„Meu fado é de não entender quase tudo. Sobre o nada eu tenho profundidades.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História
Manoel de Barros photo
Manoel de Barros57
poeta brasileiro 1916 - 2014

Citações relacionadas

Shunryu Suzuki photo
Júlio Dantas photo
Fernando Pessoa photo

„Há tanta suavidade em nada dizer
E tudo se entender.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Variante: Há tanta suavidade em nada dizer e tudo entender...

Paulo Queiroz photo
Fred Allen photo
Anne Brontë photo

„Não há nada como enxergar o coração de uma pessoa através de seus olhos, e aprender mais sobre a altura, a largura e profundidade de sua alma em uma hora, o que levaria uma vida inteira para descobrir, se ele ou ela não quisesse revelar, ou se você não tiver discernimento para entender.“

—  Anne Brontë, livro The Tenant of Wildfell Hall

There is such a thing as looking through a person's eyes into the heart, and learning more of the height, and breadth, and depth of another's soul in one hour than it might take you a lifetime to discover, if he or she were not disposed to reveal it, or if you had not the sense to understand it.
The Tenant of Wildfell Hall (1848), Chapter 11

Amália Rodrigues photo

„O que interessa é sentir o fado. Porque o fado não se canta, acontece. O fado sente-se, não se compreende, nem se explica.“

—  Amália Rodrigues fadista portuguesa 1920 - 1999

citado por RTP http://www.rtp.pt/gdesport/?article=67&visual=3&topic=1, programa "Os Grandes Portugueses"

Augusto Cury photo
Nélson Rodrigues photo
Agostinho da Silva photo
Roberto Shinyashiki photo
Cazuza photo
Vergílio Ferreira photo
Mariza photo
Mariza photo
James Bond photo

„Não é difícil entender a vingança para um homem que não acredita em nada.“

—  James Bond série de obras de ficção sobre espião britânico

007 - O Mundo Não É O Bastante

Charles Ferdinand Ramuz photo

„Sinto que progrido na medida em que começo a não entender nada de nada.“

—  Charles Ferdinand Ramuz 1878 - 1947

Je sens que je progresse à ceci que je commence à ne rien comprendre à rien.
Charles Ferdinand Ramuz, citado em "Signes du temps. Journal 1986-1992: Journal 1986-1992 ; (extraits)" - página 251, Por André Péry, Publicado por Labor et Fides, 2001, ISBN 283091015X, 9782830910155, 300 páginas

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“