„Sei por onde ir
as folhas coloridas do meu outono
enveredam ímãs perfumados de poesia
na bússola do meu caminhar.“

—  Miriam Da Costa, outono poesia

Citações relacionadas

Albert Camus photo

„Outono é outra primavera, cada folha uma flor.“

—  Albert Camus 1913 - 1960
Atribuídas, citado em "Frases Geniais" - Página 343, Paulo Buchsbaum, 2004, Ediouro Publicações, ISBN 8500015330, 9788500015335440 páginas

Constantin Abăluță photo
Mário Quintana photo
Johnny Depp photo
Miguel de Cervantes photo

„Deixe seu filho caminhar por onde sua estrela o chama.“

—  Miguel de Cervantes 1547 - 1616
deje caminar á su hijo por donde su estrella le llama El ingenioso hildalgo don Quijote de la Mancha - Volume 2 - Página 74 https://books.google.com.br/books?id=ZnYZAAAAYAAJ&pg=PA74, Miguel de Cervantes Saavedra, ‎Joaquin Maria Ferrer - Imprenta de Julio Didot Mayor, 1832

John Keats photo

„Se a poesia não surgir tão naturalmente como as folhas de uma árvore, é melhor que não surja mesmo.“

—  John Keats 1795 - 1821
That if poetry comes not as naturally as the leaves to a tree, it had better not come at all. "The complete poetical works and letters of John Keats" - página 289, John Keats, Horace Elisha Scudder - Houghton, Mifflin and company, 1899 - 473 páginas

Mário Quintana photo
Clarice Lispector photo
Raul Seixas photo

„Não sei onde eu tô indo, mas sei que eu tô no meu caminho.“

—  Raul Seixas cantor e compositor brasileiro 1945 - 1989
No Fundo do Quintal da Escola.

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
George Orwell photo
Jamelão (cantor) photo

„Não! Não sei onde você andou com essa boca!“

—  Jamelão (cantor) cantor brasileiro 1913 - 2008
Jamelão, o cantor mangueirense conhecido pelo mau humor; como citado em Revista Veja http://veja.abril.com.br/160604/vejaessa.html, Edição 1858 . 16 de junho de 2004

Fernando Pessoa photo

„Que importa àquele que já nada importa
Que o um perca e outro vença,
Se a aurora raia sempre,
Se cada ano com a primavera
Aparecem as folhas
E com o outono cessam?“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935
Texto Crítico das Odes de Fernando Pessoa – Ricardo Reis: Tradição Impressa Revista e Inéditos

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“

x