Frases de Louis Antoine de Saint-Just

Louis Antoine de Saint-Just foto

7   0

Louis Antoine de Saint-Just

Data de nascimento: 25. Agosto 1767
Data de falecimento: 28. Julho 1794

Saint-Just foi um aspirante a literato, pensador e político revolucionário francês.

Foi eleito para a Convenção em 05 de setembro de 1792, e votou pela execução do Rei. Seu discurso em favor da execução do monarca é considerado um dos mais importantes e eloquentes do processo, e foi determinante para a condenação de Luis XVI. Em 30 de maio de 1793 foi eleito membro do Comitê de Salvação Pública, onde se destaca como um dos líderes. Nesta fase, desenvolve teorias sobre o governo revolucionário, e se torna um dos defensores da política do Terror. Foi denunciado no tribunal da Convenção dos Girondinos, e pelos extremistas e moderados de seu próprio partido, os Montanheses. Depois, encarregado da reorganização do exército, fez ali um extraordinário trabalho. Toda a sua ação política visava criar uma "democracia" de pequenos proprietários, de trabalhadores e artesãos, fiéis à República. Foi guilhotinado em 28 de julho de 1794.

Por sua intransigência durante o período de Terror, foi apelidado "arcanjo do Terror" e "arcanjo da Revolução".


„Toda a gente está ansiosa pela república; ninguém quer nem a pobreza nem a virtude.“

„Os tiranos acabam vítimas da fraqueza das leis que eles próprios corromperam.“


„O homem nasce para a paz e para a verdade; são as más leis que o corrompem.“

„As virtudes indomáveis dão lugar a costumes atrozes.“

„Todas as artes só produziram maravilhas: a arte de governar só produziu monstros.“

„As leis compridas são calamidades públicas.“

„Não se pode reinar inocentemente.“

Autores parecidos