„Isso são os suspiros, meias vozes da alma.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História
Tópicos
meia, suspiro, voz, alma
Félix Lope de Vega photo
Félix Lope de Vega36
1562 - 1635

Citações relacionadas

Pitágoras photo

„A consciência é a voz da alma, as paixões são a voz do corpo.“

—  Rousseau

Variante: Consciência é a voz da alma; as paixões são a voz do corpo.

Arnaldo Jabor photo
Eça de Queiroz photo
Carlos Ruiz Zafón photo

„A alma é uma borboleta… há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose…“

—  Rubem Alves psicanalista, educador, teólogo e escritor brasileiro 1933 - 2014

Variante: Frases e Textos para Compartilhar A alma é uma borboleta... há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose.

João Bosco (santo) photo
Teócrito photo

„Quem suspira envelhece um dia.“

—  Teócrito

Fonte:Revista Caras, Edição 687. 5 de Janeiro de 2007

Antonio Machado photo
Boris Leonidovič Pasternak photo

„Toda a carne, à meia-noite,/ silenciará./ E a voz da primavera anunciará,/ correndo,/ que, apenas amanheça o dia,/ a morte estará vencida,/ pelo esforço da Ressurreição.“

—  Boris Leonidovič Pasternak 1890 - 1960

Boris Pasternak no poema "Na Semana Santa", citado em MAIS BELAS ORAÇOES DE TODOS OS TEMPOS, AS: INCLUI CD DE ORAÇOES‎ - Página 147, ROSE MARIE MURARO, Editora Pensamento, ISBN 8531512247, 9788531512247 - 204 páginas

Lya Luft photo
Salazar photo

„Meia dúzia de safanões a tempo.“

—  Salazar Chefe de governo de Portugal 1889 - 1970

citado em "Salazar e os fascistas: salazarismo e nacional-sindicalismo : a história dum conflito, 1932-1935" - página 90; de João Medina - Publicado por Livraria Bertrand, 1978 - 249 páginas

Georges Bernanos photo
William Blake photo
Clarice Lispector photo

„Ela, volta e meia, era uma mulher…“

—  Clarice Lispector Escritora ucraniano-brasileira 1920 - 1977

„O primeiro suspiro do amor é o último da sabedoria.“

—  Antoine Bret 1717 - 1792

Fonte: Chalita, Mansour. Os mais belos pensamentos de todos os tempos. 4 Edição. Rio de Janeiro: Assoc. Cultural Internac. Gibran. pág. 58.

George G. Byron photo

Tópicos relacionados