Frases de Claude Adrien Helvétius

Claude Adrien Helvétius photo
9   0

Claude Adrien Helvétius

Data de nascimento: 26. Janeiro 1715
Data de falecimento: 26. Dezembro 1771

Claude Adrien Helvétius foi um filósofo e literato francês.

Filho de um médico de Luís XV, estudou com os jesuítas no colégio Louis-le-Grand. Aos 23 anos, obteve o cargo de caseiro geral, com uma boa renda que lhe permitiu levar uma vida sem problemas, frequentando os meios literários e artísticos. Casando-se, retirou-se para o campo, onde se dedicou à literatura. Hesitou muito tempo antes de encontrar o gênero literário que lhe convinha, até apresentar sua obra filosófica Do espírito.

Devido sobretudo ao seu anticlericalismo, o livro foi condenado por uma carta apostólica do papa Clemente XIII, em 1759. Com isso, Helvétius resolveu nada mais publicar.

Em 1764 foi à Inglaterra e, no ano seguinte, à Prússia. A amizade com o enciclopedista Jean le Rond d'Alembert abriu-lhe as portas da Academia de Berlim. Deixou diversas obras publicadas postumamente, entre elas: Verdadeiro sentido do sistema da natureza e Do homem, das faculdades intelectuais e de sua educação. Este último, aliás, foi condenado pelo parlamento francês e queimado.

Influenciado pelas ideias de John Locke e Condillac, Helvétius pretendeu ampliar o empirismo às questões morais e políticas. Considerava que todas as ideias eram apenas afecções dos sentidos, não havendo qualquer faculdade especial de reflexão que fosse distinta das sensações. Essa fonte única de todo conhecimento servia de base para a doutrina ética e social segundo a qual todos os homens eram iguais e teriam as mesmas aspirações. Todos os comportamentos humanos seriam fundamentados no interesse - impulso para a obtenção do prazer e a eliminação da dor. Através da educação, os homens deveriam ser levados a fazer com que seus interesses individuais coincidissem com os interesses da coletividade. Mas para isso era indispensável combater os grandes obstáculos constituídos pelas superstições e preconceitos religiosos, fomentados, segundo Helvétius, pelo egoísmo da classe sacerdotal.

Citações Claude Adrien Helvétius

„O emburrecimento constitui nossa superioridade sobre os animais.“

—  Claude Adrien Helvétius

c’est l’ennui qui fait notre supériorité sur les animaux
Helvétius, citado em "Correspondance littéraire, philosophique et critique, adressée a un souverain d' Allemagne..." - Première Partie. TOME QUATRIÈME Página 211 http://books.google.com/books?id=fzg0AAAAMAAJ&pg=PA211, de Friedrich Melchior Grimm - Publicado por Longchamps, 1813

„A arte do político é fazer que seja do interesse de cada um ser virtuoso.“

—  Claude Adrien Helvétius

L'art du politique est de faire en sorte qu'il soit de l'interest d'un chacun d'etre vertueux.
Notes de la main d'Helvetius‎ - Página 25, de Helvetius, Claude-Adrien Helvétius, Albert Keim - Publicado por F. Alcan, 1907 - 116 páginas (publiées d]après un manuscrit inédit: Avec une introd. et des commentaires)

„All men have an equal disposition for understanding.“

—  Claude Adrien Helvétius

Fonte: De l'esprit or, Essays on the Mind, and Its Several Faculties (1758), p. 286

Help us translate English quotes

Discover interesting quotes and translate them.

Start translating

„Discipline is, in a manner, nothing else but the art of inspiring the soldiers with greater fear of their officers than of the enemy.“

—  Claude Adrien Helvétius

De l'esprit or, Essays on the Mind, and Its Several Faculties (1758)
Contexto: Discipline is, in a manner, nothing else but the art of inspiring the soldiers with greater fear of their officers than of the enemy. This fear has often the effect of courage: but it cannot prevail against the fierce and obstinate valor of people animated by fanaticism, or warm love of their country.

„By annihilating the desires, you annihilate the mind. Every man without passions has within him no principle of action, nor motive to act.“

—  Claude Adrien Helvétius

En anéantissant les désirs, on anéantit l'âme, & tout homme sans passion n'a en lui ni principe d'action, ni motif pour se mouvoir.
A Treatise on Man: His Intellectual Faculties & His Education, Vol. I (1773)

„Most events spring from causes equally small: we are unacquainted with them because most historians have been themselves ignorant of them, or have not had eyes capable of perceiving them. It is true, that, in this respect, the mind may repair their omissions; for the knowledge of certain principles easily compensates the lack of knowledge of certain facts.“

—  Claude Adrien Helvétius

La plupart des évènements ont des causes aussi petites. Nous les ignorons, parce que la plupart des historiens les ont ignorées eux-mêmes, ou parce qu’ils n’ont pas eu d’yeux pour les appercevoir. Il est vrai qu’à cet égard l’esprit peut réparer leurs omissions : la connoissance de certains principes supplée facilement à la connoissance de certains faits.
Essay III, Chapter I
De l'esprit or, Essays on the Mind, and Its Several Faculties (1758)

Autores parecidos

Marqués de Sade photo
Marqués de Sade36
Aristocrata francês e escritor libertino
John Locke photo
John Locke43
Filósofo e médico inglês. pai do liberalismo clássico.
François de La  Rochefoucauld photo
François de La Rochefoucauld488
Escritor, moralista e memorialista francês
Aniversários de hoje
Vinícius de Moraes photo
Vinícius de Moraes134
cantor, poeta, compositor e diplomata brasileiro 1913 - 1980
Pepetela photo
Pepetela35
escritor angolano 1941
Jonathan Swift photo
Jonathan Swift56
Escritor anglo-irlandês conhecido pela sua obra "As Viagens… 1667 - 1745
Marilyn Ferguson photo
Marilyn Ferguson4
1938 - 2008
Outros 48 aniversários hoje
Autores parecidos
Marqués de Sade photo
Marqués de Sade36
Aristocrata francês e escritor libertino
John Locke photo
John Locke43
Filósofo e médico inglês. pai do liberalismo clássico.