„Em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História

Citações relacionadas

Pierre Choderlos de Laclos photo
Jean de La Bruyere photo
Henry Adams photo

„Um amigo durante a vida é muito; dois é demais; três quase impossível. A amizade exige um certo paralelismo de vida, uma comunhão de idéias, uma rivalidade de objetivos.“

—  Henry Adams, livro The Education of Henry Adams

One friend in a lifetime is much, two are many, three are hardly possible. Friendship needs a certain parallelism of life, a community of thought, a rivalry of aim.
The Education of Henry Adams‎ - Página 252 http://books.google.com.br/books?id=BO7Ye0b7mekC&pg=PA252, de Henry Brooks Adams, Publicado por Forgotten Books ISBN 1606209361, 9781606209363

José Saramago photo
Antoine de Rivarol photo
Marquês de Vauvenargues photo

„O ódio dos fracos não é tão perigoso quanto a sua amizade.“

—  Marquês de Vauvenargues 1715 - 1747

Oeuvre complètes, Volume 2‎ - Página 147 http://books.google.com.br/books?id=Ia89AAAAcAAJ&pg=PA147 - item 484, Luc de Clapiers de Vauvenargues - 1797
Fonte: Revista Caras http://www.caras.com.br, Edição de Terça-feira, 17 de outubro de 2006.
La haine des faibles n'est pas si dangereuse que leur amitié.

Hugo Von Hofmannsthal photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Mario Puzo photo
Winston Churchill photo

„Política é quase tão excitante quanto a guerra, e quase tão perigosa. Na guerra você é morto uma vez, mas, em política, várias vezes.“

—  Winston Churchill Político britânico 1874 - 1965

Politics are almost as exciting as war, and quite as dangerous. In war you can only be killed once, but in politics many times.
The Churchill wit - página 5, Sir Winston Churchill, Bill Adler, Editora Coward-McCann, 1965, 85 páginas

Philip Stanhope Chesterfield photo
Millôr Fernandes photo
Aristoteles photo

„O objetivo principal da política é criar a amizade entre membros da cidade.“

—  Aristoteles filósofo grego -384 - -321 a.C.

Aristóteles;
vide: Genealogia da Amizade - página 44 http://books.google.com.br/books?id=bava1tejK7IC&pg=PA44, Política da imanência, Francisco Ortega, Editora Iluminuras Ltda, 2002, ISBN 8573211598, 9788573211597, 173 páginas
Atribuídas

Anton Pavlovitch Tchékhov photo
François de La  Rochefoucauld photo
Papa Bento XVI photo

„Um católico será considerado culpado por cooperar com o mal, e não poderá receber a comunhão, se votar em um candidato político por ele ser a favor da eutanásia e/ou do aborto.“

—  Papa Bento XVI professor académico alemão, Papa Emérito 1927

como citado em Folha http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u82983.shtml, 19/04/2005 - 15h48
Enquanto cardeal, Aborto e eutanásia

Tópicos relacionados