón photo
Benjamin Franklin photo
Clarice Lispector photo
Albert Einstein photo
Olavo Bilac photo

„O único meio de criar homens livres é educá-los, outro modo ainda não se inventou, e com certeza nunca se inventará.“

—  Olavo Bilac Jornalista, contista, cronista e poeta brasileiro. 1865 - 1918
Obra reunida - Página 517, Olavo Bilac, ‎Alexei Bueno - Editora Nova Aguilar, 1996, ISBN 8521000251, 9788521000259, 1072 páginas

Mark Twain photo
Karl Marx photo

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“

x