„Soneto 138 de Shakespeare
Tradução livre por Rodrigo Suzuki Cintra

Quando meu amor jura que é feita de verdade,
Eu acredito nela, apesar de saber que é mentira,
Ela deve pensar que sou qualquer moço sem idade
Que não conhece de fato como o mundo gira.
Assim, inutilmente acreditando que ela me acha jovem,
Apesar de saber que meus melhores dias já não voltam mais,
Simplesmente eu acredito em suas palavras que me comovem,
Na medida em que a verdade não nos satisfaz.
Mas por que ela não admite ser desonesta?
E por que não admito ser um homem idoso?
O melhor do amor é ser hábito que ninguém protesta,
Pois mentir no amor é sempre mais gostoso:
Nos deitamos em nossas mentiras, eu com ela e ela comigo
E na mentira do amor nós encontramos abrigo.“

Publicidade

Citações relacionadas

Henry Louis Mencken photo
Publicidade
Claude Aveline photo
Fabrício Carpinejar photo
 Sócrates photo
Publicidade
Jean Baptiste Alphonse Karr photo
Publicidade
Fernando Pessoa photo
Ramón De Campoamor Y Campoosorio photo
Próximo