„As melhores e mais belas coisas do mundo não podem ser vistas ou tocadas. Elas devem ser sentidas com o coração.“

Variante: As maiores coisas do mundo e as mais belas não podem ser vistas e nem sequer tocadas. Devem ser sentidas com o coração.

Original

The best and most beautiful things in the world cannot be seen or even touched. They must be felt with the heart

Variante: The best and most beautiful things in the world cannot be seen or even touched. They must be felt with the heart.

Última atualização 22 de Maio de 2020. História

Citações relacionadas

Charlie Chaplin photo
Oscar Wilde photo
Vágner Benazzi photo
Rihanna photo

„A melhor coisa a fazer no mundo da música é ser você mesmo.“

—  Rihanna cantora, atriz, designer de moda e diretora criativa de Barbados 1988

Coco Chanel photo
Abraham Lincoln photo

„Os princípios mais importantes podem e devem ser inflexíveis.“

—  Abraham Lincoln 16° Presidente dos Estados Unidos 1809 - 1865

Important principles may and must be inflexible.
The life and public services of Abraham Lincoln: Together with his state ...‎ - Página 687 http://books.google.com.br/books?id=uGEDAAAAYAAJ&pg=PA687, Henry Jarvis Raymond, Francis Bicknell Carpenter - Derby and Miller, 1865 - 808 páginas

Hilda Hilst photo

„Há sonhos que devem ser ressonhados, projetos que não podem ser esquecidos…“

—  Hilda Hilst poeta brasileira 1930 - 2004

"Estar sendo. Ter sido" - Página 16, de Hilda Hilst - Publicado por Nankin Editorial, 1997 ISBN 8586372013, 9788586372018 - 127 páginas

Marquês de Maricá photo
Alexandre Dumas, pai photo
Ralph Waldo Emerson photo

„As coisas podem ser bonitas, elegantes, suntuosas, graciosas, atraentes, mas enquanto não falam à imaginação não são belas.“

—  Ralph Waldo Emerson 1803 - 1882

Variante: As coisas podem ser bonitas, elegantes, sumptuosas, graciosas, atraentes, mas enquanto não falam à imaginação não são belas.

„Algumas coisas precisam ser acreditadas para serem vistas“

—  Ralph Hodgson 1871 - 1962

Some things have to be believed to be seen
The skylark: and other poems - página 76, Ralph Hodgson - Macmillan, 1958 - 94 páginas