„Às vezes o silêncio é muito mais convincente do que a palavra.“

A Disciplina do Amor

Última atualização 22 de Maio de 2020. História
Lygia Fagundes Telles photo
Lygia Fagundes Telles75
escritora e advogada brasileira 1923

Citações relacionadas

Rafael Costa photo
Simone de Beauvoir photo

„Por vezes a palavra representa um modo mais hábil de se calar do que o silêncio.“

—  Simone de Beauvoir Escritora francesa 1908 - 1986

Variante: Por vezes a palavra representa um modo mais acertado de se calar do que o silêncio.

Karl Marx photo
Marquês de Maricá photo
Jean de La Bruyere photo
William Shakespeare photo
Oscar Wilde photo

„As discussões devem ser evitadas; são sempre de mau tom e muitas vezes convincentes.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

António Lobo Antunes photo

„O que eu gostava de poder encher os livros de silêncio, e tender cada vez mais para o silêncio, e que as palavras estivessem carregadas de silêncio de maneira a que o leitor as pudesse encher como quisesse.“

—  António Lobo Antunes 1942

Variante: O que eu gostava de poder encher os livros de silêncio, e tender cada vez mais de silêncio, e que as palavras estivessem carregadas de silêncio de maneira a que o leitor as pudesse encher como quisesse.

Clarice Lispector photo
Clarice Lispector photo
Oscar Wilde photo

„Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

Variante: Se você não consegue entender o meu silêncio de nada adiantarão as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.

Maurice Maeterlinck photo
Samuel Beckett photo

„Toda palavra é como uma mácula desnecessária no silêncio e no nada.“

—  Samuel Beckett 1906 - 1989

Every word is like an unnecessary stain on silence and nothingness.
citado em "Close-up‎" - Página 52, John Gruen - Viking Press, 1968 - 206 páginas

Tópicos relacionados