„Nos benefícios da fortuna, como nos do amor, nunca se passa da imaginação para a realidade sem prejuízo.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História

Citações relacionadas

John Lennon photo

„A realidade deixa muito à imaginação.“

—  John Lennon foi um músico, cantor, compositor, escritor e ativista britânico 1940 - 1980

Atribuídas

Franklin Delano Roosevelt photo

„Os benefícios da instrução nunca são perdidos.“

—  Franklin Delano Roosevelt 32º presidente dos Estados (1933-1945) 1882 - 1945

Ovidio photo

„A fortuna e o amor preferem o corajoso.“

—  Ovidio -43 - 17 a.C.

Variante: O sucesso e o amor preferem o corajoso.

Théophile Gautier photo
Charlie Chaplin photo

„Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação.“

—  Charlie Chaplin Comediante, ator e cineasta britânico 1889 - 1977

Variante: Num filme o que importa não é a realidade, mas que dele possa extrair a imaginação.

Rafael Brito photo
François de La  Rochefoucauld photo

„Passa-se muitas vezes do amor à ambição, mas nunca se regressa da ambição ao amor.“

—  François de La Rochefoucauld Escritor, moralista e memorialista francês 1613 - 1680

Variante: Passamos muitas vezes do amor à ambição, mas nunca regressamos da ambição ao amor.

Jean Jacques Rousseau photo

„O mundo da realidade tem seus limites. O mundo da imaginação não tem fronteiras.“

—  Jean Jacques Rousseau, livro Emílio, ou Da Educação

Le monde réel a ses bornes, le monde imaginaire est infini
Emile - Volume 1, Página 152 http://books.google.com.br/books?id=_O4_AAAAcAAJ&pg=PA152, Jean-Jacques Rousseau - Poinçot, 1791
Emile

Cesare Pavese photo
Francisco de Quevedo photo
Padre Antônio Vieira photo
Thomas Hobbes photo
Michel De Montaigne photo

„O lucro de um é prejuízo de outro.“

—  Michel De Montaigne, livro Ensaios

Le profit de l'vn est dommage de l'autre.
Les Essais: édition nouvelle corrigée suivant les premières Impressions de L'Angelier. Avec la vie de l'Autheur extraicte de ses propres escrits, página 52 https://books.google.com.br/books?id=u9ee8gxnJOQC&pg=PA52, Michel de Montaigne - Michel Blageart, 1640 - 750 páginas
Ensaios

Stephen King photo
Jonas Salk photo
Luís Vaz de Camões photo

„Erros meus, má fortuna, amor ardente
Em minha perdição se conjuraram.“

—  Luís Vaz de Camões poeta português 1524 - 1580

Lyric poetry, Não pode tirar-me as esperanças, Erros meus, má fortuna, amor ardente

Tópicos relacionados