Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?

Entrar para revisão

„Os americanos estão presos no Iraque e não têm saída. Eles são como um lobo cujo rabo foi preso em uma armadilha.“

Original

The Americans are stuck in Iraq and have no way out. They are like a wolf whose tail has been caught in a trap.

The Americans in Iraq are 'like a wolf whose tail has been caught in a trap.' http://www.memritv.org/clip_transcript/en/2059.htm May 2004.
2004

Última atualização 29 de Janeiro de 2021. História
Ali Khamenei photo
Ali Khamenei7
Líder Supremo do Irã 1939

Citações relacionadas

Alan Moore photo
Machado de Assis photo

„Preso por ter cão, preso por não ter cão.“

—  Machado de Assis, livro O Alienista

Contos, O Alienista

John Kerry photo

„A juventude americana deve estudar para não acabar atolada no Iraque“

—  John Kerry 1943

John Kerry, senador democrata dos EUA, criticando os republicanos que apóiam a guerra no Oriente Médio
Fonte: Revista ISTO É, Edição 1933 http://www.terra.com.br/istoe/1933/1933_semana_frases.htm.

Slash photo

„Quase fui preso então parei“

—  Slash Músico britânico-americano 1965

Falando dos seus problemas com drogas

Étienne Pasquier photo
Gustave Flaubert photo
Stendhal photo
Gerson De Rodrigues photo
Luiz Inácio Lula da Silva photo

„Se porrada educasse, preso saía da cadeia santo.“

—  Luiz Inácio Lula da Silva político brasileiro, 35º presidente do Brasil 1945

Jair Bolsonaro photo

„Eu não quero mais o Lula preso. Eu quero o Lula em cana!“

—  Jair Bolsonaro 38º Presidente do Brasil 1955

Durante passagem por Marabá em 12/07/2018.
Década de 2010, 2018

Nicolau Maquiavel photo
Fernando Collor de Mello photo

„Exótico é o seu editor-geral, que foi preso por assassinar uma mulher.“

—  Fernando Collor de Mello político brasileiro, ex-presidente do Brasil 1949

Fernando Collor, candidato a prefeito de São Paulo (PRTB), para jornalista de O Estado de S. Paulo que classificou sua candidatura de exótica no debate da TV Bandeirantes. (O pai de Collor, Arnon de Mello, matou o colega José Kairala, em 1963, no plenário do Senado.)
Fonte: Revista Veja, Edição 1 666 - 13/9/2000 http://veja.abril.com.br/130900/vejaessa.html

Tópicos relacionados