„A morte de cada homem diminui-me, porque eu faço parte da humanidade; eis porque nunca pergunto por quem dobram os sinos: é por mim.“

—  John Donne

Última atualização 25 de Maio de 2022. História
John Donne photo
John Donne8
Poeta 1572 - 1631

Citações relacionadas

John Donne photo
Leonardo Boff photo

„Nenhum ser humano é uma ilha… por isso não perguntem por quem os sinos dobram. Eles dobram por cada um, por cada uma, por toda a humanidade. Se grandes são as trevas que se abatem sobre nossos espíritos, maiores ainda são as nossas ânsias por luz.“

—  Leonardo Boff Herege Excomungado 1938

(...) As tragédias dão-nos a dimensão da inumanidade de que somos capazes. Mas também deixam vir à tona o verdadeiramente humano que habita em nós, para além das diferenças de raça, de ideologia e de religião. E esse humano em nós faz com que juntos choremos, juntos nos enxuguemos as lágrimas, juntos oremos, juntos busquemos a justiça, juntos construamos a paz e juntos renunciemos à vingança."
a expressão "Nenhum ser humano é uma ilha" é baseada em Thomas Merton; do livro "Homem algum é uma ilha"; de Thomas Merton; Do original em inglês : "No Man is an Island".
Fonte: Manifesto pela concórdia e pela paz http://www.leonardoboff.com/site/vista/2001-2002/manifesto.htm

José Alencar photo
Millôr Fernandes photo

„Nunca faço planos pro futuro Mas ele faz cada um pra mim“

—  Millôr Fernandes cartunista, humorista e dramaturgo brasileiro. 1923 - 2012

Robert Green Ingersoll photo

„O sino foi o primeiro veículo de comunicação de massa da humanidade.“

—  Alex Periscinoto 1925

Em "Palestra para a alta cúpula da CNBB-Conferência Nacional dos Bispos do Brasil" e livro "Mais vale o que se aprende do que o que te ensinam", Editora Best Seller, 1995

Raul Seixas photo
Tristan Bernard photo
Giovanna Antonelli photo
John Joseph Murphy photo
Milan Kundera photo
Jules Michelet photo

„Cada homem é uma humanidade, uma história universal…“

—  Jules Michelet, livro Histoire de France

Chaque homme est une humanité, une histoire universelle.
Fonte: Histoire de France, Jules Michelet, éd. Chamerot, 1861, vol. 4, livre VIII, chap. 1er (« Le duc d'Orléans, le duc de Bourgogne »), « 1407 (23 nov.) Jean-sans-Peur le fait assassiner », p. 103

Leonardo Boff photo
Fedro photo
Groucho Marx photo
António Lobo Antunes photo

Tópicos relacionados