„As classes burguesas cerram os olhos diante das duas realidades ou lançam-se ao combate para que elas se tornem possíveis, pois lhes cabe esse triste papel de associar a anulação da revolução nacional à industrialização maciça, à aceleração do desenvolvimento capitalista e à absorção das empresas multinacionais. O intelectual divergente, considere-se ou não parte da burguesia, tem de seguir outro caminho. Para explicar-se, ele precisa começar pela verdade – não uma parte da verdade, mas toda a verdade. Todavia, fazer isso não é o mesmo que procurar uma justificação. Ao contrario, é repor o intelectual no circuito das relações e dos conflitos de classes, para poder descobrir como e por que numa sociedade capitalista dependente mesmo a intelligentsia crítica e militante é importante, enquanto as forças de transformação ou de destruição dessa sociedade não chegam constituir-se e a operar revolucionariamente, engendrando ou uma ordem burguesa efetivamente democrática ou uma transição para o socialismo. Por sua vez, de nada adiantaria uma retórica ultra-radical, de condenação e expiação: o intelectual não cria o mundo no qual vive. Ele já faz muito quando consegue ajudar a compreendê-lo e a explicá-lo, como ponto de partida para a sua alteração real”.“

Publicidade

Citações relacionadas

Antonio Gramsci photo
Publicidade
Friedrich Nietzsche photo
Edith Wharton photo
Karl Marx photo
José Ortega Y Gasset photo
Publicidade
Oscar Wilde photo
Hans-Joachim Koellreuter photo

„Na sociedade burguesa, a função da arte sempre foi entreter e distrair.“

—  Hans-Joachim Koellreuter compositor, musicólogo e professor brasileiro de origem alemã. 1915 - 2005

Karl Marx photo
Karl Marx photo
Publicidade
Max Frisch photo
Oscar Wilde photo
Noam Chomsky photo
Che Guevara photo
Próximo