„De escrever para marmanjos já me enjoei. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo.“

Monteiro Lobato apud Dad Squarisi, (6 de agosto de 2006 – "Dicas de português – Escrever é...". Correio Braziliense, Caderno C, p. 4.)
"A barca de Gleyre: quarenta anos de correspondencia literária entre Monteiro Lobato e Godofredo Rangel"‎ – p. 467, de José Bento Monteiro Lobato, Godofredo Rangel – Companhia Editora Nacional, 1944 – 504 pp.

Última atualização 21 de Maio de 2020. História
Monteiro Lobato photo
Monteiro Lobato34
escritor brasileiro 1882 - 1948

Citações relacionadas

Pelé photo

„ABC, ABC, toda criança tem que ler e escrever.“

—  Pelé ex-jogador brasileiro de futebol 1940

Pelé, em 1998, em campanha para a alfabetização

„Bicha! Sua bicha horrorosa!“

—  José Castelo Branco 1962

tratamento reservado a qualquer pessoa.

Robert Musil photo
William Claude Fields photo

„Sou livre de qualquer preconceito. Odeio todo mundo, indistintamente.“

—  William Claude Fields 1880 - 1946

I am free of all prejudices. I hate everyone equally.
citado em "Saturday review": Volume 50 - página 19, Bernard Augustine De Voto - Saturday Review Associates, 1967
Atribuídas

Monteiro Lobato photo
Aldous Huxley photo
Ernest Hemingway photo

„A obra clássica é um livro que todo mundo admira, mas que ninguém lê.“

—  Ernest Hemingway 1899 - 1961

A classic is something that everybody wants to have read and nobody wants to read
Mark Twain's Speeches - Página 194 http://books.google.com.br/books?id=f57exEFBp1YC&pg=PA194, Mark Twain - Forgotten Books, 1923, ISBN 1451018487, 9781451018486 - 396 páginas

Michael Jackson photo

„Todo mundo que me conhece sabe a verdade, que as minhas crianças são prioridade em minha vida e que eu nunca machucaria uma criança.“

—  Michael Jackson cantautor, compositor e intérprete americano 1958 - 2009

Metralhando de volta às críticas a cerca de como expões seus filhos na mídia.
Atribuídas

Jean-Bertrand Pontalis photo

„Eu detesto a violência e eis que estou me preparando para escrever um livro sobre o crime. Se a detesto tanto, esta irrupção da violência, é que a temo e tento me proteger dela, como uma criança que se considera livre do pesadelo porque sua mãe preparou-lhe cuidadosamente a cama.“

—  Jean-Bertrand Pontalis 1924 - 2013

" Je déteste la violence et voici que je m’apprête à écrire un livre sur le crime. Si je la déteste tant, cette irruption de la violence, c’est que je la redoute et tente de m’en protéger, tel un enfant qui, après que sa mère a bordé soigneusement son lit, se croit assuré d’être à l’abri du cauchemar."
Fonte: «Un jour, le crime », Éditions Gallimard, 2011, page 11, ISBN 978-2-07-013276-8

Clarice Lispector photo
Jorge Amado photo
Monteiro Lobato photo

„Eu me acho capaz de escrever para os Estados Unidos por causa do meu pendor para escrever para crianças. Acho o americano sadiamente infantil.“

—  Monteiro Lobato escritor brasileiro 1882 - 1948

"A barca de Gleyre: quarenta anos de correspondencia literaria entre Monteiro Lobato e Godofredo Rangel" – p. 468, de José Bento Monteiro Lobato, Godofredo Rangel – Companhia Editora Nacional, 1944 – 504 pp
De Norte a Sul o povo lamuria a sua desgraça e chora envergonhado o que perdeu. Tinha um rei, tem sátrapas. Tinha dinheiro, tem dívidas. Tinha justiça, tem cambalachos de toga. Tinha Parlamento, tem ante-salas de fâmulos. Tinha o respeito do estrangeiro, tem irrisão e desprezo. Tinha moralidade, tem o impudor deslavado. Tinha soberania, tem cônsules estrangeiros assessorando ministros. Tinha estadistas, tem pêgas. Tinha vontade, tem medo. Tinha leis, tem estado de sítio. Tinha liberdade de imprensa, tem censura. Tinha brio, tem fome. Tinha Pedro II, tem ... não tem! Era. Não é
Trecho "REVISTA DO BRASIL",  vol. IX, Ano III, nº 36, p. 387-391, São Paulo, dezembro de 1918