„O coração de Cristo


Agora, pois, 
perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste. v.32

Um jornalista que passou 400 dias numa cadeia egípcia expressou emoções confusas ao ser libertado. Embora admitisse o alívio, disse que aceitava a liberdade com preocupação pelos amigos que deixava para trás. Ele disse que achou extremamente difícil dizer adeus aos outros repórteres que haviam sido presos e encarcerados com ele, sem saber quanto tempo eles ainda permaneceriam presos.

Moisés também sentiu grande ansiedade ao pensar em deixar seus amigos para trás. Diante do pensamento de perder o irmão, a irmã e a nação que tinham adorado um bezerro de ouro, enquanto ele se encontrava com Deus no monte Sinai (Êxodo 32:11-14), Moisés intercedeu por eles. Demonstrando o quanto ele se importava, disse: “Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste” (v.32).

Mais tarde, o apóstolo Paulo demonstrou preocupação semelhante com a família, os amigos e a nação. Lamentando a incredulidade deles em Jesus, Paulo disse que estaria disposto a desistir de seu próprio relacionamento com Cristo se, por esse amor, ele pudesse salvar seus irmãos e irmãs (Romanos 9:3).

Olhando para trás, vemos que Moisés e Paulo demonstraram o amor de Cristo. No entanto, o amor que podiam apenas sentir, e o sacrifício que só podiam oferecer, Jesus o cumpriu — estar conosco para sempre.

Cuidar dos outros — honra o amor de Jesus por nós. Mart De Haan“

Última atualização 20 de Novembro de 2020. História

Citações relacionadas

„Face a face


Falava o Senhor a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo… v.11


Embora o mundo esteja conectado como jamais esteve, nada substitui o encontro pessoal. À medida que compartilhamos e rimos juntos, muitas vezes sentimos, quase inconscientemente, as emoções da outra pessoa observando seus movimentos faciais. Aqueles que se amam, familiares ou amigos, gostam de compartilhar face a face uns com os outros.

Vemos essa relação face a face entre o Senhor e Moisés, o homem que Deus escolheu para liderar o Seu povo. A confiança de Moisés cresceu ao longo dos anos, enquanto ele andava com Deus, e continuava a segui-lo, apesar da rebeldia e idolatria do povo. Depois que o povo adorou um bezerro de ouro em vez de adorar o Senhor (Êxodo 32), Moisés estabeleceu uma tenda fora do acampamento para se encontrar com Deus, e o povo tinha que observar de longe (vv.7-11). Quando a coluna de nuvem representando a presença de Deus desceu à tenda, Moisés falou em favor do povo. O Senhor prometeu que Sua Presença iria com eles (v.14).

Por causa da morte de Jesus na cruz e Sua ressurreição, não precisamos de alguém como Moisés para falar com Deus por nós. Em vez disso, assim como Jesus afirmou aos Seus discípulos, podemos ter comunhão com Deus através de Cristo (JOÃO 15:15). Nós também podemos nos encontrar com Ele, e falar com o Senhor como alguém que fala a um amigo.

Podemos conversar com o Senhor 
como um verdadeiro amigo. Amy Boucher Pye“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Marco Aurelio photo
Benjamin Franklin photo
Salustio photo
Josemaría Escrivá de Balaguer photo
Bhaktivedanta Swami Prabhupada photo

„Quem se deixar guiar por Jesus Cristo certamente obterá a libertação. Mas é muito difícil encontrar um homem que esteja realmente sendo orientado por Jesus Cristo.“

—  Bhaktivedanta Swami Prabhupada 1896 - 1977

Actually, one who is guided by Jesus Christ will certainly get liberation. But it is very hard to find a man who is actually being guided by Jesus Christ.
citado em "Krishna meets Jesus: A. C. Bhaktivedanta Swami Srila Prabhupada's Interpretations and Conclusions about Christianity", página 57 http://books.google.com.br/books?id=7hxBlYmPOHgC&pg=PA57; Por Peter Schmidt; Publicado por BoD – Books on Demand, 2002; ISBN 3831135703, 9783831135707; 184 páginas

„Refletindo o amor de Deus


…não sabia Moisés que a pele do seu rosto resplandecia, depois de haver Deus falado com ele. v.29


Cuidei da minha mãe durante seus tratamentos num centro de combate ao câncer. E até nos dias mais difíceis, ela lia as Escrituras e orava pelos outros antes de levantar-se.

Ela ia a presença de Jesus diariamente, expressando sua fé por meio de sua dependência de Deus, de suas ações gentis e seu desejo de encorajar e orar pelos outros. Ela não percebia o quanto o seu rosto sorridente refletia a graça amorosa do Senhor. Minha mãe compartilhou o amor de Deus com as pessoas ao seu redor até o dia em que Ele a chamou para o Céu.

Depois de Moisés passar 40 dias e 40 noites em comunhão com Deus (v.28), ele desceu do monte Sinai. Moisés não tinha ideia de que a sua comunhão com o Senhor mudara a sua aparência (v.29). Mas os israelitas puderam perceber que o profeta tinha falado com o Senhor (vv.30-32). Moisés continuou a encontrar-se com Deus e a influenciar a vida das pessoas ao seu redor (vv.33-35).

Talvez não percebamos como as nossas experiências com Deus nos mudam ao longo do tempo, e a nossa transformação definitivamente não será tão fisicamente aparente como a face radiante de Moisés. Mas à medida que investimos tempo com Deus e entregamos nossa vida a Ele, cada dia mais e mais, podemos refletir o Seu amor. Deus pode atrair os outros para mais perto de si, quando a evidência de Sua presença é vista em e através de nós.

Nossa comunhão com Deus pode nos mudar 
e direcionar os outros ao Seu amor. Xochitl Dixon“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

John Lennon photo

„O que queremos?


…o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, […] vivificará também o vosso corpo mortal… v.11


“Fui da carroça ao homem que andou na Lua,” disse o vovô à neta, que compartilhou esta história comigo recentemente. E continuou: “Nunca pensei que isso poderia ocorrer em tão pouco tempo.”

A vida é curta, e muitos de nós voltamos para Jesus, pois queremos viver para sempre. Isso significa que não compreendemos o verdadeiro significado da vida eterna. Tendemos a ansiar por coisas erradas. Ansiamos por algo melhor, e pensamos que está logo à frente. Se eu estivesse fora da escola, tivesse esse emprego, fosse casado ou pudesse me aposentar. Se apenas… E então um dia ouvimos o eco da voz do avô ao refletirmos sobre o tempo que voou.

A verdade é que possuímos a vida eterna agora. Paulo escreveu: “…a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte” (v.2). E disse: “…os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito” (v.5). Em outras palavras, os nossos desejos mudam quando chegamos a Cristo. Isso naturalmente nos dá o que mais desejamos. “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz” (v.6).

A grande mentira da vida é de que precisamos estar em outro lugar, fazer outra coisa, com outra pessoa antes de começar a viver verdadeiramente. Ao encontrarmos Jesus, trocamos a mágoa pela brevidade da vida pela plena alegria da vida com Ele, agora e para sempre.

Para vivermos eternamente, 
devemos deixar Jesus viver em nós agora. Tim Gustafson“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

Vergílio Ferreira photo
Papa João Paulo II photo
Papa Francisco photo

„Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo!“

—  Papa Francisco 266º papa da Igreja Católica 1936

Estadão. Confira a íntegra do primeiro discurso do papa Francisco no Brasil http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,confira-a-integra-do-primeiro-discurso-do-papa-francisco-no-brasil,1056167,0.htm. Acesso em 23 de julho de 2013.
Em visita ao Brasil em 22 de julho de 2013.
Como Papa

John Lennon photo
Francisco de Assis photo

„Irmãos comecemos, pois até agora pouco ou nada fizemos.“

—  Francisco de Assis santo católico fundador da Ordem Franciscana 1182 - 1226

„O bem supremo


…Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus… v.8


Cresci na Jamaica, e meus pais criaram minha irmã e eu para sermos “pessoas boas”. Em casa, bom significava obedecer aos pais, falar a verdade, ir bem na escola, no trabalho e ir à igreja pelo menos na Páscoa e no Natal. Imagino que esta definição de ser boa pessoa seja familiar para muitos, independentemente da cultura. Na verdade, Paulo, em Filipenses 3, usou a definição de ser bom em sua cultura para destacar algo maior.

Paulo, sendo um devoto judeu do primeiro século, seguiu a lei moral de sua cultura ao pé da letra. Ele nasceu na família “certa”, tinha a educação “certa” e praticava a religião “certa”. Era o verdadeiro em termos de ser uma boa pessoa de acordo com o costume judaico. No versículo 4, Paulo escreve que se ele quisesse, poderia se vangloriar de toda a sua bondade. Mas, sendo bom como era, Paulo disse aos seus leitores (e a nós) que há algo mais do que ser bom. Ele sabia que ser apenas bom, não era o mesmo que agradar a Deus.

Paulo escreve nos vv.7,8 que agradar a Deus, envolve conhecer a Jesus. Paulo considerava a sua própria bondade como “lixo” quando comparado com “o valor supremo de conhecer a Cristo Jesus”. Somos bons — e agradamos a Deus — quando a nossa esperança e fé estão em Cristo, e não em nossa bondade.

Somos bons e agradamos a Deus quando nossa esperança e fé 
estão somente em Cristo, não em nossa bondade. Kevin Williams“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Além das etiquetas


…Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. v.8


Certa igreja na minha cidade tem um cartão de boas-vindas único que capta o amor e a graça de Deus para todos. Ele diz: “Se você é: santo, pecador, perdedor, vencedor” — seguido por muitos outros termos usados para descrever as pessoas em dificuldades — “alcoólatra, hipócrita, trapaceiro, amedrontador, desajustado… Você é bem-vindo aqui.” Um dos pastores me disse: “Lemos esse cartão em voz alta juntos em nossos cultos todos os domingos.”

Quantas vezes aceitamos rótulos e permitimos que eles definam quem somos. E com que facilidade rotulamos os outros. Mas a graça de Deus desafia os rótulos porque está enraizada em Seu amor, não em nossa autopercepção. Se nos vemos como maravilhosos ou terríveis, capazes ou desamparados, podemos receber a vida eterna como um presente dele. O apóstolo Paulo relembrou aos seguidores de Jesus em Roma que “…Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios” (Romanos 5:6).

O Senhor não exige que mudemos por nosso próprio poder. Em vez disso, Ele nos convida a vir como somos para encontrar esperança, cura e liberdade nele. “Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (v.8). O Senhor está pronto e disposto a nos receber tal como somos.

O perdão de Deus desafia as nossas falhas ou orgulho. David C. McCasland“

—  pão_diário_é_só_noticias_boas

„Não foi lá que mataram Jesus Cristo?“

—  Bezerra da Silva 1927 - 2005

Bezerra da Silva, sambista, comentando sobre a violência no Oriente Médio
Fonte: Revista Veja, Edição 1 672 - 25/10/2000 http://veja.abril.com.br/251000/vejaessa.html

Tópicos relacionados