„Duas alavancas movem o homem: interesse e medo.“

Atribuídas

Última atualização 10 de Junho de 2020. História
Napoleão Bonaparte photo
Napoleão Bonaparte187
monarca francês, militar e líder político 1769 - 1821

Citações relacionadas

Napoleão Bonaparte photo

„Há duas forças que unem os homens: medo e interesse.“

—  Napoleão Bonaparte monarca francês, militar e líder político 1769 - 1821

Allan Kardec photo

„A ciência e a religião são as duas alavancas da inteligência humana.“

—  Allan Kardec codificador do espiritismo 1804 - 1869

O Evangelho Segundo o Espiritismo - Página 38 http://books.google.com.br/books?id=O60SezM_V44C&pg=PA38, Allan Kardec - Petit Editora e Distribuidor, 1997, ISBN 8572530363, 9788572530361 - 317 páginas

Fernando Sabino photo

„Os homens se dividem em duas espécies: os que têm medo de viajar de avião e os que fingem que não têm.“

—  Fernando Sabino 1923 - 2004

"Deixa o Alfredo falar!" - página 43, Fernando Tavares Sabino - Editora Record, 1976 - 213 páginas

Arquímedes photo

„Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio e levantarei o mundo.“

—  Arquímedes -287 - -212 a.C.

citado em "Os segredos do jiu-jitsu‎" - Página 18, José Câmara Fonseca - Biblioteca do Exército, 1960 - 186 páginas
Variante: Dai-me um ponto de apoio e levantarei o mundo.

Elke Maravilha photo
Franklin Delano Roosevelt photo
Guerra Junqueiro photo

„Ser alegre é ser forte: a força é uma alavanca.“

—  Guerra Junqueiro 1850 - 1923

"A morte de d. João"‎ - Página xlix, de Guerra Junqueiro - Publicado por Livraria Moré, editora, 1874 - 278 páginas

Edgar Watson Howe photo
Marquês de Maricá photo

„Os homens afectam desinteresse para melhor promoverem os seus interesses.“

—  Marquês de Maricá 1773 - 1848

Variante: Os homens fingem desinteresse para melhor promoverem os seus interesses.

Napoleão Bonaparte photo

„Todo homem luta com mais bravura por seus interesses do que por seus direitos.“

—  Napoleão Bonaparte monarca francês, militar e líder político 1769 - 1821

Variante: Todo o homem luta com mais bravura pelos seus interesses do que pelos seus direitos.

Allan Kardec photo
Jean Paul Sartre photo

„Quanto aos homens, não é o que eles são que me interessa, mas o que eles podem se tornar.“

—  Jean Paul Sartre Filósofo existencialista, escritor, dramaturgo, roteirista, ativista político e crítico literário francês 1905 - 1980

1948.
As Mãos Sujas

Voltaire photo
Nicolau Maquiavel photo

„Homens ofendem por medo ou por ódio“

—  Nicolau Maquiavel filósofo, historiador, poeta, diplomata e músico 1469 - 1527

Variante: Na verdade, os homens ofendem ou por medo ou por ódio

Theodore Roosevelt photo

„O único homem que nunca comete erros é aquele que nunca faz coisa alguma. Não tenha medo de errar, pois você aprenderá a não cometer duas vezes o mesmo erro.“

—  Theodore Roosevelt 1858 - 1919

The only man who never makes a mistake is the man who never does anything
Theodore Roosevelt‎ - Página 54, de Lois Markham - Publicado por Chelsea House, 1985, ISBN 0877545537, 9780877545538 - 111 páginas

Paul Valéry photo

„Um grande homem é aquele que morre duas vezes. Primeiro, como homem; e depois, como grande homem.“

—  Paul Valéry 1871 - 1945

Les grands hommes meurent deux fois, une fois comme hommes, et une fois comme grands.
Cahier B 1910 - página 79, Paul Valéry, Paul Valéry - Gallimard, 1926 - 83 páginas

„Quem é mais tolo: a criança que tem medo da escuridão ou o homem que tem medo da luz?“

—  Maurice Freehill 1899 - 1939

Fonte: Chalita, Mansour. Os mais belos pensamentos de todos os tempos. 4 Edição. Rio de Janeiro: Assoc. Cultural Internac. Gibran. pág. 92.

Che Guevara photo

„Não nego a necessidade objetiva do estímulo material, mas sou contrário a utilizá-lo como alavanca impulsora fundamental. Porque então ela termina por impor sua própria força às relações entre os homens.“

—  Che Guevara guerrilheiro e político, líder da Revolução Cubana 1928 - 1967

No negamos la necesidad objetiva del estímulo material, sí somos renuentes a su uso como palanca impulsora fundamental. Consideramos que, en economía, este tipo de palanca adquiere rápidamente categoría per se y luego impone su propia fuerza en las relaciones entre los hombres.
El libro verde olivo - página 98, Ernesto Guevara - Editorial Diógenes, 1970 - 236 páginas