„Onde pode acolher-se um fraco humano,
Onde terá segura a curta vida,
Que não se arme, e se indigne o Céu sereno
Contra um bicho da terra tão pequeno?“

—  Luís Vaz de Camões, Epic poetry, Os Lusíadas (1572), Canto I
Luís Vaz de Camões photo
Luís Vaz de Camões77
poeta português 1524 - 1580

Citações relacionadas

Victor Hugo photo
Allan Kardec photo
Leonardo Da Vinci photo

„Quando você tiver provado a sensação de voar, andará na terra com os olhos voltados para o céu, onde esteve e para onde desejará voltar.“

—  Leonardo Da Vinci pintor renascentista 1452 - 1519
Atribuídas, citado em "Engenharia do Entretenimento: Meu vício, Minha virtude"‎ - Página 166, José Augusto Nogueira Kamel, Editora E-papers, 2006, ISBN 8576500795, 9788576500797

Napoleão Bonaparte photo
Benjamin Disraeli photo
Cecília Meireles photo
Luís Vaz de Camões photo

„Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida.“

—  Luís Vaz de Camões poeta português 1524 - 1580
Lyric poetry, Não pode tirar-me as esperanças, Sete anos de pastor Jacob servia

Marcel Proust photo
Cora Coralina photo

„Coração é terra onde ninguém vê.“

—  Cora Coralina poetisa e contista brasileira 1889 - 1985

Orson Scott Card photo
Sarah Dessen photo
Mahmoud Ahmadinejad photo

„Acreditamos que os judeus, como todos os seres humanos, têm direito a uma vida segura e tranqüila. Deixem que voltem para a sua terra.“

—  Mahmoud Ahmadinejad político iraniano, Ex-presidente do Irã 1956
sugerindo ironicamente, de novo, que os israelenses se mudem para a Europa Fonte: Revista Veja, Edição 1954

Hugo Grócio photo

„O domínio da terra termina onde termina a força das armas.“

—  Hugo Grócio Filósofo Fundador do Direito Internacional 1583 - 1645

Marquês de Custine photo

„A minha terra natal, para mim, é onde eu admiro“

—  Marquês de Custine, livro La Russie en 1839
Ma patrie, à moi, est partout où j'admire "La Russie en 1839" - Página 13; de Astolphe Custine - Publicado por Amyot, 1846 http://books.google.com.br/books?id=1K0CAAAAYAAJ

Octave Feuillet photo

„A esperança é como o céu noturno: não há recanto tão escuro onde um olhar que se obstina não acabe por descobrir uma estrela.“

—  Octave Feuillet 1821 - 1890
L'espoir est comme le ciel des nuits: il n'est pas de coin si sombre où l'œil qui s'obstine ne finisse par découvrir une étoile. "Onesta" in: Oeuvres complletes: Volume 4 - Página 237 http://books.google.com.br/books?id=ZdU5AAAAcAAJ&pg=PA237, Octave Feuillet - Levy, 1857

Mia Couto photo

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“

x