„Nunca amamos alguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos.
Isto é verdade em toda a escala do amor. No amos sexual buscamos um prazer nosso por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma ideia nossa. O onanista é objecto, mas, em exacta verdade, o onanista é a perfeita expressão lógica do amoroso. É o único que não disfarça nem se engana.“

— Fernando Pessoa, Livro do Desassossego por Bernardo Soares 1ª parte

Publicidade

Citações relacionadas

 Demócrito photo
Luigi Pirandello photo
Publicidade
Elbert Hubbard photo
Charles Louis Montesquieu photo
Jiddu Krishnamurti photo
Honoré De Balzac photo
Paulo de Tarso photo
Publicidade
William Shakespeare photo
João Guimarães Rosa photo
George G. Byron photo
David Hume photo
Publicidade
George G. Byron photo
 Heráclito photo
Edgar Allan Poe photo
Leo Buscaglia photo
Próximo