„Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas que eu nunca pensei que iriam me decepcionar, mas também decepcionei alguém. Já abracei para proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, e amigos que eu nunca mais vi. Amei e fui amado, mas também fui rejeitado, fui amado e não amei. Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, e quebrei a cara muitas vezes! Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só para escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade, tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas vivi! E ainda vivo. Não passo pela vida. E você também não deveria passar. Viva! Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, por que o mundo pertence a quem se atreve. E a vida é muito para ser insignificante.“

Na internet há várias versões do texto acima e até meados de 2008 o autor era desconhecido. Chegou-se a acreditar que este texto tivesse sido inspirado no texto Curriculum Vitae de Felix Coronel(registrado na Biblioteca Nacional e escrito em livro em 2003), entretanto, foi constatada a autoria deste texto que é do poeta brasileiro Augusto Branco http://pt.wikipedia.org/wiki/Augusto_Branco (ver site oficial do autor:http://www.augustobranco.com) o qual não costumava assinar seus textos, dando espaço para que os internautas associassem o texto a Charles Chaplin, mas o poema está registrado na Fundação Biblioteca Nacional com autoria de Augusto Branco, conforme os dados a seguir:
Atribuição incorreta

Obtido da Wikiquote. Última atualização 6 de Junho de 2021. História

Citações relacionadas

Charlie Chaplin photo

„Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, por que o mundo pertence a quem se atreve. E a vida é muito para ser insignificante.“

—  Charlie Chaplin Comediante, ator e cineasta britânico 1889 - 1977

Última estrofe do poema 'Vida' ("Já perdoei erros quase imperdoáveis..."), de Augusto Branco
Atribuição incorreta
Variante: Lute com determinação, abrace a vida com paixão, perca com classe e vença com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito bela para ser insignificante.
Fonte: Biblioteca Nacional: "Vida", Augusto Branco (pseudônimo) registro 449.877 http://www.bn.br/portal/index.jsp?plugin=FbnBuscaEDA&radio=CpfCnpj&codPer=68661690200

Charlie Chaplin photo
Dercy Gonçalves photo

„Eu passei pela vida, vi tudo e fiz tudo. Vivi e não me machuquei.“

—  Dercy Gonçalves 1907 - 2008

Em Entrevista no Programa Roda Viva da TV Cultura http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/430/entrevistados/dercy_goncalves_1995.htm

Fernanda Young photo
Pablo Neruda photo
Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Alfred Edward Housman photo
Tati Bernardi photo
Charlie Chaplin photo
Fernando Pessoa photo
Ingrid Bergman photo

„Eu não tenho nenhum pesar. Eu não teria vivido minha vida no modo que eu fiz se eu fosse preocupar sobre o que pessoas iriam dizer.“

—  Ingrid Bergman 1915 - 1982

I have no regrets. I wouldn't have lived my life the way I did if I was going to worry about what people were going to say.
Fonte: "An Uncommon Scold" ("Uma pessoa repreensiva incomum") by Abby Adams, 1989.

Dercy Gonçalves photo
Vinícius de Moraes photo
Mae West photo
Sharon Stone photo

„Vi um corte brusco no filme, mas eu queria mais nudez. Pensei: ‘Onde estão todas as coisas loucas que eu fiz?“

—  Sharon Stone 1958

sobre Instinto Selvagem 2
Fonte: Revista ISTOÉ Gente, edição 340 http://www.terra.com.br/istoegente/340/frases/index.htm (27/02/2006)

Mário Quintana photo

„Nós só amamos os amigos mortos e só as amadas mortas amam eternamente…“

—  Mário Quintana Escritor brasileiro 1906 - 1994

Fonte: Apontamentos de História Sobrenatural

Tópicos relacionados