„À glória dos mais famosos se junta sempre um pouco da miopia de seus admiradores.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História
Georg Christoph Lichtenberg photo
Georg Christoph Lichtenberg40
professor académico alemão 1742 - 1799

Citações relacionadas

Giovanni Papini photo
Honoré De Balzac photo
Pompeu photo

„O Sol que nasce tem mais admiradores do que o Sol que se põe“

—  Pompeu -106 - -48 a.C.

A Sula quando lhe recusava um triunfo
Fonte: Sílvio Ferraz De Arruda, Frases célebres notáveis

Helen Keller photo

„Sozinhos, pouco podemos fazer; juntos, podemos fazer muito.“

—  Helen Keller 1880 - 1968

Alone we can do so little; together. we can do so much
citado em "Pennsylvania School Journal" - v.62 (1913-1914) Página 32, ‎de Pennsylvania Dept. of Public Instruction, Pennsylvania Dept. of Common Schools, Pennsylvania State Education Association - 1913

Napoleão Bonaparte photo

„A glória é fugaz, mas a obscuridade dura para sempre.“

—  Napoleão Bonaparte monarca francês, militar e líder político 1769 - 1821

Francois Rabelais photo
Raul Seixas photo

„Porque que sempre a solidão vem junto com o Luar?“

—  Raul Seixas cantor e compositor brasileiro 1945 - 1989

Nicholas Sparks photo
Uma Thurman photo

„Fui uma garota que tietava demais. Uma grande admiradora das artes e dos belos rapazinhos que as criam.“

—  Uma Thurman Atriz norte-americana 1970

citado em Revista Veja http://veja.abril.com.br/200405/vejaessa.html, Edição 1901 . 20 de abril de 2005

François de La  Rochefoucauld photo
Pierre de Marivaux photo
Napoleão Bonaparte photo
Nelson Mandela photo

„A maior glória de viver não consiste em jamais cair, mas em reerguermo-nos sempre que o fizermos.“

—  Nelson Mandela político e ativista sul-africano, Ex-presidente da África do Sul 1918 - 2013

Olavo Bilac photo

„Não sei de glória mais alta do que a glória de quem ama!“

—  Olavo Bilac Jornalista, contista, cronista e poeta brasileiro. 1865 - 1918

Velha Página in: Poesias: Panoplias, Via lactea, Sarças de fogo, Alma inquieta, As viagens, Ocaçador de esmeraldas, Olavo Bilac - H. Garnier, 1904 - 273 páginas (vide wikisource)

Tópicos relacionados